Fabiola Gianotti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fabiola Gianotti
Nascimento 29 de outubro de 1960 (58 anos)
Roma
Nacionalidade Italiana
Campo(s) Física experimental

Fabiola Gianotti (Roma, 29 de outubro de 1960[1][2]) é uma física experimental italiana, desde 2016 diretora geral da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN).

Gianotti obteve um doutorado em física de partículas na Universidade de Milão e esteve a partir de 1987 no CERN, onde esteve envolvida no experimento UA1 e no detetor ALEPH do Grande Colisor de Elétrons e Pósitrons. De 2009 a 2013 sucedeu Peter Jenni como porta-voz do experimento ATLAS no Grande Colisor de Hádrons do CERN. Neste experimento colaborativo estão envolvidos até 3000 físicos, sendo em 2012 revelada a descoberta de uma partícula elementar compatível com o bóson de Higgs. Em 1 de janeiro de 2016 assumiu o posto de diretora geral do CERN, sucedendo Rolf-Dieter Heuer.

Em 2012 foi um dos laureados na classe Especial do Fundamental Physics Prize pela possível descoberta do bóson de Higgs. Em 2013 recebeu o Prêmio Enrico Fermi da Sociedade Italiana de Física.[3]

É membro da Accademia dei Lincei. Recebeu um doutorado honoris causa das universidades de Upsália, Oslo, McGill e EPFL em Lausanne.[2] Em 2015 foi eleita membro da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos e em 2016 da Académie des Sciences. Recebeu a Medalha Wilhelm Exner de 2017.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Fabiola Gianotti


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.