Amparo Acker-Palmer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amparo Acker-Palmer
Nascimento 1968 (50 anos)
Espanha
Cidadania Espanha
Alma mater Universidade de Valência
Ocupação cientista, professora universitária
Empregador Universidade de Frankfurt

Amparo Acker-Palmer (nascida em 10 de setembro de 1968) é uma bióloga celular e uma neurocientista de Sueca, Espanha, mais conhecida por sua pesquisa no desenvolvimento de nervos e vasos sanguíneos.[1] Ela tem trabalhado juntamente com seu marido, Till Acker, um neurobiólogo, na pesquisa de terapias para tumores.[2] Em sua carreira, ela ganhou vários prêmios, incluindo o Paul Ehrlich & Ludwig Darmstaeder para Jovens Investigadores em 2010.[3]

Educação e carreira[editar | editar código-fonte]

Acker-Palmer formou-se em Biologia e Bioquímica na Universidade de Valencia, Espanha, em 1991.[4] Depois de se formar, ela concluiu um pós-doutorado no Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL) em Heidelberg, Alemanha, em 1996, após a obtenção de um doutoramento em Biologia na Universidade de Valencia, no mesmo ano. Em 2001, mudou-se para Martinsried para assumir o cargo de líder de grupo no Instituto Max Planck por seis anos.[5] Na Universidade Goethe, em seguida, ela foi nomeada professora de Complexos Macromoleculares, em 2007.[6] Mais tarde, em 2011, Acker-Palmer tornou-se a chefa do Departamento de Neurobiologia Celular e Molecular na Universidade Goethe, enquanto trabalhava numa área nova da neurociência, chamada translacional,[7] e membro do corpo docente da Universidade de Mainz. Em 2014, ela foi, então, eleita como um Max Planck Fellow no Instituto Max Planck para a Pesquisa do Cérebro, onde ela realizou uma pesquisa focada na mecânica de comunicação de nervos e vasos sanguíneos.

Pesquisa[editar | editar código-fonte]

O trabalho de Acker-Palmer centrou-se no desenvolvimento de nervos e de vasos sanguíneos ao nível molecular. Ao lado de seus colegas, ela publicou seu trabalho na Nature , em 2010, como "EphrinB2 regulates VEGFR2 function in developmental and tumour angiogenesis". Ela ganhou o Prêmio Paul Ehrlich & Ludwig Darmstaeder para Jovens Investigadores por descobrir as semelhanças no desenvolvimento de nervos e vasos sanguíneos.

A efrina é um dos axônios que orienta moléculas durante o desenvolvimento do sistema nervoso central. Sua pesquisa analisa o papel de uma das proteínas transmembranares receptoras da Efrina, a Ephrin-B2, no desenvolvimento de angiogênese.[8] No entanto, a validade do estudo de dados foi colocada sob o escrutínio da revista por conta de figuras questionáveis.[9] Para esclarecer a situação, uma carta, juntamente com informações complementares, foram emitidas pelos autores explicando os erros. De acordo com a revista, ainda que algumas imagens não tenham sido corretamente distinguidas, os erros não têm nenhum efeito sobre o experimento original e a conclusão. Os autores realizaram também um outro experimento para verificação de resultados.[10]

Prêmios e distinções[editar | editar código-fonte]

  • Recebeu uma bolsa de doutoramento do governo espanhol (1992 - 1996)[11]
  • Doutorou-se com distinção na Universidade de Valencia, Espanha (1997)
  • Eleita Fellow Europeia do "Training and Mobility of Researchers Programme" (1997 - 1999)[12]
  • Ganhou 60.000 Euros do Prêmio Paul Ehrlich & Ludwig Darmstaeder para Jovens Investigadores
  • Recebeu o Gutenberg Research Fellowship Award (2012)
  • Eleita uma Max Planck Fellow no Instituto para a Pesquisa do Cérebro (2014)
  • Recebeu um prêmio de 2,5 milhões de euros do Conselho Europeu de Investigação (ERC) (2015)[13]

Publicações selecionadas[editar | editar código-fonte]

Referências