Akira Yoshino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Akira Yoshino Medalha Nobel
Nascimento 30 de janeiro de 1948 (74 anos)
Osaka
Nacionalidade japonês
Cidadania Japão
Alma mater Universidade de Quioto
Ocupação químico, engenheiro, inventor
Prêmios Medalha por Tecnologias Ambientais e de Segurança IEEE (2012)
Prêmio Charles Stark Draper (2014)
Prêmio Japão (2018)
Nobel de Química (2019)
Empregador Asahi Kasei, Universidade de Quiuxu, Meijo University
Instituições Asahi Kasei, Universidade Meijo
Campo(s) eletroquímica

Akira Yoshino (em japonês: 吉野 彰; Osaka, 30 de janeiro de 1948) é um químico japonês. Recebeu o Nobel de Química de 2019, juntamente com John Bannister Goodenough e Michael Stanley Whittingham, pelo desenvolvimento das baterias de ions de lítio.[1]

É membro da corporação Asahi Kasei e professor da Universidade Meijo.[2]

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Frances Arnold, George P. Smith e Gregory Winter
Nobel de Química
2019
com John Bannister Goodenough e Michael Stanley Whittingham
Sucedido por
Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna