Reinhold Messner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Reinhold Messner, 2015
Reinhold Messner
Nascimento 17 de setembro de 1944 (73 anos)
Brixen, Itália
Nacionalidade Itália Italiano
Ocupação Alpinismo
Prêmios Piolet d'Or
Página oficial
www.reinhold-messner.de

Reinhold Messner (Brixen/Bressanone (Itália), 17 de setembro de 1944) é um alpinista, himalaísta, explorador, escritor e ex-político sul-tiroles considerado por muitos como um dos melhores montanhistas de todos os tempos.

Messner foi o primeiro, com Peter Habeler, a escalar o Everest sem utilizar oxigênio suplementar em 1978 [1] e o primeiro a alancear dois anos depois o teto do mundo em solitário, sempre sem oxigênio suplementar [2][3], "naquele que é considerado o maior feito do montanhismo em todos os tempos" [4]. Em 1978 ele foi também a primeira pessoa que atingiu um oito mil em solitário, o Nanga Parbat [5].

Na mesma montanha realizou em 1970 junto com seu irmão Günther a segunda travessia em absoluto de um oito mil (depois do Everest em 1963), subindo pelo lado Rupal, a parede vertical mais alta do mundo, a qual com os seus 4500 metros era ainda inviolada, e descendo pelo lado Diamir [2][5]. Foi um feito alpinista impressionante, no qual os irmãos Messner foram obrigados de bivacar vários dias sem comida nem abrigo e onde no final da descida o Günther morreu [5], provavelmente a causa de uma avalancha [2][6].

Reinhold Messner foi o primeiro a conseguir escalar todas as catorze montanhas com mais de 8000 metros, sem oxigênio suplementar e desafiando sempre condições e situações extremas com enormes dificuldades técnicas. [1] Completou esse feito desde 1970 até 1986 com um total de 18 subidas, abrindo sete novas rotas - das quais duas em solitário [4][5] - e realizando a segunda travessa (Nanga Parbat) [5] e a primeira combinação em absoluto de dois cumes em cima de 8000 mil metros (Gasherbrum I & II). [7] Para todos esses feitos o Messner ganhou em 2010 o prestigioso prêmio Piolet d'Or pela carreira. [8]

Foi também o segundo a escalar os sete cumes mais altos dos sete continentes.

Ademais realizou as primeiras travessas da Antartica e da Groenlândia sem meios motorizados (motoneve) o treinados pro animais (trenó com cães) [9][10]. Enfim atravessou em solitário o Deserto de Gobi [11].

Algumas subidas[editar | editar código-fonte]

Em seguidas algumas das subidas mais famosas de Messner às Alpes.[12],[13]

Cartas para jogo de mesa, com personagens sudtiroleses famosos, entre os quais Messner, Eva Klotz e Luis Durnwalder, desenhadas para Egon Rusina.

A coroa do Himalaia[editar | editar código-fonte]

A seguida todas as escaladas realizadas por Messner (inclusive as repetições) das 14 montanhas com mais de 8000 metros de altitude

# Montanha Altitude Data Descrição
1 Nanga Parbat 8.125 m n.m.m. 27 Junho de 1970 Nova rota pela inviolada parede Rupal, realizada junto com o irmão Günther; também a segunda travessa em absoluto de uma montanha em cima dos 8000 metros com decida pelo lado Diamir.
2 Manaslu 8.163 m n.m.m 25 Abril de 1972 Nova rota pela inviolada parede sudoeste da qual nem existia uma fotografia .[19] Primeira escalada do Manaslu sem oxigênio engarrafado. [20]
3 Gasherbrum I 8.068 m n.m.m 10 Agosto de 1975 Subida com Peter Habeler pelo lado norte. Primeira escalada do Gasherbrum I sem oxigênio engarrafado.[20]
4 Everest 8.848 m n.m.m 8 Maio de 1978 Subida com Peter Habeler pelo lado sul. Primeira escalada do Everest sem oxigênio engarrafado; feito que até aquele momento foi considerado fisiologicamente impossível para um ser humano. [1]
Nanga Parbat 8.125 m n.m.m 9 Agosto de 1978 Primeira escalada em solitário pelo lado Diamir por uma nova rota (nunca mais repetida) e primeira solitária em absoluto de uma montanha com mais de 8000 metros. [21]
5 K2 8.609 m n.m.m 12 Julho de 1979 Subida com Michl Dacher pelo esporão Abruzzi. Primeira escalada do K2 parcialmente em estilo alpino.
Everest 8.848 m n.m.m 20 Agosto de 1980 Primeira escalada em solitário do Everest, sempre sem oxigênio engarrafado. Nova variante pelo lado norte.
6 Shishapangma 8.027 m n.m.m 28 Maio de 1981 Subida com Friedl Mutschlechner.
7 Kanchenjunga 8.586 m n.m.m 6 Maio de 1982 Subida com Friedl Mutschlechner, parcialmente em estilo alpino, por uma nova variante na parede norte.
8 Gasherbrum II 8.035 m n.m.m 24 Julho de 1982 Subida com os paquistaneses Sher Khan e Nazir Sabir pela crista sudoeste.
9 Broad Peak 8.047 m n.m.m 2 Agosto de 1982 Subida com os paquistaneses Sher Khan e Nazir Sabir pelo lado oeste. Messner se tornou o primeiro alpinista que subiu três monthanhas em cima dos 8000 metros na mesma temporada.
10 Cho Oyu 8.201 m n.m.m 5 Maio de 1983 Subida com Hans Kammerlander e Michl Dacher por uma nova rota.
Gasherbrum II

Gasherbrum I

8.035 m n.m.m

8.068 m n.m.m

25-28 Junho de 1984 Primeira combinação do Gasherbrum II com o Gasherbrum I, realizada junto com Hans Kammerlander; também a primeira combinação absoluta de duas montanhas com mais de 8000 metros; ou seja realizando as duas escaladas em uma vez só, sem voltar pelo acampamento base.
11 Annapurna 8.091m n.m.m 24 Abril de 1985 Nova rota pela inviolada parede noroeste com Hans Kammerlander.
12 Dhaulagiri 8.167 m n.m.m 15 Maio de 1985 Subida com Hans Kammerlander pela parede leste.
13 Makalu 8.462 m n.m.m 26 Setembro de 1986 Subida com Hans Kammerlander e Friedl Mutschlechner pela rota dos franceses.
14 Lhotse 8.516 m n.m.m 16 Outubro de 1986 Subida com Hans Kammerlander pelo lado sul.

Messner se tornou o primeiro ser humano que conseguiu atingir os cumes de todas as 14 montanhas com mais de 8000 metros

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Garcia, João; Francisco (2014). 14 Uma vida nos tectos do mundo. [S.l.]: Leya. ISBN 9789892326160 
  2. a b c «Breve História do Montanhismo». www.semanademontanhismo.com.br. Consultado em 22 de abril de 2016 
  3. Messner, Reinhold (2007). The Second Death of George Mallory: The Enigma and Spirit of Mount Everest (em inglês). [S.l.]: Macmillan. ISBN 9781429977975 
  4. a b Pires, Luciano (2002). O Meu Everest. [S.l.]: Geraçã. p. 180. ISBN 9788575090527 
  5. a b c d e Messner, Reinhold (2002). La montagna nuda: il Nanga Parbat, mio fratello, la morte e la solitudine (em italiano). [S.l.]: Corbaccio. ISBN 9788879725798 
  6. «Reinhold Messner - AltaMontanha.com -». AltaMontanha.com - Portal de Montanhismo, Escalada e Aventuras. Consultado em 16 de março de 2016 
  7. Messner, Reinhold (1996). Sopravvissuto (em italiano). [S.l.]: De Agostini. ISBN 9788841534977 
  8. «2010 - Reinhold Messner». Piolets d'Or (em inglês). Consultado em 9 de março de 2017 
  9. Messner, Reinhold (2004). Antarktis: Himmel und Hölle zugleich (em alemão). [S.l.]: Fischer-Taschenbuch-Verlag. ISBN 9783596157273 
  10. Gasques, Marcus Vinicius (2002). Montanha em fúria: aventura e drama no cerro Aconcágua, o maior pico das Américas. [S.l.]: Globo. ISBN 9788525035851 
  11. Messner, Reinhold (2013). Gobi: il deserto dentro di me (em italiano). [S.l.]: Mare Verticale. ISBN 9788897173236 
  12. (em alemão) [http://www.bergfieber.de/berge/bergsteiger/bios/messner.htm Reinhold Messner, bergfieber.de
  13. Imprese alpinistiche e spedizioni
  14. Cima della Madonna - Via Messner
  15. Messner, pp. 64-65, tuttelemiecime
  16. Messner, pp. 110-111, tuttelemiecime
  17. Le Coronelle - Via Messner, sassbaloss.com
  18. Messner, pp. 142-143, tuttelemiecime
  19. Wolfgang Nairz. «Manaslu 1972» (PDF) (em inglês). alpinejournal.org.uk. Consultado em 29 março 2012 
  20. a b Jurgalski, Eberhard. «General Info». www.8000ers.com. Consultado em 20 de dezembro de 2016 
  21. Moro, Simone (2016). Nanga. Fra rispetto e pazienza, come ho corteggiato la montagna che chiamavano assassina (em italiano). [S.l.]: Rizzoli. ISBN 9788817090230 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.