Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Lindsey Vonn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Esquiador alpino Lindsey Vonn
2017 Audi FIS Ski Weltcup Garmisch-Partenkirchen Damen - Lindsey Vonn - by 2eight - 8SC9780.jpg
Vonn após uma prova em 2017
Informações pessoais
Nome completo Lindsey Caroline Kildow
País  Estados Unidos
Data de nasc. 18 de outubro de 1984 (34 anos)
Local de nasc. Saint Paul, Minnesota
Altura 1,79 m
Peso 75 kg
Jogos Olímpicos
Participações 4 (2002, 2006, 2010, 2018)
Medalhas 3 (1 ouro)
Campeonato Mundial
Participações 6 (2005–17)
Medalhas 8 (2 ouros)
Copa do Mundo
Temporadas 16
Vitórias 82
Pódios 137
Títulos 4 (2008, 2009, 2010, 2012)
Por disciplina 16 (8 DH, 5 SG, 3 CB)
Última atualização em: 11 de fevereiro de 2019.

Lindsey Caroline Vonn (nascida Kildow; Saint Paul, Minnesota, 18 de outubro de 1984) é uma esquiadora profissional americana aposentada. Ela ganhou quatro vezes o título geral da Copa do Mundo de esqui alpino (sendo uma das duas únicas esquiadoras do sexo feminino a conseguir tal feito, a outra é Annemarie Moser-Pröll), foram três títulos consecutivos em 2008, 2009 e 2010,[1] além de outro em 2012.[2] Vonn conquistou a medalha de ouro no downhill dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2010, o primeiro de uma mulher americana na modalidade.[3] Ela também ganhou seis títulos consecutivos da Copa do Mundo na disciplina de downhill (2008-2013), quatro títulos consecutivos em super-G (2009-2012), e três títulos consecutivos no combinado (2010-2012).[4]

Vonn é uma das seis mulheres[5] que conseguiram vencer corridas da Copa do Mundo em todas as cinco disciplinas do esqui alpino: downhill, super-G, slalom gigante, slalom e combinado. Com um total de 82 vitórias em etapas da Copa do Mundo em toda a sua carreira, se tornou a recordista,[6] superando Annemarie Moser-Pröll, da Áustria, que conseguiu 62 triunfos.[7] À sua frente segue apenas o sueco Ingemar Stenmark, que venceu 86 vezes.[8] Com o seu ouro olímpico e duas medalhas de bronze, além de duas medalhas de ouro no Campeonato Mundial em 2009 (mais três medalhas de prata em 2007/2011) e quatro títulos globais da Copa do Mundo, Vonn se tornou a esquiadora americana mais bem sucedida da história.[9]

Em 2010, Vonn foi condecorada com o Laureus.[10] Ela também foi homenageada como a esportista do ano pela USOC[11] e pela AP[12], além do Princesa das Astúrias em 2019.[13] Ao longo da carreira sofreu várias lesões que a fizeram perder partes de várias temporadas, incluindo quase toda a temporada de 2014 e a maior parte da temporada de 2013. Enquanto se recuperava de uma lesão, ela trabalhou como correspondente da NBC, cobrindo as Olimpíadas de Inverno de 2014 em Sochi, na Rússia. Em fevereiro de 2019, ela anunciou sua aposentadoria, citando principalmente as lesões como causa principal.

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Nascida em Saint Paul, Minnesota, Lindsey Caroline Kildow é a filha de Linda Anne (nascida Krohn) e Alan Lee Kildow.[14] Ela foi criada na área metropolitana de Burnsville. Seu primeiro contato com esquis foi aos dois anos de idade, antes de se mudar para um programa de desenvolvimento mais renomado no Buck Hill,[15] que também teve Kristina Koznick como aluna.

Quando Vonn completou dez anos, ela conheceu a medalhista de ouro olímpico Picabo Street, a quem considera sua heroína e referência no esporte.[16] O encontro causou uma boa impressão em Picabo, e com o tempo ela acabou se tornando mentora de Vonn no esqui.[17] Vonn foi ao Colorado durante vários anos para treinar antes de sua família se mudar definitivamente para Vail no final de 1990.[18]

Por não ter muito tempo livre, Lindsey Vonn teve uma educação não convencional feita através de um programa de correspondência com a Universidade do Missouri.[19]

Vida Profissional[editar | editar código-fonte]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Lindsey Vonn na Suiça em 2007.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Vonn aprendeu a esquiar com seu avô, Don Kildow, em Milton, Wisconsin.[20] Ela começou a esquiar quando criança em Burnsville, Minnesota, no Buck Hill Ski and Snowboard, e também durante as férias em família que incluíam 16 horas de viagem de Minnesota a Vail. Quando Lindsey tinha 7 anos, ela havia esquiado em Minnesota, Colorado e Oregon o ano todo. Ao esquiar no Colorado, ela teve aulas no Ski Club Vail (SCV), um programa de corridas alpinas (posteriormente ampliado e renomeado como Ski & Snowboard Club Vail) que ensinava e ainda ensina esquiadores a partir dos 6 anos de idade.[21] Durante seu primeiro ano na SCV, Lindsey esquiou sob o comando da técnica de esqui Colby S. Scudder, a única técnica feminina de Vonn no programa "pré-idade da classe" do Ski Club Vail. O programa foi dirigido por Tom Krebsref>«Tom Krebs». Vail Daily.com. 20 de abril de 2013. Consultado em 20 de abril de 2013 </ref> que disse aos treinadores da Gravity Corps para não treinar os esquiadores dentro dos limites da pista, mas sim desenvolver suas habilidades de esqui em todas as montanhas e desenvolver seu conforto na "linha de outono" (nome a rota mais direta em uma pista de esqui), garantindo que as crianças fossem expostas ao máximo de terreno possível, a "versatilidade e exposição a diversos terrenos desafiadores" era a diretiva do ensino.[22] Naquela época, o programa de esqui pré-idade da Gravity Corps consistia em múltiplos grupos de 8 a 10 esquiadores; era o único local de SCV aberto no clube para esquiadores mais jovens que ainda não tinham idade suficiente para participar de eventos sancionados da Federação Internacional de Esqui (FIS).

Lindsey e outros membros de seu grupo, ficaram em primeiro, segundo e terceiro lugares, em corridas não-oficiais, nas quais todos os esquiadores participaram de uma reunião coletiva não oficial. No final da primeira temporada de Vail, a mãe de Lindsey perguntou se o treinador achava que Lindsey era uma esquiadora lenta; a resposta foi um enfático "NÃO", Lindsey definitivamente não era uma esquiadora lenta. Foi mencionado que, se alguém dissesse que Lindsey estava devagar, era provável porque essa pessoa não estava reconhecendo que Lindsey estava em um surto perpétuo de crescimento e que a pessoa dizendo que Lindsey estava devagar não estava considerando que as mudanças na altura de Lindsey afetaram seu centro de gravidade, etc., e confiança no esqui, e assim a pessoa que descreveu Lindsey como esquiando lentamente não estava reconhecendo as diferenças entre um jovem esquiador em crescimento contra uma jovem esquiadora (que, aos 11 anos, estava a uma altura acima dos seus pares) - que, na opinião do SCV Gravity Corps Coach, resultou no comentário "lento" devastadoramente impreciso. As palavras usadas por Colby S. Scudder eram mais coloridas e muito menos diplomáticas. Com base na velocidade recém-confirmada de Lindsey, e a indagação de sua mãe, perguntaram sobre como matricular Lindsey no programa "Age-Class" mais antigo, que, segundo eles, havia negado anteriormente o pedido de matrícula.

O treinador apoiou a ideia de esquiar com esquiadores de "classe etária" maior. Na temporada seguinte, com a aprovação final do diretor, Lindsey foi inscrita no "programa de classe etária", sob o comando técnico da SCV Alpine "Reid Phillips, Chip Woods, Todd A. Rash e Gus Pernetz, etc., que coletivamente aperfeiçoaram as habilidades técnicas iniciais de Lindsey e iniciaram seu treinamento.[23]

No final da década de 1990, Lindsey, seus irmãos e sua mãe pararam de viajar de Minnesota para o Colorado e, em vez disso, mudaram-se para o Colorado para esquiar exclusivamente no Ski Club Vail. Durante seu primeiro ano de VDG em Vail, Lindsey e uma de suas irmãs esquiaram juntas no mesmo grupo. Foi durante a primeira temporada que Lindsey e sua família estavam pensando se toda a família deveria se mudar de Minnesota para o Colorado. "Vail foi maravilhoso para mim", disse Lindsey, "mas eu sentia falta de todas as coisas tradicionais da infância - noites de folga, danças escolares, fazer amigos de maneira convencional. Na metade da segunda temporada, os irmãos de Lindsey também se mudaram para Vail. "Meus irmãos e irmãs deixaram seus amigos para mim. Isso foi estressante para eles. Eu me senti muito culpada".

No entanto, a mudança foi recompensada porque, em 1999, Lindsey Kildow e Will McDonald se tornaram os primeiros atletas americanos a vencer os eventos de slalom "Cadetes" no Trofeo Topolino di Sci Alpino da Itália.[24] Em 1986, o herói de Lindsey, Picabo Street, participou, mas não obteve medalha, no mesmo evento de Topolino. Em 1995, aos 10 anos, Lindsey conheceu Street pessoalmente em um evento promocional. Alguns anos mais tarde, "Street ficou perplexo assistindo Lindsey de 15 anos pela primeira vez em 1999. Ela ficou maravilhada com a habilidade de Vonn em seguir a linha de outono. Quanto mais rápido ela ia, maior ficava o sorriso que ela esboçava, disse Street. "Você não pode ensinar alguém a amar a linha de outono como aquela garotinha que amava a linha de outono".[25]

Sua estreia na Copa do Mundo aconteceu aos 16 anos, no dia 18 de novembro de 2000, em Park City, Utah.[26]

2002-2005[editar | editar código-fonte]

Sua primeira participação olímpica foi em 2002, nos Jogos Olímpicos de Inverno de Salt Lake City, onde disputou o slalom e o combinado, tendo como melhor resultado uma sexta colocação.[27] Em 4 de março de 2003 ela ganhou uma medalha de prata nas descidas do Campeonato Mundial Júnior em Puy St Vincent, França.[28]

Em 24 de março de 2004, Vonn foi medalhista de prata nas descidas do campeonato alpino dos EUA, realizado em Jackson, Wyoming. Em dezembro do mesmo ano Vonn alcançou a primeira vitória na Copa do Mundo após vencer o downhill em Lake Louise, Alberta.[29] Ela ainda levaria mais cinco pódios na Copa do Mundo ao longo dos dois meses seguintes.

Em 2005, ela competiu em quatro corridas no seu primeiro Campeonato Mundial realizado em Bormio, Itália, onde conseguiu um quarto lugar como melhor resultado, tanto no downhill quanto no combinado. Vonn foi a nona colocada no super-G e não conseguiu terminar o slalom gigante. Ela citou a aparição inesperada de seu pai, com quem tinha uma relação tensa, para justificar seu desempenho.[30]

2006-2007[editar | editar código-fonte]

Em seu segundo Jogos Olímpicos de Inverno, em 2006, Vonn sofreu uma queda quando fazia uma descida em San Sicario, Itália. Ela foi socorrida e levada de helicóptero para Turim, sendo internada durante a noite. Apesar de lesionada no quadril, Lindsey voltou a competir dois dias depois e terminou em oitavo lugar no downhill.[31] O desempenho corajoso lhe rendeu o Prêmio Espírito Olímpico dos EUA, que teve votos de fãs americanos, companheiros de equipe, ex-atletas olímpicos e membros da mídia.[32]

Vonn conseguiu seu primeiro "grande resultado" quando faturou duas medalhas de prata (downhill e super-G) no Campeonato Mundial de 2007, em Are, Suécia.[33] Um acidente no treinamento antes do slalom lhe causou uma entorse no joelho direito, fato que lhe forçou a encerrar a sua temporada quatro semanas mais cedo. O afastamento não lhe impediu de ficar em terceiro lugar nas disciplinas de downhill e super-G da Copa do Mundo de 2007.

2008-2010: Três títulos consecutivos[editar | editar código-fonte]

Lindsey Vonn campeã geral na Copa do Mundo de 2008.

Em 2008, Lindsey Vonn ganhou o título geral da Copa do Mundo de esqui alpino, tornando-se, ao lado de Bode Miller, os dois primeiros americanos a ganharem o título geral da competição juntos depois de 25 anos, quando Tamara McKinney e Phil Mahre venceram em 1983. Ela também foi campeã geral no downhill, fazendo desta sua primeira grande temporada na carreira.[34] Vonn também estabeleceu um novo recorde de vitórias para um esquiador dos Estados Unidos no downhill com dez conquistas, sendo a última em Crans-Montana.[35]

No campeonato mundial de 2009, disputado em Vale de Isère, na França, Vonn se tornou a primeira americana da história a ganhar uma medalha de ouro na prova do super-G. Já na prova do combinado ela foi desclassificada, mas obteve a medalha de ouro no Downhill. Quando comemorava a conquista de sua segunda medalha de ouro, uma garrafa de champagne estourou em sua mão, cortando o tendão do seu polegar. Após uma cirurgia de emergência, ela acabou não disputando a prova de slalom, mas com uma proteção que pesava quase dois quilos na mão, participou do slalom gigante, onde sofreu uma pequena queda na segunda descida e não teve mais chances de medalhas na competição.[36]

Vonn comemora título de 2010.

Vonn se recuperou rapidamente do incidente, voltou a vencer provas de super-G pela Copa do Mundo e no dia 11 de março garantiu a conquista do título de campeã geral por antecipação, após terminar o downhill na primeira colocação, modalidade que também foi campeã, assim como no super-G. Ela se tornou também a primeira americana na história a conseguir dois títulos da Copa do Mundo de esqui alpino.[37]

Em 2010 Vonn começou bem sua caminhada para manter o título na Copa do Mundo de Esqui Alpino, obteve nove vitórias sendo que na etapa de Haus im Ennstal foram três triunfos consecutivos, feito inédito na sua carreira.[38] Lindsey Vonn conquistou o título geral do super-G com antecipação e chegou com status de favorita nas Olimpiadas de Inverno de 2010, onde logo em sua primeira prova, o Downhill, levou a medalha de ouro,[39] primeiro ouro olímpico de sua carreira, além de um bronze na prova do Super-G.

Vonn acabou conquistando o título geral da Copa do Mundo de esqui alpino pela terceira vez, levando também os títulos nas disciplina de downhill, super-G e combinado.[40] Quando venceu o último super-G da temporada, ela aumentou o seu número de triunfos totais na Copa do Mundo para 33, superando Bode Miller como um atleta dos EUA que mais vitorioso da história.[41] O terceiro título da Copa do Mundo no geral consecutivo também a fez igualar o recorde do americano Phil Mahre, sendo que Vonn foi a terceira mulher a conseguir tal feito, depois de Petra Kronberger, que também venceu três vezes seguidas, e Annemarie Moser-Pröll, que levou o título cinco vezes.[42] Vonn também foi nomeada pela Associated Press como a atleta feminina do ano em 2010.[12]

2011: A perda do título por 3 pontos[editar | editar código-fonte]

Depois de vencer a Copa do Mundo em três anos consecutivos, Vonn sentiu a chegada de uma forte concorrente em 2011, a sua melhor amiga no circuito Maria Riesch. A esquiadora alemã teve um início de temporada muito forte, conseguindo duas vitórias em Lake Louise, onde Vonn já havia vencido sete vezes até então. Lindsey não conseguia terminar as provas de slalom enquanto Riesch estava sempre no pódio.[43]

A Copa do Mundo acabou sendo interrompida para a realização do Campeonato Mundial, em Garmisch-Partenkirchen, na Alemanha. Vonn havia sofrido um concussão na semana anterior ao evento e acabou competindo em apenas duas provas, conseguindo um sétimo lugar no super-G e uma medalha de prata no downhill.[44]

No retorno da Copa do Mundo Vonn estava saudável novamente. Ela conseguiu ótimos resultados e quase sempre terminava as provas à frente de Riesch. Assim veio a liderança na classificação geral após a prova de downhill no primeiro dia da etapa final de Lenzerheide, na Suiça, vencida por sua compatriota Julia Mancuso.[45] No dia seguinte, a prova do super-G acabou sendo cancelada devido à más condições climáticas, e após a disputa do slalom Riesch recuperou a liderança com uma margem de apenas três pontos.[46]

Lindsey Vonn havia chegado muito perto de conquistar mais um título na Copa do Mundo de Esqui Alpino, mas acabou mesmo perdendo para Maria Riesch por apenas três pontos. A definição veio no último dia de competição com o cancelamento da prova de giant slalom, devido ao mau tempo, e assim com 1728 pontos contra 1725, a alemã foi declarada campeã.[47]

2012: A quarta conquista[editar | editar código-fonte]

Vonn faz arremesso simbólico em partida de beisebol.

Em 2012 Vonn se recuperou e faturou o título de campeã geral da Copa do Mundo pela quarta vez na carreira.[48] A temporada começou em Sölden, na Áustria, onde ela conseguiu sua primeira vitória no slalom gigante. O resultado a fez se tornar a sexta esquiadora com pelo menos uma vitória em cada uma das disciplinas do esqui alpino.[49]

Entre os dias 2 e 4 de dezembro de 2011, Vonn venceu todas as três corridas disputadas em Lake Louise (dois downhills e um super-G) conseguindo assim seu segundo hat trick na carreira, sendo a última a sua décima primeira vitória em Lake Louise.[50] Com este resultado ela superou o recorde de Renate Götschl de maior vitoriosa em um único resort (Götschl alcançou dez triunfos em Cortina d'Ampezzo).[51] Em 7 de dezembro de 2011, Vonn conseguiu sua primeira vitória competindo nos Estados Unidos, em Beaver Creek, Colorado. Foi a primeira vitória em casa de uma mulher americana em 17 anos, o fato não acontecia desde que Hilary Lindh, do Alasca, venceu o downhill nas proximidades Vail em dezembro de 1994.[52]

Com mais alguns triunfos, Vonn ultrapassou Renate Götschl e se tornou a terceira maior vencedora de provas individuais da Copa do Mundo em todos os tempos.[53] No dia 4 de fevereiro de 2012, Vonn conseguiu sua quinquagésima vitória na Copa do Mundo, quando triunfou na prova de downhill em Garmisch, Alemanha. Essa foi a sua 25ª vitória em downhill na carreira, o que a fez superar Götschl mais uma vez e se tornar assim a segunda esquiadora com mais vitórias em DH.[54] Mais tarde, com um pódio na Rússia em 18 de fevereiro de 2012, Vonn assegurou o título de campeã geral da temporada no downhill, o seu quinto consecutivo nesta disciplina.[55]

2013: Prejudicada por lesões[editar | editar código-fonte]

Em 2013 Vonn teve um início lento devido à problemas de saúde. Ela retornou ao circuito a tempo de competir nas provas de velocidade e conseguiu vencer mais uma vez as três disputas em Lake Louise. Foi o seu terceiro hat trick na carreira, o que a fez aumentar para 14 o recorde de maior número de vitórias em um mesmo resort.[56] O expressivo resultado fez Lindsey Vonn alcançar a sua vitória número 56 na Copa do Mundo, o que a fez superar Vreni Schneider para se tornar a segunda maior vencedora da história, ficando atrás apenas de Annemarie Moser-Pröll, que venceu 62 vezes.[57]

Após mais alguns resultados ruins, Vonn decidiu fazer uma pausa e anunciou no Facebook seu afastamento das competições a fim de se recuperar totalmente do seu problema de saúde.[58] Quando retornou ela ficou em sexto lugar no seu primeiro downhill.[59] Duas semanas mais tarde venceu o downhill em Cortina d'Ampezzo e uma semana depois foi a primeira colocada no giant slalom de Maribor, na Eslovênia.[60]

No campeonato mundial, disputado em Schladming, na Áustria, Vonn sofreu uma queda durante a disputa do super-G e foi socorrida por um helicóptero e levada a um hospital próximo. Ela sofreu rompimentos em duas ligações do joelho direito e precisou ser submetida a uma cirutgia.[61] Apesar da lesão, Vonn se declarou otimista em relação a sua participação nos Jogos Olímpicos de 2014.[62] Com o fim da temporada, mesmo sem voltar a competir, Vonn assegurou o seu sexto título consecutivo no downhill.[63]

2014: Fora das Olimpíadas[editar | editar código-fonte]

Visando a temporada de 2013-2014 e os Jogos Olímpicos de Sochi, Lindsey voltou aos treinos no dia 31 de agosto de 2013, em Portillo, no Chile. O retorno após a cirurgia no joelho direito aconteceu bem antes do previsto, deixando a esquiadora com boas esperanças para competir novamente.[64] No final de outubro de 2013, após mais alguns testes em Sölden, Vonn decidiu não participar da etapa de abertura da Copa do Mundo de Esqui Alpino e retornar para sua casa em Vail, visando dar continuidade aos treinos e se preparar para o retorno em Beaver Creek.[65]

No dia 20 de novembro de 2013, enquanto fazia seu último treino em Copper Mountain, Colorado, Vonn acabou sofrendo uma queda que lhe causou uma lesão parcial no ligamento cruzado anterior no joelho direito, além de uma distensão leve. O retorno às competições em Beaver Creek foi cancelado e a atleta tirou alguns dias de descanso antes de dar início à fisioterapia de recuperação.[66] No dia 6 de dezembro, quase uma semana após a etapa de Beaver Creek, Lindsey Vonn retornou às competições na Copa do Mundo de Esqui alpino competindo na prova de downhilll em Lake Louise, no Canadá.[67] Sentindo a falta de ritmo após dez meses afastada do circuito, ela terminou apenas com a 40ª colocação.[68] No dia seguinte Vonn melhorou e terminou em 11º lugar, sendo a melhor americana entre todas as finalistas[69] e, em 8 de dezembro, desta vez competindo na prova do super G, ela melhorou ainda mais o seu desempenho e acabou na quinta colocação.[70]

Vonn decidiu se afastar das competições para visar sua recuperação plena, mas em 7 de janeiro, um mês antes do início das Olimpíadas de Sóchi, ela anunciou que não iria participar da competição porque não se sentia totalmente recuperada de sua cirurgia no joelho.[71]

2015: O ano dos recordes[editar | editar código-fonte]

Recuperada das lesões que sofreu no joelho, Vonn retornou às competições 5 de dezembro de 2014 e, já no dia seguinte, conseguiu alcançar a vitória na prova de downhill em Lake Louise, Canadá.[72] Já nos dias 18 e 19 de jeniro de 2015, Vonn fez história na etapa de Cortina D’Ampezzo, na Itália. Ao vencer a prova de downhill, ela igualou o recorde de Annemarie Moser-Pröell, de 62 vitórias em Copas do Mundo, que já durava 35 anos.[73]. No dia seguinte, com uma vitória no super G, ela superou a austríaca e estabeleceu um novo recorde de vitórias.[6]

Em 18 de março, Vonn ganhou a última corrida de downhill da Copa do Mundo em Meribel, na França, garantindo assim o título da modalidade pela sétima vez em sua carreira. Com o resultado a americana igualou o recorde de Moser-Pröll de sete globos de ouro em apenas uma disciplina.[74] No dia seguinte Vonn alcançou sua oitava vitória na temporada na última etapa do super G, o que lhe garantiu o título da disciplina. Este foi o seu quinto título de super G, o que a fez igualar os recordes de Katja Seizinger, Hermann Maier e Aksel Lund Svindal. Com 19 globos de cristal, sendo 15 de disciplina e quatro no geral, Vonn igualou também a marca alcançada por Ingemar Stenmark e ao chegar ao seus 113º pódio, ela igualou outro recorde de Moser-Pröll.[75][76]

2016[editar | editar código-fonte]

No início da temporada Vonn venceu três etapas da Copa do Mundo em Lake Louise, sendo este seu terceiro hat-trick da carreira. Os resultados a fizeram aumentar sua vantagem como a maior vencedora de etapas da Copa do Mundo e, com o 25º título de Super G, ela superou o recorde do austríaco Hermann Maier e se tornou a maior vencedora da disciplina em ambos os sexos.[77] Em janeiro, com uma vitória em Altenmarkt-Zauchensee, Áustria e outra em Cortina d'Ampezzo, Itália, Vonn superou o recorde de Annemarie Moser-Pröll e se tornou a maior vencedora de provas de downhill na Copa do Mundo com 37 conquistas.

2017[editar | editar código-fonte]

Em 11 de novembro de 2016, Vonn anunciou em sua página do Facebook que ela tinha uma fratura no osso do úmero do braço direito ocorrida durante em um acidente de treinamento. Ela havia sido submetida a uma cirurgia para reparar o osso.[78] Vonn voltou à Copa do Mundo em 15 de janeiro de 2017, na corrida de downhill em Altenmarkt; ela terminou em 13º lugar. No dia 20 de janeiro, em sua segunda corrida após a lesão, ela ganhou o evento de downhill em Garmisch-Partenkirchen, na Alemanha, conquistando a sua 77ª vitória na carreira.[79]

2018[editar | editar código-fonte]

Depois de várias lesões e limitações, Vonn só foi capaz de realizar seu treinamento regular no verão, que foram feitos na Nova Zelândia e no Chile, onde era inverno. Ela fez sua disputa em Sölden, onde terminou apenas com o com 34º lugar. [80] Vonn conseguiu sua primeira vitória no Super-G em Val d'Isere, após onze meses e, assim, conquistou vitória de número 78 na Copa do Mundo. Após um início modesto e apenas 36 pontos nas três primeiras corridas, ela conseguiu um segundo lugar no downhill e finalmente 4 vitórias nas últimas 4 descidas, o que tornou a luta pela bola de cristal mais acirrada. No entanto, como sua rival Sofia Goggia terminou em segundo nas últimas três corridas, Vonn perdeu por 3 pontos, apesar de ter o dobro de vitórias de Goggia. Vonn chegou a 82 vitórias na Copa do Mundo e ficou a apenas 4 vitórias do melhor de todos os tempos Ingemar Stenmark .

Em 8 de dezembro de 2017, Vonn declarou em uma entrevista que não representaria o presidente dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 e não participaria de uma visita à Casa Branca caso ganhasse uma medalha de ouro. Vonn deixou claro em sua declaração que ela sente que todos os atletas olímpicos representam o povo dos Estados Unidos e não os seus líderes. Ela foi citada em um artigo da CNN dizendo: "Bem, espero representar o povo dos Estados Unidos e não o Presidente".[81] Em sua participação nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, em Pyeongchang, ela ganhou a medalha de bronze no downhill e chegou em sexto lugar no Super-G.[82]

2019: A aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2018, antes do início da Copa do Mundo de Esqui Alpino de 2018-19, Vonn anunciou que se aposentaria das competições no final da temporada. Tendo sugerido anteriormente que continuaria até quebrar o recorde de Stenmark de maior número de vitórias na Copa do Mundo, ela confirmou que se aposentaria em 2019, independentemente de ter conseguido ultrapassar a marca de Stenmark ou não, explicando que - "fisicamente, cheguei ao ponto onde não faz sentido ... Eu realmente gostaria de ser ativa quando for mais velha, então eu tenho que olhar para o futuro e não apenas ser tão focada no que está na minha frente ". Ela também disse que pretendia competir em todos os downhills e super-Gs na temporada da Copa do Mundo, planejando fazer sua estréia em Lake Louise no final de novembro.[83] No entanto, no mês seguinte, ela machucou o joelho enquanto treinava, forçando-a a sair das corridas em Lake Louise.[84] Posteriormente, ela anunciou que iria atrasar sua aposentadoria para que ela pudesse competir em Lake Louise na temporada seguinte.[85]

Vonn finalmente fez sua estréia na temporada em janeiro, competindo em Cortina d'Ampezzo. Ela terminou em 15º e 9º lugar em duas provas de downhills[86] antes de não conseguir terminar o super-G: após a última corrida ela disse aos repórteres que estava pensando em se aposentar imediatamente, afirmando que ela "daria alguns dias e tomaria algumas decisões".[87] Em 1 de fevereiro de 2019, Vonn anunciou que iria se aposentar após o Campeonato Mundial de 2019 que aconteceria na Suécia.[88] Em 10 de fevereiro de 2019, depois que ela ganhou uma medalha de bronze no downhill feminino, ela finalmente se aposentou do circuito de corridas, com o desejo de receber flores de Ingemar Stenmark, sendo essa uma forma de adeus sendo cumprido.[89] Com a conquista do bronze, ela se tornou a mulher mais velha a ganhar uma medalha em um campeonato mundial (aos 34 anos) e a primeira mulher a receber seis medalhas do campeonato mundial.[90]

Jogos Olímpicos[editar | editar código-fonte]

Olimpíadas de Inverno de 2002[editar | editar código-fonte]

Com apenas 17 anos Vonn competiu no slalom e no combinado, sendo que neste último conseguiu uma sexta colocação, a melhor posição que uma esquiadora já havia conseguidos em todos os tempos. O fato inédito acabou não chamando muito a atenção, pois havia outros acontecimentos com maior relevância, assim poucos repórteres falaram com a esquiadora após o evento.[27]

Olimpíadas de Inverno de 2006[editar | editar código-fonte]

Durante o treinamento para o downhill, Vonn sofreu uma queda em San Sicario, Itália. Com uma lesão no quadril, ela foi socorrida e transportada de helicóptero para um hospital em Turim.[91] A esquiadora americana foi obrigada a passar a noite internada, tomando analgésicos. Mas apesar das dores, ela insistiu em competir apenas 48 horas após o acidente, e acabou terminando a prova na oitava colocação. Após a disputa ela declarou sobre a importância de competir.[92]

Lindsey Vonn na cerimônia de premiação do downhill nos Jogos Olímpicos.

Olimpíadas de Inverno de 2010[editar | editar código-fonte]

Nas Olimpíadas de Inverno de 2010 Vonn competiria em cinco eventos. Em 10 de fevereiro revelou que estava com uma lesão na tíbia, devido a uma queda que sofreu durante treinamentos que fazia na Europa. Ela disse que a dor da sua lesão era "insuportável" e que teria dificuldade de participar dos Jogos Olímpicos de Inverno.[93]

Devido ao mau tempo e por sua vez, condições ruins da neve e da pista onde se pratica o esqui alpino, muitos dos eventos tiveram que ser adiados por vários dias, dando a Vonn mais tempo para tratar sua lesão e assim se recuperar totalmente. Em 17 de fevereiro, logo na sua primeira disputa, Vonn ganhou a medalha de ouro no downhill,[3] superando sua compatriota Julia Mancuso por 0,56 segundo. No super combinado, Vonn acabou sofrendo uma queda na segunda descida e ficou fora do pódio, mas no dia 20 de fevereiro conseguiu a medalha de bronze no Super-G.[94] Já na prova do Slalom Gigante Vonn caiu mais uma vez e não completou o percurso.[95]

Olimpíadas de Inverno de 2018[editar | editar código-fonte]

Lindsey Vonn voltou a competir em uma Olimpíada depois de oito anos, já que havia ficado fora dos Jogos Olímpicos de Sochi 2014. No dia 17 de fevereiro ela disputou a prova do super-G, sendo a primeira esquiadora à descer, mas acabou cometendo um erro e terminou apenas na sexta colocação.[96]

Na prova de Downhill, que foi realizada no dia 21 de fevereiro, Vonn tentava repetir a medalha de ouro conquistado nas Olimpíadas de Vancouver 2010, mas acabou terminando com a medalha de bronze. Com o resultado ela se tornou a esquiadora mais velha a conquistar um pódio olímpico em uma prova de downhill. Vonn aproveitou os Jogos na Coreia do Sul para homenagear seu avô, que lutou na Guerra da Coreia de 1950 a 1953 e faleceu recentemente. Após a prova de downhill ela também declarou que esta foi sua última Olimpíada.[97]

No dia seguinte Vonn competiu pela última vez em Pyeongchang na prova do combinado. Ela enfrentou sua compatriota Mikaela Shiffrin pela primeira vez em uma competição olímpica, já que Shiffrin havia desistido de disputar o downhill para descansar. Na primeira descida (downhill) Vonn conseguiu marcar o melhor tempo entre as 22 competidoras que completaram o percurso, mas na segunda descida (slalom) ela cometeu um erro e acabou sendo desclassificada. Shiffrin ficou com a medalha de prata.[98]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Lindsey Vonn se casou com Thomas Vonn, atleta olímpico em 2002 e ex-membro da esquipe americana de esquiadores, no dia 29 de setembro de 2007, no Silver Lake Lodge em Deer Valley, Utah.[99] Em novembro de 2011, foi anunciado que o casal tinha começado o processo de divórcio após quatro anos de casamento.[100] O divórcio foi finalizado em 9 de janeiro de 2013.[101]

Vonn apareceu na edição Swimsuit da Sports Illustrated que contou com atletas olímpicos de inverno em 2010.[102] Vonn também foi a 59ª colocada na lista Hot 100 da Maxim naquele ano.[103]

Em 18 de março de 2013, foi anunciado que ela e o golfista Tiger Woods estavam namorando.[104] Desde então, Vonn começou a ser vista em muitos lugares acompanhando o golfista, principalmente durante as competições que Woods participava. Em uma delas, a President's Cup de 2013, a esquiadora acabou inclusive conversando com o ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush que também estava presente.[105] Após quase três anos de relacionamento, o casal anunciou sua separação em uma decisão mútua no dia 3 de maio de 2015.[106] Mais tarde Vonn declarou que o namoro com Tiger Woods havia sido uma "experiência de aprendizagem".[107]

Lindsey Vonn mantém uma grande amizade com a sua rival de competições Maria Riesch, tendo inclusive passado um tempo na casa da amiga onde aproveitou a oportunidade para aprender a falar fluentemente a língua alemã.[108]

Vitórias na Copa do Mundo[editar | editar código-fonte]

Resultados gerais[editar | editar código-fonte]

Vonn com seu oitavo globo de cristal

137 pódios com 82 vitórias[109]

Temporada Prova
2008 Campeã geral
2008 Campeã Downhill
2009 Campeã geral
2009 Campeã Downhill
2009 Campeã Super-G
2010 Campeã geral
2010 Campeã Downhill
Temporada Prova
2010 Campeã Combinado
2010 Campeã Super-G
2011 Campeã Downhill
2011 Campeã Combinado
2011 Campeã Super-G
2012 Campeã geral
2012 Campeã Downhill
Temporada Prova
2012 Campeã Combinado
2012 Campeã Super G
2013 Campeã Downhill
2015 Campeã Downhill
2015 Campeã Super-G
2016 Campeã Downhill

Corridas individuais[editar | editar código-fonte]

Temporada Downhill Super-G Giant Slalom Slalom Combinado Total
2004 – 2005 Canadá Lake Louise 1
2005 – 2006 Canadá Lake Louise
França Val d'Isère
Noruega Kvitfjell 3
2006 – 2007 Canadá Lake Louise
França Val d'Isère
Itália San Sicario 3
2007 – 2008 Canadá Lake Louise
Áustria Sankt Anton
Itália Cortina d'Ampezzo
Itália Sestrières
Suíça Crans-Montana
Áustria Sankt Anton 6
2008 – 2009 Canadá Lake Louise
Suécia Åre
Alemanha Garmisch
Itália Tarvisio
Bulgária Bansko
Suécia Åre
Finlândia Levi
Alemanha Garmisch
Áustria Altenmarkt 9
2009 – 2010 Canadá Lake Louise (2)
Áustria Haus im Ennstal (2)
Itália Cortina d'Ampezzo
Suíça Crans Montana
Áustria Haus im Ennstal
Itália Cortina d'Ampezzo
Suíça Saint-Moritz
Alemanha Garmisch
França Val d'Isère 11
2010 – 2011 França Val d'Isère
Áustria Altenmarkt-Zauchensee
Suécia Åre
Canadá Lake Louise
Itália Cortina d'Ampezzo (2)
Itália Tarvisio
França Val d'Isère 8
2011 – 2012 Canadá Lake Louise (2)
Suíça Saint-Moritz
Alemanha Garmisch
Áustria Schladming
Canadá Lake Louise
Estados Unidos Beaver Creek
Itália Cortina d'Ampezzo
Bulgária Bansko
Áustria Sölden
Suécia Åre
Suíça Saint-Moritz
12
2012 – 2013 Canadá Lake Louise (2)
Itália Cortina d'Ampezzo
Canadá Lake Louise
Suíça Saint-Moritz
Eslovénia Maribor 6
2013 – 2014 0
2014 – 2015 Canadá Lake Louise
França Val d'Isère
Itália Cortina d'Ampezzo
França Méribel
Itália Cortina d'Ampezzo
Suíça Saint-Moritz
Alemanha Garmisch
França Méribel
8
2015 – 2016 Canadá Lake Louise (2)
Áustria Altenmarkt-Zauchensee
Itália Cortina d'Ampezzo
Alemanha Garmisch
Canadá Lake Louise
Áustria Altenmarkt-Zauchensee
Itália Cortina d'Ampezzo
Suécia Åre 9
2016 – 2017 Alemanha Garmisch 1
2017 – 2018 Itália Cortina d'Ampezzo
Alemanha Garmisch (2)
Suécia Åre
França Val d'Isère 5
Total 43 28 4 2 5 82

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Vonn com o globo de cristal na Alemanha
Ano Idade Geral Downhill Super-G G.S. Slalom Comb. City Event
2002 17 93 41 35
2003 18 118 47
2004 19 30 14 20 45 38
2005 20 6 5 Medalha de bronze 35 28 5
2006 21 5 Medalha de prata 4 49 9 Medalha de bronze
2007 22 6 Medalha de bronze Medalha de bronze 37 7
2008 23 Medalha de ouro Medalha de ouro 6 13 46 Medalha de prata
2009 24 Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro 8 Medalha de bronze Medalha de prata
2010 25 Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro 28 14 Medalha de ouro
2011 26 Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de ouro 12 19 Medalha de ouro 5
2012 27 Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de ouro Medalha de prata 20 Medalha de ouro Medalha de bronze
2013 28 8 Medalha de ouro 4 20
2014 29 68 36 25
2015 30 Medalha de bronze Medalha de ouro Medalha de ouro 29
2016 31 Medalha de prata Medalha de ouro Medalha de bronze 18 43 5
2017 32 19 4 12
2018 33 10 Medalha de prata 9 10
2019 34

Referências

  1. «Vonn wins third straight World Cup title». Associated Press (em inglês). ESPN. 12 de março de 2010. Consultado em 6 de junho de 2013 
  2. «Vonn clinches fourth overall title» (em inglês). FIS. Consultado em 16 de maio de 2013 
  3. a b «Vonn wins gold medal for U.S. in Olympic women's downhill event» (em inglês). Sports Illustrated. 17 de fevereiro de 2010. Consultado em 6 de junho de 2013. Arquivado do original em 20 de fevereiro de 2010 
  4. «3rd straight combined» (em inglês). StarTribune. Consultado em 16 de maio de 2013 [ligação inativa]
  5. «Tina Maze makes history again» (em inglês). FIS. Consultado em 16 de maio de 2013 
  6. a b «Lindsey Vonn "voa" para recorde de triunfos em etapas de esqui alpino». Euronews. Consultado em 20 de janeiro de 2015 
  7. «Annemarie Moser-Pröll profile» (em inglês). FIS. Consultado em 16 de maio de 2013 
  8. «Ingemar Stenmark profile» (em inglês). FIS. Consultado em 16 de maio de 2013 
  9. «Vonn Skiing Superstar» (em inglês). Around The Rings. Consultado em 16 de maio de 2013 
  10. «Lindsey Vonn win Laureus» (em inglês). BBC. Consultado em 16 de maio de 2013 
  11. «Lindsey Vonn BIO» (em inglês). US Team. Consultado em 16 de maio de 2013 
  12. a b «AP's Female Athlete» (em inglês). USA Today. Consultado em 20 de maio de 2013 
  13. «Lindsey Vonn distinguida com Prémio Princesa das Astúrias». Record. 15 de maio de 2019. Consultado em 15 de maio de 2019 
  14. «Lindsey Vonn ancestry» (em inglês). Genealogy. Consultado em 17 de maio de 2013 
  15. «Buck Hill Ski Racing Club» (em inglês). Buck Hill. Consultado em 17 de maio de 2013 
  16. «Vonn talks about her hero» (em inglês). Olympic.org. Consultado em 17 de maio de 2013 
  17. «Street congratulates Vonn» (em inglês). Sky racing. Consultado em 17 de maio de 2013 
  18. «Vonn moving to Vail» (em inglês). Minn Post. Consultado em 17 de maio de 2013 
  19. «Vonn: In The Moment» (em inglês). EpixHD. Consultado em 17 de maio de 2013 
  20. Holland, Rebecca (8 de fevereiro de 2018). «Don Kildow, Lindsey Vonn's Grandfather: 5 Fast Facts You Need to Know». Heavy.com (em inglês). Consultado em 12 de fevereiro de 2018 
  21. «Ski and Snowboard Club Vail». Skiclubvail.org. 20 de fevereiro de 2018. Consultado em 20 de fevereiro de 2018 
  22. «Ski and Snowboard Club Vail». Skiclubvail.org. 1 de março de 2017. Consultado em 1 de março de 2017 
  23. «Ski and Snowboard Club Vail». Skiclubvail.org. 1 de março de 2017. Consultado em 1 de março de 2017 
  24. «Lindsey Vonn» (em inglês). Enciclopédia Britânica. Consultado em 18 de maio de 2013 [ligação inativa]
  25. «Bond between Lindsey Vonn and Picabo Street». 18 de janeiro de 2018. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  26. «Lindsey Vonn airlifted to hospital» (em inglês). Daily Mail. Consultado em 18 de maio de 2013 
  27. a b «Lindsey Vonn at the Summit» (em inglês). The New York Times. 3 de fevereiro de 2010. Consultado em 6 de junho de 2013 
  28. «Lindsey Vonn BIO» (em inglês). Biography. Consultado em 3 de maio de 2013 
  29. «Kildow takes first career win» (em inglês). Ski Racing. Consultado em 18 de maio de 2013 
  30. «From Turtle To Snow Hare» (em inglês). Washington Post. Consultado em 18 de maio de 2013 
  31. «Kildow Suffers Crash in Training» (em inglês). NYT. Consultado em 4 de maio de 2013 
  32. «Lindsey Vonn: Biography» (em inglês). TV Guide. Consultado em 20 de maio de 2013 
  33. «Silver for Kildow» (em inglês). USA Today. Consultado em 20 de maio de 2013 
  34. «Lindsey Vonn wins ... downhill» (em inglês). The Seattle Times. Consultado em 1 de maio de 2013 
  35. «Vonn breaks US record» (em inglês). USA Today. Consultado em 20 de maio de 2013 
  36. «Lindsey Vonn injury» (em inglês). USA Today. Consultado em 4 de maio de 2013 
  37. «Lindsey Vonn ... Overall Titles» (em inglês). NYT. Consultado em 6 de maio de 2013 
  38. «Vonn completes hat-trick» (em inglês). USA Today. Consultado em 20 de maio de 2013 
  39. «Vonn gold in downhill» (em inglês). ESPN. Consultado em 6 de maio de 2013 
  40. «Musa Lindsey Vonn leva o tricampeonato geral da Copa do Mundo de esqui». Globo.com. Esporte Brasil. 12 de março de 2010. Consultado em 6 de junho de 2013 
  41. «'Ecstatic' Vonn clinches World Cup overall» (em inglês). Denver Post. 3 de dezembro de 2010. Consultado em 6 de junho de 2013 
  42. «Vonn Wins 3rd Straight» (em inglês). FOX. Consultado em 20 de maio de 2013 
  43. «Schild wins slalom» (em inglês). CBC sports. Consultado em 21 de maio de 2013 
  44. «Downhill results» (em inglês). FIS. Consultado em 21 de maio de 2013. Arquivado do original em 24 de maio de 2012 
  45. «Vonn takes overall» (em inglês). The Washington Post. Consultado em 21 de maio de 2013 
  46. «Riesch back overall» (em inglês). USA Today. Consultado em 21 de maio de 2013 
  47. «Riesch Tops Vonn» (em inglês). NYT. Consultado em 7 de maio de 2013 
  48. «Lindsey Vonn wins fourth overall» (em inglês). Reuters. Consultado em 6 de maio de 2013 
  49. «Vonn Wins Giant Slalom» (em inglês). NYT. Consultado em 21 de maio de 2013 
  50. «Vonn secured a hat-trick» (em inglês). Reuters. Consultado em 21 de maio de 2013 
  51. «Cortina d'Ampezzo» (em inglês). FIS. Consultado em 21 de maio de 2013 
  52. «Vonn wins Beaver Creek» (em inglês). Reuters. Consultado em 21 de maio de 2013 
  53. «3rd in career wins» (em inglês). Avalanche Journal. Consultado em 21 de maio de 2013 
  54. «Vonn earns 50th victory» (em inglês). NYT. Consultado em 21 de maio de 2013 
  55. «Fifth Straight Downhill» (em inglês). Bloomberg. Consultado em 21 de maio de 2013 
  56. «Lindsey Vonn completes hat trick at Lake Louise». The Canadian Press (em inglês). CBC Sports. 2 de dezembro de 2012. Consultado em 6 de junho de 2013 
  57. «Lindsey Vonn sweeps Lake Louise races again» (em inglês). USA Today. 2 de dezembro de 2012. Consultado em 6 de junho de 2013 
  58. «Lindsey Vonn Facebook» (em inglês). Facebook. Consultado em 22 de maio de 2013 
  59. «Downhill Results» (em inglês). FIS. Consultado em 22 de maio de 2013 
  60. «Lindsey Vonn gets surprising win in giant slalom» (em inglês). USA Today. 26 de janeiro de 2013. Consultado em 6 de junho de 2013 
  61. «Crash Injuries End Vonn's Season, but Not Her Hopes» (em inglês). The New York Times. 5 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de junho de 2013. Cópia arquivada em 7 de fevereiro de 2013 
  62. Anthony Sulla-Heffinger (25 de fevereiro de 2013). «Vonn vows to be ready for 2014 Olympics» (em inglês). New York Post. Consultado em 6 de junho de 2013 
  63. «Lindsey Vonn wins record sixth downhill» (em inglês). BBC. 14 de março de 2013. Consultado em 6 de junho de 2013. Cópia arquivada em 15 de março de 2013 
  64. «Lindsey Vonn return» (em inglês). Los Angeles Times. Consultado em 2 de setembro de 2013 
  65. «Tiger Woods vai seguir Lindsey Vonn volta as pistas?» (em inglês). Fansied. Consultado em 23 de outubro de 2013 
  66. «Lindsey Vonn volta a sofrer lesão e pode perder Jogos Olímpicos de Inverno». Terra. Consultado em 26 de novembro de 2013 
  67. «Lindsey Vonn Races 10 Months After Tearing Knee» (em inglês). ABC. Consultado em 6 de dezembro de 2013 
  68. «The snow queen returns: Lindsey Vonn is back in action» (em inglês). CNN. Consultado em 6 de dezembro de 2013 
  69. «Lindsey Vonn 11th in downhill, happy with improvement» (em inglês). USA Today. Consultado em 9 de dezembro de 2013 
  70. «Lindsey Vonn is 'ready for Sochi' after placing fifth» (em inglês). USA Today. Consultado em 9 de dezembro de 2013 
  71. «Lindsey Vonn withdraws from 2014 Winter Olympics in Sochi» (em inglês). CNN. Consultado em 7 de janeiro de 2014. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2014 
  72. «Lindsey Vonn wins first world cup race in nearly two years» (em inglês). The New York Times. Consultado em 8 de dezembro de 2014 
  73. «Lindsey Vonn leva 62º ouro em Copas do Mundo e iguala recorde de 35 anos». Globo. Consultado em 20 de janeiro de 2015 
  74. «Lindsey Vonn claims race, title» (em inglês). ESPN. Consultado em 20 de março de 2015 
  75. «Lindsey Vonn ties World Cup titles record with 67th win under pressure (video)» (em inglês). NBC Sports. Consultado em 20 de março de 2015 
  76. «Vonn clinches World Cup super-G title and ties with Stenmark» (em inglês). Yahoo. Consultado em 20 de março de 2015 
  77. «Lindsey Vonn Wins Lake Louise Super G Mikaela Shiffrin Alpine Skiing World Cup» (em inglês). NBC. Consultado em 27 de abril de 2016 
  78. «Lindsey Vonn Fractures Arm, Putting Her World Cup Season in Question». The New York Times. 11 de novembro de 2016 
  79. «Emotional Vonn gets WC win No. 77 after injuries». ESPN.com. 23 de janeiro de 2017 
  80. «Vonn verpasst zweiten Sölden-Durchgang». diepresse.com. 28 de outubro de 2017 
  81. «Christina Macfarlane, Ursin Caderas and John Sinnott; Lindsey Vonn: I won't be representing US President at Winter Olympics». CNN News. 9 de dezembro de 2017 
  82. «Women's Downhill Live Results». nytimes.com. 20 de fevereiro de 2018. Consultado em 20 de fevereiro de 2018 
  83. «Lindsey Vonn: US skier to retire at the end of the 2018-19 season». bbc.co.uk. 11 de outubro de 2018. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  84. Hodgetts, Rob (21 de novembro de 2018). «Lindsey Vonn injures knee, delays season start». cnn.com. Consultado em 24 de novembro de 2018 
  85. Graham, Pat (1 de dezembro de 2018). «Lindsey Vonn postpones retirement to return to Lake Louise next season». CBC.ca. Consultado em 27 de dezembro de 2018 
  86. «Ramona Siebenhofer wins back-to-back downhills, Lindsey Vonn finishes ninth». BT Sport ESPN. 19 de janeiro de 2019. Consultado em 31 de janeiro de 2019 
  87. «Lindsey Vonn considers immediate retirement as injuries take their toll». cnn.com. 20 de janeiro de 2019. Consultado em 2 de fevereiro de 2019 
  88. Schad, Tom. «U.S. skier and Olympic gold medalist Lindsey Vonn announces retirement». USA Today. Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  89. hermesauto (10 de fevereiro de 2019). «Skiing: Lindsey Vonn takes bronze in swansong as Ilka Stuhec retains world downhill crown». The Straits Times (em inglês). Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  90. CNN, Aimee Lewis. «Lindsey Vonn: Donwhill bronze for the American in final race». CNN. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  91. «Kildow Suffers Crash» (em inglês). The New York Times. Consultado em 20 de maio de 2013 
  92. «Kildow Ties for 8th» (em inglês). The New York Times. Consultado em 20 de maio de 2013 
  93. «Pista de Vancouver é a pior para suas condições». Terra. 15 de Fevereiro de 2010. Consultado em 6 de junho de 2013 
  94. «Lindsey Vonn decepciona e leva bronze». Consultado em 27 de março de 2013 
  95. «Musa americana cai no slalom gigante; brasileira é eliminada». Terra. 24 de fevereiro de 2010. Consultado em 6 de junho de 2013 
  96. «Oito anos depois, Lindsey Vonn volta, erra e fica sem medalha no Super G: "Eu tentei"». Globo.com. Consultado em 21 de fevereiro de 2018 
  97. «Em prova com quedas, Lindsey Vonn se despede do downhill com bronze e chora». Globo.com. Consultado em 21 de fevereiro de 2018 
  98. «No Storybook Ending for Lindsey Vonn, but Mikaela Shiffrin Wins Silver in Combined». The New York Times. Consultado em 22 de fevereiro de 2018 
  99. «Lindsey Kildow Recalls Wedding» (em inglês). People Magazine. Consultado em 7 de maio de 2013 
  100. «Lindsey Vonn, husband divorcing» (em inglês). ESPN. Consultado em 7 de maio de 2013 
  101. «Lindsey Vonn ... Divorce» (em inglês). TMZ. Consultado em 7 de maio de 2013 
  102. «Lindsey Vonn Swimsuit» (em inglês). Sports Illustraded. Consultado em 7 de maio de 2013. Arquivado do original em 21 de maio de 2013 
  103. «2010 Hot 100» (em inglês). Maxim. Consultado em 7 de maio de 2013 [ligação inativa]
  104. «Woods confirma namoro com musa» (em inglês). Folha. Consultado em 7 de maio de 2013 
  105. «Lindsey Vonn brilha em torneio». Record. Consultado em 9 de outubro de 2013 
  106. «Lindsey Vonn, Tiger Woods call it quits». NY Post. Consultado em 22 de novembro de 2015 
  107. «Lindsey Vonn call Tiger Woods relationship learning experience». NY Post. Consultado em 22 de novembro de 2015 
  108. «Lindsey Vonn: Top 10 Facts You Need to Know» (em inglês). Heavy. Consultado em 3 de julho de 2014 
  109. «All results» (em inglês). FIS. Consultado em 31 de maio de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lindsey Vonn
Precedido por
Itália Reinhold Messner e Polónia Krzysztof Wielicki
Prémios Princesa das Astúrias
2019
Sucedido por
N/A
Precedido por
Inglaterra Leicester City Football Club
Laureus Spirit of Sport Award
2019
Sucedido por
N/A
Precedido por
Estados Unidos Serena Williams
Laureus Awards Sportswoman of the Year
2011
Sucedido por
Quénia Vivian Cheruiyot
Precedido por
Estados Unidos Serena Williams
Associated Press Female Athlete of the Year
2010
Sucedido por
Estados Unidos Abby Wambach
Precedido por
Estados Unidos Nastia Liukin e Estados Unidos Natalie Coughlin
USOC Sportswoman of the Year
2009, 2010
Sucedido por
Estados Unidos Allyson Felix