Emmanuelle Charpentier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emmanuelle Charpentier
Nascimento 11 de dezembro de 1968 (50 anos)
Juvisy-sur-Orge
Nacionalidade Francesa
Prêmios Prêmio Gabbay (2014), Breakthrough Prize in Life Sciences (2015), Prêmio Gruber de Genética (2015), Prêmio Massry (2015), Prêmio Família Hansen (2015), Medalha Otto Warburg (2016), Prêmio Internacional da Fundação Gairdner (2016), Prêmio Tang (2016), Medalha Wilhelm Exner (2016), Prêmio HFSP Nakasone (2016), Prêmio Paul Ehrlich e Ludwig Darmstaedter (2016)
Campo(s) Microbiologia, imunologia

Emmanuelle Charpentier (Juvisy-sur-Orge, 11 de dezembro de 1968[1]) é uma microbiologista e imunologista francesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Emmanuelle Charpentier começou a estudar bioquímica, microbiologia e genética na Universidade Pierre e Marie Curie em Paris. Em 1995 obteve um doutorado com pesquisas conduzidas no Instituto Pasteur. Em seguida atuou em diversas universidades e hospitais nos Estados Unidos. Algumas destas instituições foram Universidade Rockefeller, Centro Médico Langone da Universidade de Nova Iorque, Instituto Skirball de Medicina Biomolecular e St. Jude Children’s Research Hospital em Memphis, Tennessee. Após cinco anos retornou para a Europa, primeiro para Viena e depois para a Universidade de Umeå na Suécia, onde ocupa um posto como pesquisadora líder do Molecular Infection Medicine Sweden (MIMS) sendo também professora visitante do Umeå Centre for Microbial Research (UCMR). Em 2013 foi apontada como Professora do Centro Helmholtz de Pesquisas Infecciosas em Braunschweig e um Professorado da Fundação Alexander von Humboldt na Escola de Medicina de Hannover, na Alemanha.

Em 2015 Charpentier aceitou uma oferta da Sociedade Max Planck para tornar-se membro científico e diretora do novo Instituto Max Planck de Biologia da Infecção em Berlim. Charpentier mantém sua posição como professora visitante na Universidade Umeå, onde uma nova doação das Fundações Kempe e Knut e Alice Wallenberg lhe dá a oportunidade de oferecer a mais jovens pesquisadores posições em grupos de pesquisa no MIMS.[2]

Charpentier é mais conhecida por seu papel na redefinição do sistema bacterial imune CRISPR-Cas9 como uma ferramenta para edição de genoma. Em colaboração com o laboratório de Jennifer Doudna, o laboratório de Charpentier mostrou que o Cas9 pode ser usado para fazer cortes em qualquer sequência desejada de DNA.[3][4] O método desenvolvido por elas envolveu a combinação de Cas9 com moléculas sintéticas "RNA guia" facilmente criadas. Pesquisadores em todo o mundo têm utilizado este método para editar eficientemente as sequências de DNA de plantas, animais e culturas celulares de laboratório.

Charpentier recebeu vários prêmios internacionais, distinções e reconhecimentos, dentre eles o Breakthrough Prize in Life Sciences e o Prêmio Gruber de Genética. Em 2015 a revista Time a nomeou como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo (juntamente com Jennifer Doudna).[5] Em 2018, O Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (USPTO) concedeu a Emmanuelle Charpentier, co-fundador da ERS Genomics, a Universidade da Califórnia e Universidade de Viena, sua primeira patente americana cobrindo o uso de CRISPR/Cas9 para edição genética[6].

Condecorações selecionadas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Emmanuelle Charpentier and Jennifer Doudna, Princess of Asturias Award for Technical and Scientific Research» (em inglês) 
  2. «Emmanuelle Charpentier - Director at the Max Planck Institute for Infection Biology in Berlin». Molecular Infection Medicine Sweden (MIMS). 23 de julho de 2015. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  3. «CRISPR Therapeutics, About us». Consultado em 25 de setembro de 2015 
  4. «A Programmable Dual-RNA–Guided DNA Endonuclease in Adaptive Bacterial Immunity». Science. 28 de junho de 2012. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  5. «Emmanuelle Charpentier named in Time magazine's '100 most influential people in world' list». Umeå University. 13 de abril de 2015. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  6. «U.S. Grants Emmanuelle Charpentier, U of C and University of Vienna CRISPR Patent | BioSpace». BioSpace (em inglês) 
  7. «Eric K. Fernström's Prize to Emmanuelle Charpentier». Molecular Infection Medicine Sweden. 9 de junho de 2011. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  8. «Göran Gustafsson Prize for Emmanuelle Charpentier». Molecular Infection Medicine Sweden. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  9. «MIMS group leader Emmanuelle Charpentier receives Dr. Paul Janssen Award for discoveries of CRISPR-Cas9». Molecular Infection Medicine Sweden. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  10. «Emmanuelle Charpentier receives Jacob Heskel Gabbay Award». Umeå University. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  11. «Umeå University, press releas: Emmanuelle Charpentier honored with Breakthrough Prize in Life Sciences». Umeå University. 10 de novembro de 2014. Consultado em 25 de setembro de 2015  (shared with Jennifer Doudna)
  12. «The 11th ISTT Prize jointly awarded to Jennifer Doudna and Emmanuelle Charpentier». Consultado em 25 de setembro de 2015. Arquivado do original em 11 de agosto de 2015 
  13. «Foundation Louis-Janet: "The 2015 Louis-Jeantet Prize-Winners"». Consultado em 25 de setembro de 2015 
  14. Mary-Claire King. «Emmanuelle Charpentier & Jennifer Doudna». TIME. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  15. «Laureates 2015 – Professor Emmanuelle Charpentier». Jung-Stiftung für Wissenschaft und Forschung. Maio de 2015. Consultado em 25 de setembro de 2015. Arquivado do original em 25 de setembro de 2015 
  16. «YaleNews: Gruber Foundation honors excellence in neuroscience, cosmology, and genetics». Yale University. 16 de junho de 2015. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  17. «Umeå University EC Jubilee Award 2015». Umeå University. 24 de junho de 2015. Consultado em 24 de junho de 2015 
  18. «Emmanuelle Charpentier receives Carus Medal». Helmholtz Centre for Infection research. 7 de setembro de 2015. Consultado em 25 de setembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
James Patrick Allison e Carl H. June
Prêmio Paul Ehrlich e Ludwig Darmstaedter
2016
com Jennifer Doudna
Sucedido por
Yuan Chang e Patrick S. Moore