Donald James Cram

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Donald James Cram
Nascimento 22 de abril de 1919
Condado de Windsor
Morte 17 de junho de 2001 (82 anos)
Palm Desert
Nacionalidade estadunidense
Alma mater Rollins College
Prêmios Prêmio Arthur C. Cope (1974), Prêmio Roger Adams (1985), Nobel prize medal.svg Nobel de Química (1987), Medalha Glenn T. Seaborg (1989), Prêmio em Ciências Químicas NAS (1992), Medalha Nacional de Ciências (1993)
Orientador(es)(as) Louis Fieser
Instituições Universidade da Califórnia em Los Angeles, Merck Sharp and Dohme, Instituto de Tecnologia de Massachusetts
Campo(s) química, química orgânica

Donald James Cram (Condado de Windsor, 22 de abril de 1919Palm Desert, 17 de junho de 2001) foi um químico estadunidense que compartilhou o Prêmio Nobel de Química de 1987 com Jean-Marie Lehn e Charles J. Pedersen "pelo desenvolvimento e uso de moléculas com interações específicas de estrutura de alta seletividade". Eles foram os fundadores do campo da química anfitrião-convidado.

Em 1942, ele se formou na Universidade de Nebrask-Lincoln com um mestrado em química orgânica,[1] com Norman O. Cromwell servindo como seu orientador de tese. Seu assunto era "Amino cetonas, estudos de mecanismo das reações de aminas secundárias heterocíclicas com cetonas -bromo- insaturadas".[2]

Em 1947, Cram se formou na Universidade de Harvard com um Ph.D. em química orgânica,[1] com Louis Fieser, atuando como orientador em sua dissertação sobre "Sínteses e reações de 2-(cetoalquil)-3-hidroxi-1,4-naftoquinonas".[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

De 1942 a 1945, Cram trabalhou em pesquisa química nos laboratórios da Merck & Co, fazendo pesquisas sobre penicilina com o mentor Max Tishler.[4] Cram foi o criador da regra de Cram, que fornece um modelo para prever o resultado do ataque nucleofílico de compostos carbonílicos. Ele publicou mais de 350 artigos de pesquisa e oito livros sobre química orgânica, e ensinou alunos de graduação e pós-doutorado de 21 países diferentes.[4]

Estrutura cristalina de um nitrobenzeno ligado a um hemicarcerando relatado por Cram e colaboradores[5]

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

Cram expandiu a síntese inovadora de Charles Pedersen de éteres de coroa, compostos orgânicos bidimensionais que são capazes de reconhecer e se combinar seletivamente com os íons de certos elementos metálicos. Ele sintetizou moléculas que levaram essa química em três dimensões, criando uma série de moléculas de formas diferentes que poderiam interagir seletivamente com outros produtos químicos por causa de suas estruturas tridimensionais complementares. O trabalho de Cram representou um grande passo em direção à síntese de imitações funcionais feitas em laboratório de enzimas e outras moléculas naturais cujo comportamento químico especial é devido à sua estrutura característica. Ele também trabalhou com estéreo química e a regra de indução assimétrica de Cram leva o seu nome.

Bibliografia (em inglês)[editar | editar código-fonte]

Relatórios Técnicos:

Livros:

  1. Cram, Donald J.; Jane M. Cram (1994). Container Molecules and their Guests. Great Britain: Royal Society of Chemistry. pp. 223 pp. ISBN 978-0-85404-507-5 
  2. Cram, Donald J. (1990). From Design to Discovery. Washington, DC: American Chemical Society. pp. 146pp 
  3. Cram, Jane M.; Donald J. Cram (1978). The Essence of Organic Chemistry. Reading, Massachusetts: Addison-Wesley. pp. 456pp 
  4. Hendrickson, James B.; Donald J. Cram; George S. Hammond (1970). Organic Chemistry. Reading, Massachusetts: McGraw-Hill. pp. 1279pp. 3rd ed. 
  5. Richards, John; Don Cram; George S. Hammond (1967). Elements of organic chemistry. New York: McGraw-Hill. pp. 444pp. LCCN 66024479 
  6. Cram, Donald J. (1965). Fundamentals of Carbanion Chemistry. New York: Academic Press. pp. 289pp 
  7. Cram, Donald J.; George S. Hammond (1964). Organic Chemistry. New York: McGraw-Hill. pp. 846pp. 2nd ed. 
  8. Cram, Donald J.; George S. Hammond (1959). Organic Chemistry. New York: McGraw-Hill. pp. 712pp. 1st ed. 

Referências

  1. a b "Donald Cram, Nobel Laureate and UCLA Chemist, Dies at 82" (Press release). University of California.
  2. University of Nebraska Research Library entry
  3. Harvard Library Hollis
  4. a b "Donald J. Cram, Ph.D.: A 1941 Rollins College Chemistry Alumnus and winner of the 1987 Nobel Prize in Chemistry".
  5. Juyoung Yoon; Carolyn B. Knobler; Emily F. Maverick; Donald J. Cram (1997). "Dissymmetric new hemicarcerands containing four bridges of different lengths". Chem. Commun. (14): 1303–1304. doi:10.1039/a701187c.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Dudley Robert Herschbach, Yuan Lee e John Charles Polanyi
Nobel de Química
1987
com Jean-Marie Lehn e Charles J. Pedersen
Sucedido por
Johann Deisenhofer, Robert Huber e Hartmut Michel


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) químico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.