Karl Alexander Müller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Karl Alexander Müller Medalha Nobel
Karl Alexander Müller, em 2001
Nascimento 20 de abril de 1927 (90 anos)
Basileia
Nacionalidade Suíça Suíço
Alma mater Instituto Federal de Tecnologia de Zurique
Prêmios Prêmio Marcel Benoist (1986), Prêmio Memorial Fritz London (1987), Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1987), Prêmio Robert Wichard Pohl (1987), Medalha Wilhelm Exner (1987)
Instituições IBM Zurich Research Laboratory, Universidade de Zurique, Battelle Memorial Institute

Karl Alexander Müller (Basileia, 20 de abril de 1927) é um físico suíço.[1]

Recebeu o Nobel de Física de 1987, junto com Johannes Georg Bednorz, por fundamentais avanços na descoberta de materiais cerâmicos supercondutores. Em abril de 1986, ambos conseguiram obter supercondutividade em um compósito de óxido de bário, lantânio e cobre a uma temperatura de 35 K - até então, em 75 anos desde a descoberta deste fenômeno, a mais alta temperatura na qual se detetara a manifestação de supercondutividade era 23 K. Antes do final daquele ano, pesquisadores da Universidade de Tóquio e da Universidade de Houston confirmaram o resultado, o que valeu a Müller e Bednorz o Nobel no ano seguinte.

Recebeu o Prêmio Robert Wichard Pohl de 1987, juntamente com Johannes Georg Bednorz.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Ernst Ruska, Gerd Binnig e Heinrich Rohrer
Nobel de Física
1987
com Johannes Georg Bednorz
Sucedido por
Leon Max Lederman, Melvin Schwartz e Jack Steinberger


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.