Michel Mayor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Michel Mayor Medalha Nobel
Nascimento 12 de janeiro de 1942 (77 anos)
Echallens
Nacionalidade Suíço
Cidadania Suíça
Alma mater Universidade de Genebra, Universidade de Lausanne
Ocupação professor universitário, astrofísico, astrônomo, físico
Prêmios Prêmio Marcel Benoist (1998), Prêmio Balzan (2000), Medalha Albert Einstein (2004), Prêmio Shaw de Astronomia (2005), Medalha Karl Schwarzschild (2010), Prêmios Fronteiras do Conhecimento (2011), Medalha de Ouro da RAS (1915), Prêmio Tycho Brahe (2015), Prêmio Wolf de Física (2017), Prêmio Nobel de Física (2019)
Empregador Observatório de Genebra, Observatório de Genebra, Universidade de Genebra
Campo(s) astronomia

Michel Gustave Édouard Mayor (Echallens, 12 de janeiro de 1942) é um astrônomo suíço.

Em 1995, junto com Didier Queloz, descobriu o primeiro Planeta extra-solar, 51 Pegasi. Os astrônomos usaram o método de velocidade radial no Observatório de Genebra.

Foi distinguido com o Prémio Nobel da Física em 2019 em conjunto com Didier Queloz pela sua descoberta do exoplaneta 51 Pegasi.[1]

Referências

  1. Nobel.se. «Nobel 2019 in Physics». Consultado em 8 de outubro de 2019 
Precedido por
James Peebles
Medalha Dirac do ICTP
2005
com Geoffrey Marcy
Sucedido por
Saul Perlmutter, Adam Riess e Brian Schmidt
Precedido por
Carlos Frenk e John Zarnecki
Medalha de Ouro da Royal Astronomical Society
2015
Sucedido por
John David Barrow e Philip England
Precedido por
Edward Witten
Prêmio Kyoto
2015
Sucedido por
Precedido por
Arthur Ashkin, Gérard Mourou e Donna Strickland
Nobel de Física
2019
com James Peebles e Didier Queloz
Sucedido por


Ícone de esboço Este artigo sobre um astrônomo/astrónomo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.