Eusébio de Matos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde novembro de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Eusébio de Matos e Guerra
Nome completo Eusébio de Matos e Guerra
Nascimento 1629
Salvador
Morte 7 de julho de 1692 (63 anos)
Salvador
Nacionalidade Portugal Portugal
Ocupação Poeta, orador e pintor

Eusébio de Matos e Guerra (Salvador, 16297 de julho de 1692) foi um orador , pintor e poeta de nacionalidade portuguesa nascido no Brasil colônia que atuou no Brasil entre 1629 e 1692; era irmão de Gregório de Matos. Aparentemente foi aluno dos pintores da comitiva de Maurício de Nassau, sendo fundador da "escola baiana" de pintura.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Eusébio de Matos nasce na Bahia em 1629. Em 1636, nasce seu irmão, o poeta Gregório de Matos. Em 1644, Eusébio de Matos professa na Companhia de Jesus. Representa, em 1659, os interesses de sua família em transação com os colégios dos jesuítas da Bahia e de Santo Antão de Lisboa. É chamado a Lisboa para ser nomeado orador do rei – e impedido de ir por seus superiores (1669). Publica em Lisboa o Ecce Homo (1677). Abandona a Companhia de Jesus e ingressa na Ordem do Carmo, com o nome de frei Eusébio da Soledade (1680). Publica em Lisboa, em 1681, o Sermão da soledade e lágrimas de Maria Santíssima Senhora Nossa. Nesse mesmo ano, Antônio Vieira retorna à Bahia. Em 1694, depois de sua morte, foram publicados em Lisboa sermões até então inéditos seus. Em 1923, foi publicado no Rio de Janeiro, na "Estante Clássica da Revista de Língua Portuguesa", o Ecce Homo).

Eusébio da Soledade também é autor da famigerada obra São Pedro Arrependido, que até o final da década de 1940, encontrava-se na Capela do Eremitério Beneditino da Ponta do Monteserrat, no Bairro de Itapagipe, Salvador - BA.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Louzada, Júlio. Os Primeiros Momentos da Arte Brasileira. [1]
  • Cinemateca Brasileira - CB/Ficha Filmográfica, filme: Cidade do Salvador (1949), dir: Mauro, Humberto; Obra encomendada pelo INCE - Instituto Nacional do Cinema Educativo.
  • MATOS, Eusébio. A Paixão de Cristo Senhor Nosso. Notas de José Américo Miranda. Belo Horizonte: UFMG, 2007.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ver também[editar | editar código-fonte]