Roger Caillois

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Roger Caillois
Nascimento 3 de março de 1913
Reims
Morte 21 de dezembro de 1978 (65 anos)
Nacionalidade francês
Ocupação sociólogo, crítico literário, ensaísta
Principais trabalhos Les Jeux et les hommes, L'Homme et Le Sacré, Le Mythe et L'Homme

Roger Caillois (Reims, 3 de março de 1913Paris, 21 de dezembro de 1978) foi um sociólogo, crítico literário e ensaísta francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Callois nasceu em Reims, mas se mudou para Paris ainda quando criança. Na infância leu milhares de livros, destacando-se As Índias Negras de Júlio Verne como influência germinal[1]
Frequentou a Escola Normal Superior, dedicando-se desde cedo ao ensaio sobre temas sociológicos e literários. Diplomado em Gramática, num tom austero e polêmico, depois de fixar os termos da crítica literária, foi responsável por um regresso a um classicismo pautado pela razão e pelas regras, e combateu a falta de originalidade em poesia. Foi eleito para a Academia Francesa em 1971, na qual ocupou a cadeira 3.

Obras principais[editar | editar código-fonte]

  • Le Mythe et l’Homme (1938),
  • L’Homme et le Sacré (1939);
  • Puissances du roman (1942),
  • Le Rocher de Sysiphe (1945),
  • Vocabulaire Esthétique (1947),
  • Babel (1948),
  • Les Impostures de la Poésie (1954),
  • Poétique de Sant-John Perse (1954),
  • Les Jeux et les Hommes (1957)
  • Art Poétique (1958),
  • Au Coeur du fantastique (1965),
  • Cases d’un échiquier (1970),
  • La Pieuvre, essai sur la logique de l’imaginaire (1973)
  • Obliques (1975)

Referências

  1. Revista COLÓQUIO/Letras n.º 52 (Novembro de 1979). Roger Caillois e o seu duplo, pág. 23.

Precedido por
André Malraux
Olivenkranz.png Correspondente da ABL - cadeira 13
1977 — 1978
Sucedido por
Jean d'Ormesson


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.