Stanisław Ulam

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Stanisław Ulam
Teorema de Borsuk-Ulam, Desenho de Teller–Ulam, Espiral de Ulam
Nascimento Stanisław Marcin Ulam
13 de abril de 1909
Leópolis
Morte 13 de maio de 1984 (75 anos)
Santa Fé
Sepultamento Cemitério do Montparnasse
Cidadania Estados Unidos, Reino da Galícia e Lodoméria, Segunda República Polonesa
Etnia judeus
Cônjuge Françoise Aron Ulam
Irmão(s) Adam Ulam
Alma mater Escola de Matemática de Leópolis
Ocupação matemático, professor(a) universitário(a)
Prêmios John von Neumann Lecture (1963)
Empregador Universidade Harvard, Universidade de Wisconsin–Madison, Universidade da Flórida, Universidade do Colorado em Boulder, Laboratório Nacional de Los Alamos, Instituto de Estudos Avançados de Princeton
Orientador(es) Kazimierz Kuratowski e Włodzimierz Stożek
Instituições Projeto Manhattan, Universidade do Wisconsin-Madison, Laboratório Nacional de Los Alamos, Universidade da Flórida
Campo(s) matemática
Tese 1933
Obras destacadas Teorema de Borsuk-Ulam, Kuratowski–Ulam theorem, Mazur–Ulam theorem, Hyers–Ulam–Rassias stability, Espiral de Ulam, sequência de Collatz, Ulam's packing conjecture, Ulam's game, Ulam matrix, número de Ulam, Método de Monte Carlo, Desenho de Teller–Ulam, Ulam–Warburton automaton
Causa da morte enfarte agudo do miocárdio

Stanisław Marcin Ulam (Leópolis, 13 de abril de 1909Santa Fé, 13 de maio de 1984) foi um cientista polonês-americano nas áreas de matemática e física nuclear. Participou do Projeto Manhattan, originou o projeto Teller-Ulam de armas termonucleares, descobriu o conceito do autômato celular, inventou o método de cálculo de Monte Carlo e sugeriu a propulsão de pulso nuclear. Em matemática pura e aplicada, ele provou alguns teoremas e propôs várias conjecturas.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nascido em uma rica família judia polonesa, Ulam estudou matemática no Instituto Politécnico de Lwów, onde obteve seu doutorado em 1933 sob a supervisão de Kazimierz Kuratowski. Em 1935, John von Neumann, que Ulam havia conhecido em Varsóvia, o convidou para ir ao Instituto de Estudos Avançados em Princeton, Nova Jersey, por alguns meses. De 1936 a 1939, ele passou os verões na Polônia e anos acadêmicos na Universidade de Harvard em Cambridge, Massachusetts, onde trabalhou para estabelecer resultados importantes sobre a teoria ergódica. Em 20 de agosto de 1939, ele viajou para os Estados Unidos pela última vez com seu irmão Adam Ulam, de 17 anos. Tornou-se professor assistente na Universidade de Wisconsin-Madison em 1940 e cidadão dos Estados Unidos em 1941.

Stanisław Ulam, ca. 1945

Em outubro de 1943, ele recebeu um convite de Hans Bethe para se juntar ao Projeto Manhattan no secreto Laboratório Los Alamos, no Novo México. Lá, ele trabalhou nos cálculos hidrodinâmicos para prever o comportamento das lentes explosivas necessárias para uma arma do tipo implosão. Ele foi designado para o grupo de Edward Teller, onde trabalhou na "Super" bomba de Teller para Teller e Enrico Fermi. Após a guerra, ele saiu para se tornar um professor associado da Universidade do Sul da Califórnia, mas retornou a Los Alamos em 1946 para trabalhar em armas termonucleares.. Com a ajuda de um quadro de "computadores" femininos, incluindo sua esposa Françoise Aron Ulam, ele descobriu que o design "Super" de Teller era impraticável. Em janeiro de 1951, Ulam e Teller criaram o projeto Teller-Ulam, que é a base para todas as armas termonucleares.[1][2][3][4]

Ulam considerou o problema da propulsão nuclear de foguetes, que foi perseguido pelo Projeto Rover, e propôs, como alternativa ao foguete térmico nuclear da Rover, aproveitar pequenas explosões nucleares para propulsão, que se tornou o Projeto Orion. Com Fermi, John Pasta e Mary Tsingou, Ulam estudou o problema de Fermi–Pasta–Ulam–Tsingou, que se tornou a inspiração para o campo da ciência não linear. Ele é provavelmente mais conhecido por perceber que os computadores eletrônicos tornaram prático a aplicação de métodos estatísticos a funções sem soluções conhecidas e, à medida que os computadores se desenvolveram, o método de Monte Carlo tornou-se uma abordagem comum e padrão para muitos problemas.[5][6][7]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Chartrand, Gary; Zhang, Ping (20 de maio de 2013). A First Course in Graph Theory (em inglês). [S.l.]: Courier Corporation 
  2. «Stanislaw Ulam | Biography, Facts, & Spiral | Britannica». www.britannica.com (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2022 
  3. Ulam, Adam Bruno (2000). Understanding the Cold War: A Historian's Personal Reflections (em inglês). [S.l.]: Transaction Publishers 
  4. Energy, Los Alamos National Laboratory, Operated by Los Alamos National Security, LLC, for the U. S. Department of. «Our History». www.lanl.gov (em inglês). Consultado em 4 de abril de 2022 
  5. «Francoise Ulam Obituary (2011) Santa Fe New Mexican». Legacy.com. Consultado em 4 de abril de 2022 
  6. «Chaos». web.archive.org. 3 de maio de 2012. Consultado em 4 de abril de 2022 
  7. mt-archive.info - pdf

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) matemático(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.