Michael Levitt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Michael Levitt
Michael Levitt em 2013
Conhecido(a) por Biologia computacional, Bioinformática, Predição da estrutura das proteínas
Nascimento 9 de maio de 1947 (74 anos)
Pretória, África do Sul
Prémios Nobel prize medal.svg Nobel de Química (2013)
Campo(s) Bioquímica, físico-química

Michael Levitt (Pretória, 9 de maio de 1947) é um bioquímico e biofísico britânico nascido na África do Sul. Levitt foi um dos pioneiros na área de biologia computacional e bioinformática.[1] Em 2013, juntamente com Arieh Warshel e Martin Karplus, foi galardoado com o Prémio Nobel da Química pelo seu trabalho no desenvolvimento de métodos computacionais para previsão e simulação da estrutura de proteínas e ácidos nucleicos.[2] Desde 1987, é professor e investigador no departamento de biologia estrutural da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Levitt nasceu em Pretória, na África do Sul, filho de pais judeus.[3] Em 1963, com 16 anos, mudou-se com a mãe para Londres, no Reino Unido, e ingressou no King's College para estudar biofísica. Quatro anos depois, em 1967, inspirado pelo trabalho de cientistas como John Kendrew, Francis Crick, James Watson, e Max Perutz, decide concorrer a uma posição como aluno de doutoramento no Laboratório de Biologia Molecular (LMB) da Universidade de Cambridge. Encorajado por dois amigos após receber uma rejeição por correiro, Levitt decide ir até Cambridge falar pessoalmente com Kendrew e Perutz. Dias depois, Kendrew telefona-lhe a oferecer uma posição a começar em 1968 e dá-lhe a oportunidade de ir, entretanto, trabalhar com Shneior Lifson, um dos primeiros químicos computacionais, no Instituto Weizmann de Ciência, em Israel.

Esses 10 meses passados em Israel revelaram-se fulcrais na sua vida pessoal e profissional. Juntamente com Lifson e Arieh Warshel, então um aluno de doutoramento, escreve um programa de computador capaz de calcular propriedades químicas de moléculas e aplica-o para optimizar a estrutura tridimensional de proteínas[4]. Ao mesmo tempo, conhece a sua futura mulher, Rina, com quem se casa em Agosto de 1968.[5]

Em 1968, de regresso a Cambridge, Levitt começa o seu doutoramento no LMB na unidade de Kendrew e Perutz onde decide aplicar o programa escrito com Warshel e Lifson para analisar e prever a estrutura tridimensional da molécula de ARN de transferência.[6] Após defender a tese de doutoramento no inverno de 1971, permanece em Cambridge por mais um ano até se mudar para Israel, de regresso ao laboratório de Lifson como investigador pós-doutorado. Entre 1972 e 1974, juntamente com Warshel, cria métodos computacionais que combinam mecânica clássica e quântica (multiescala) para estudar reacções químicas complexas,[7] cujo valor seria reconhecido em 2013 pelo Comité Nobel de Química. Em paralelo, os dois jovens cientistas escrevem os primeiros programas de computador para simular o enovelamento da estrutura de proteínas.[8]

Entre 1977 e 1987, divide o seu tempo entre Cambridge, a Califórnia e Israel, e continua a criar e utilizar métodos teóricos e computacionais para analisar, prever e simular a estrutura de proteínas e ácidos nucleicos.[5] Entre outros, desenvolve uma classificação de proteínas com base em elementos de estrutura secundária,[9] um método para optimizar a estrutura de proteínas a partir de dados de cristalografia de raios-X,[10] as primeiras simulações de dinâmica molecular de proteínas em solvente aquoso,[11] e a primeira simulação de dinâmica molecular da dupla hélice de ADN.[12]

Em 1987, a convite de Roger Kornberg, muda-se para a Universidade de Stanford na Califórnia onde funda o grupo de biologia computacional estrutural que ainda hoje dirige.[13] Em Stanford, orientou e continua a acompanhar a formação de várias gerações de cientistas. Em 2017, publica uma análise do sistema de financiamento em ciência nos Estados Unidos, onde observa um aumento da idade de reforma de cientistas e um decréscimo acentuado do investimento em cientistas em início de carreira.[14]

Em 2020, cria controvérsia ao fazer várias previsões erradas sobre a evolução da pandemia de COVID-19 e ao criticar a análise estatística feita por epidemiologistas como Neil Ferguson.[15]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Levitt foi eleito para a Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO) em 1983,[16] como membro da Royal Society (FRS) em 2001,[17] como membro da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos em 2002,[18] e como membro da Academia de Artes e Ciências dos Estados Unidos em 2010[19]. Em 2013, recebeu juntamente com Arieh Warshel e Martin Karplus o Prémio Nobel da Química.[3] Em 2014, recebeu o prémio DeLano para ciências biocomputacionais[20] e em 2015 foi eleito como membro da Sociedade Internacional de Biologia Computacional (ISCB).[21]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Ao longo da sua carreira, Levitt publicou mais de 200 artigos científicos em revistas como Nature, Science, PNAS, e Journal of Molecular Biology.[22]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Schlick, Tamar; Collepardo-Guevara, Rosana; Halvorsen, Leif Arthur; Jung, Segun; Xiao, Xia (maio de 2011). «Biomolecularmodeling and simulation: a field coming of age». Quarterly reviews of biophysics (2): 191–228. ISSN 0033-5835. PMC 3700731Acessível livremente. PMID 21226976. doi:10.1017/S0033583510000284. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  2. Gerschenfeld, Ana. «Nobel da Química para simulação por computador de reacções químicas». PÚBLICO. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  3. a b «The Nobel Prize in Chemistry 2013». NobelPrize.org (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2020 
  4. Levitt, M.; Lifson, S. (14 de dezembro de 1969). «Refinement of protein conformations using a macromolecular energy minimization procedure». Journal of Molecular Biology (2): 269–279. ISSN 0022-2836. PMID 5360040. doi:10.1016/0022-2836(69)90421-5. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  5. a b «The Nobel Prize in Chemistry 2013». NobelPrize.org (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2020 
  6. Levitt, M. (22 de novembro de 1969). «Detailed molecular model for transfer ribonucleic acid». Nature (5221): 759–763. ISSN 0028-0836. PMID 5361649. doi:10.1038/224759a0. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  7. Warshel, A.; Levitt, M. (15 de maio de 1976). «Theoretical studies of enzymic reactions: dielectric, electrostatic and steric stabilization of the carbonium ion in the reaction of lysozyme». Journal of Molecular Biology (2): 227–249. ISSN 0022-2836. PMID 985660. doi:10.1016/0022-2836(76)90311-9. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  8. Levitt, M.; Warshel, A. (27 de fevereiro de 1975). «Computer simulation of protein folding». Nature (5494): 694–698. ISSN 0028-0836. PMID 1167625. doi:10.1038/253694a0. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  9. Levitt, M.; Chothia, C. (17 de junho de 1976). «Structural patterns in globular proteins». Nature (5561): 552–558. ISSN 0028-0836. PMID 934293. doi:10.1038/261552a0. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  10. Jack, A.; Levitt, M. (1 de novembro de 1978). «Refinement of large structures by simultaneous minimization of energy and R factor». Acta Crystallographica Section A: Crystal Physics, Diffraction, Theoretical and General Crystallography (em inglês) (6): 931–935. ISSN 0567-7394. doi:10.1107/S0567739478001904. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  11. Levitt, M.; Sharon, R. (outubro de 1988). «Accurate simulation of protein dynamics in solution». Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America (20): 7557–7561. ISSN 0027-8424. PMID 2459709. doi:10.1073/pnas.85.20.7557. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  12. Levitt, M. (1983). «Computer simulation of DNA double-helix dynamics». Cold Spring Harbor Symposia on Quantitative Biology: 251–262. ISSN 0091-7451. PMID 6574846. doi:10.1101/sqb.1983.047.01.030. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  13. «Michael Levitt Lab». Michael Levitt Lab (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2020 
  14. Levitt, Michael; Levitt, Jonathan M. (20 de junho de 2017). «Future of fundamental discovery in US biomedical research». Proceedings of the National Academy of Sciences (em inglês) (25): 6498–6503. ISSN 0027-8424. PMID 28584129. doi:10.1073/pnas.1609996114. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  15. «The second derivative of the time trend on the log scale (also see P.S.) « Statistical Modeling, Causal Inference, and Social Science». statmodeling.stat.columbia.edu. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  16. «Find people in the EMBO Communities». people.embo.org. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  17. «Michael Levitt | Royal Society». royalsociety.org (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2020 
  18. «Michael Levitt». www.nasonline.org. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  19. «Michael Levitt». American Academy of Arts & Sciences (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2020 
  20. «DeLano Award for Computational Biosciences». www.asbmb.org (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2020 
  21. «ISCB Fellows». www.iscb.org. Consultado em 6 de setembro de 2020 
  22. «Michael Levitt - Google Acadêmico». scholar.google.com. Consultado em 6 de setembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Robert Lefkowitz e Brian Kobilka
Nobel de Química
2013
com Martin Karplus e Arieh Warshel
Sucedido por
Eric Betzig, Stefan Hell e William Moerner