Salvador Luria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Salvador Luria
Nascimento 13 de agosto de 1912
Turim
Morte 6 de fevereiro de 1991 (78 anos)
Lexington
Nacionalidade Itália Italiano (1912—1991),
Estados Unidos estadunidense (1950—1991)
Alma mater Universidade de Turim
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (1969), Prêmio Louisa Gross Horwitz (1969), Medalha Nacional de Ciências (1991)
Orientado(s) James Watson
Instituições Universidade Columbia, Universidade de Indiana, Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, Instituto de Tecnologia de Massachusetts
Campo(s) Biologia molecular

Salvador Edward Luria (Turim, 13 de agosto de 1912Lexington, Massachusetts, 6 de fevereiro de 1991) foi um microbiologista italiano naturalizado estadunidense.[1]

Foi agraciado, junto com Max Delbrück e Alfred Hershey, com o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1969, por investigar o mecanismo das infecções virais em células vivas, especialmente os bacteriófagos.

Pesquisa de fago[editar | editar código-fonte]

Salvador Luria com Esther Lederberg no Simpósio Cold Spring Harbor de 1953. No fundo estão Aaron Novick, Bruce Stocker, Haig Papazian e Geraldine Lindegren.

Luria chegou à cidade de Nova York em 12 de setembro de 1940 e logo mudou seu nome e nome do meio. Com a ajuda do físico Enrico Fermi, que ele conhecia desde seu tempo na Universidade de Roma, Luria recebeu uma bolsa da Fundação Rockefeller na Universidade de Columbia. Ele logo conheceu Delbrück e Hershey, e eles colaboraram em experimentos no Cold Spring Harbor Laboratory e no laboratório de Delbrück na Vanderbilt University.

Seu famoso experimento com Delbrück em 1943, conhecido como o experimento Luria-Delbrück, demonstrou estatisticamente que a herança em bactérias deve seguir os princípios darwinianos em vez de lamarckianos e que bactérias mutantes que ocorrem aleatoriamente ainda podem conceder resistência viral sem a presença do vírus. A ideia de que a seleção natural afeta as bactérias tem consequências profundas, por exemplo, explica como as bactérias desenvolvem resistência aos antibióticos.

De 1943 a 1950, ele trabalhou na Universidade de Indiana. Seu primeiro aluno de graduação foi James D. Watson, que passou a descobrir a estrutura do DNA com Francis Crick. Em janeiro de 1947, Luria naturalizou-se nos Estados Unidos.

Em 1950, Luria mudou-se para a Universidade de Illinois em Urbana – Champaign. No início da década de 1950, Luria e Giuseppe Bertani descobriram o fenômeno da restrição e modificação controlada pelo hospedeiro de um vírus bacteriano: uma cultura de E. coli pode reduzir significativamente a produção de fagos cultivados em outras cepas; no entanto, uma vez que o fago se estabelece naquela cepa, eles também ficam restritos em sua capacidade de crescer em outras cepas.[2][3] Mais tarde, foi descoberto por outros pesquisadores que as bactérias produzem enzimas que cortam o DNA viral em sequências particulares, mas não o próprio DNA da bactéria, que é protegido por metilação. Essas enzimas ficaram conhecidas como enzimas de restrição e se tornou uma das principais ferramentas moleculares da biologia molecular.[4]

Luria ganhou o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1969, com Max Delbrück e Alfred Hershey, por suas descobertas sobre o mecanismo de replicação e a estrutura genética dos vírus.[5]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Essay on The Life of Salvador Luria». web.archive.org. 15 de outubro de 2013. Consultado em 5 de fevereiro de 2021 
  2. Luria SE, Human ML (Oct 1952). "A nonhereditary, host-induced variation of bacterial viruses". Journal of Bacteriology. 64 (4): 557–69. doi:10.1128/JB.64.4.557-569.1952. PMC 169391. PMID 12999684
  3. Bertani G, Weigle JJ (Feb 1953). "Host controlled variation in bacterial viruses". Journal of Bacteriology. 65 (2): 113–21. doi:10.1128/JB.65.2.113-121.1953. PMC 169650. PMID 13034700
  4. Roberts RJ (April 2005). "How restriction enzymes became the workhorses of molecular biology". Proc. Natl. Acad. Sci. U.S.A. 102 (17): 5905–8. Bibcode:2005PNAS..102.5905R. doi:10.1073/pnas.0500923102. PMC 1087929. PMID 15840723
  5. «The Nobel Prize in Physiology or Medicine 1969». NobelPrize.org (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Robert Holley e Har Khorana e Marshall Nirenberg
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1969
com Max Delbrück e Alfred Hershey
Sucedido por
Bernard Katz, Ulf Svante von Euler e Julius Axelrod


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) biólogo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.