Louis de Broglie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Louis de Broglie Medalha Nobel
Física
Nacionalidade França Francês
Nascimento 15 de agosto de 1892
Local Dieppe
Morte 19 de março de 1987 (94 anos)
Local Louveciennes
Atividade
Campo(s) Física
Instituições Sorbonne, Universidade de Paris
Alma mater Sorbonne
Tese 1924: Recherches sur la théorie des quanta[1]
Orientador(es) Paul Langevin
Orientado(s) Jean-Pierre Vigier, Alexandru Proca, Jules Geheniau
Conhecido(a) por Natureza ondulatória dos elétrons
Prêmio(s) Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1929), Medalha Max Planck (1938), Prêmio Kalinga (1952), Medalha de Ouro CNRS (1955), Medalha Helmholtz (1975)

Louis-Victor-Pierre-Raymond, 7.º duque de Broglie, geralmente conhecido por Louis de Broglie (Dieppe, 15 de agosto de 1892Louveciennes, 19 de março de 1987), foi um físico francês que contribuiu para a formulação da Teoria da Mecânica quântica.

Em 1924, de Broglie postulou, em sua tese de doutorado, que partículas também possuiriam um comprimento de onda, uma onda de matéria. O físico francês relacionou o comprimento de onda (λ) com a quantidade de movimento (p) da partícula, mediante a fórmula:

onde h é a Constante de Planck. De Broglie também postulou que se elétrons fossem adequadamente submetidos ao experimento de dupla fenda, também apresentariam um padrão de interferência. Em 1927, o experimento de Davisson–Germer confirmou essa previsão de de Broglie, estabelecendo a dualidade onda-partícula da matéria. Em 1929, recebeu o Prêmio Nobel pela descoberta da natureza ondulatória do elétron[2].

Em 1925, de Broglie também publicou a teoria da Onda piloto[3], uma interpretação realista dos fenômenos quânticos nos quais o movimento do elétron e outras partículas quânticas são guiados por uma onda de fase, a onda piloto. Em 1952, David Bohm aprofundou essa teoria formulando a interpretação de Bohm, ou de de Broglie-Bohm. Em 2011, o cientista Aephraim Steinberg utilizou o experimento de fenda dupla para realizar simultaneamente uma medida fraca da posição e do momento de um fóton.[4] Esse experimento parece comprovar as trajetórias de Bohm previstas pela interpretação de de Broglie-Bohm.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Louis de Broglie nasceu em uma família nobre em Dieppe, no Sena Marítimo, filho mais novo de Victor, 5º Duque de Broglie. Ele se tornou o 7º Duque de Broglie sobre a morte sem herdeiro, em 1960, de seu irmão mais velho, Maurice, 6º Duque de Broglie, também um físico. Ele não se casou. Quando morreu, em Louveciennes, foi sucedido como duque por um primo distante, Victor-François, 8º Duque de Broglie.[5]

Louis de Broglie estudou inicialmente história, depois interessou-se por física e matemática, por influência de seu irmão, Maurice de Broglie, 6º duque de Broglie e proeminente físico experimental da época. Louis de Broglie iniciou seus trabalhos de pesquisa estudando os raios X, em colaboração com Maurice. Foi este trabalho que o levou mais tarde a escrever sua tese de doutoramento, "Recherches sur la théorie des quanta". Nesta, de Broglie introduz a sua teoria de ondas de elétrons, que inclui a teoria de dualidade onda-corpúsculo da matéria, baseada na teoria dos quanta proposta por Max Planck e Albert Einstein. Este trabalho abre uma nova área da física, a mecânica ondulatória, que constitui uma das principais bases da mecânica quântica. Em 1927, Clinton Davisson e Lester Germer demonstram experimentalmente a difração de elétrons através de cristais. A experiência de Davisson-Germer comprova a hipótese da natureza ondulatória de electrão e em consequência de Broglie recebe o Nobel de Física em 1929, pela teoria da dualidade onda-corpúsculo. Entre as aplicações mais importantes desta teoria destaca-se o desenvolvimento de microscópios electrónicos, que permitem uma resolução muito superior à dos microscópios ópticos[6].

Em 1944, Louis de Broglie foi eleito como membro da Academia Francesa e tornou-se secretário da Academia Francesa de Ciências. De Broglie também incentivou a criação de um laboratório multinacional, o que mais tarde estabeleceu-se como a Organização Européia para Pesquisa Nuclear (CERN).[7]

Participou da 5ª e 7ª Conferência de Solvay.

Prémios e nomeações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. L. de Broglie, Recherches sur la théorie des quanta, Thesis (Paris), 1924; L. de Broglie, Ann. Phys. (Paris) 3, 22 (1925). Reimpresso em Ann. Found. Louis de Broglie 17 (1992) p. 22.
  2. «The Nobel Prize in Physics 1929». www.nobelprize.org (em inglês). Consultado em 2016-04-06. 
  3. The final pilot-wave model was presented in Solvay Conferences and later published, in "Ondes et mouvements" of 1926.
  4. "Observing the Average Trajectories of Single Photons in a Two-Slit Interferometer". DOI:10.1126/science.1202218.
  5. Strickland, Jeffrey (2011). Weird Scientists – the Creators of Quantum Physics (em inglês) Lulu.com [S.l.] p. 165. ISBN 1257976249. 
  6. Leite Vieira, Cásio. «Há 50 anos, o físico norte-irlandês John Bell (1928-90) chegou a um resultado que demonstra a natureza "fantasmagórica" da realidade no mundo atômico e subatômico.». Site Folha de S.Paulo. Consultado em dezembro de 2014. 
  7. «Louis de Broglie». Soylent Communications. Consultado em 12 June 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons


Precedido por
Owen Willans Richardson
Nobel de Física
1929
Sucedido por
Chandrasekhara Venkata Raman
Precedido por
Erwin Schrödinger
Medalha Max Planck
1938
Sucedido por
Pascual Jordan
Precedido por
Émile Borel
Medalha de Ouro CNRS
1955
Sucedido por
Jacques Hadamard