Erich von Drygalski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Erich von Drygalski
Nascimento 9 de fevereiro de 1865
Königsberg
Morte 10 de janeiro de 1949 (83 anos)
Munique
Residência Alemanha
Cidadania Alemanha
Alma mater
Ocupação explorador, geógrafo, professor universitário, geofísico
Prêmios
Empregador Universidade de Munique, Universidade Humboldt de Berlim

Erich Dagobert von Drygalski (Königsberg, Prússia, 9 de fevereiro de 1865Munique, 10 de janeiro de 1949) foi um cientista, geógrafo, geofísico e explorador alemão.

Entre 1882 e 1887, Drygalsk estudou matemática e ciências naturais nas universidades de Königsberg, Bonn, Berlim e Leipzig. Entre 1888 e 1891 foi assistente no Instituto Geodésico e no Escritório Central de Geodésica Internacional em Berlim.

Drygalski também liderou a primeira expedição alemã à Antártica para explorar áreas desconhecidas e foi o primeiro a reunir informações científicas abrangentes sobre a geologia a fauna e a flora das Ilhas Heard.

A partir de 1906 Drygalski foi professor em Munique e dirigiu o instituto geográfico criado por ele, além de ter participado na expedição de Ferdinand von Zeppelin ao arquipélago de Svalbard (1910) e em outras expedições à América do Norte e à Ásia.[1]

Expedição de Gauss[editar | editar código-fonte]

O Gauss encerrado no gelo. Foto tirada de um balão, a primeira fotografia aérea da Antártica

Drygalski liderou a primeira expedição polar sul alemã com o navio Gauss para explorar a área desconhecida da Antártica situada ao sul das Ilhas Kerguelen. A expedição começou em Kiel no verão de 1901. Um pequeno grupo da expedição também estava estacionado nas ilhas Kerguelen, enquanto o grupo principal seguia para o sul. Drygalski também fez uma breve ligação para a Ilha Heard e forneceu as primeiras informações científicas abrangentes sobre a geologia, a flora e a fauna da ilha. Apesar de ficar presa pelo gelo por quase quatorze meses até fevereiro de 1903, a expedição descobriu um novo território na Antártida, a Terra Kaiser Wilhelm IIcom o Gaussberg. A expedição voltou a Kiel em novembro de 1903. Posteriormente, Drygalski escreveu a narrativa da expedição e editou os volumosos dados científicos. Entre 1905 e 1931, ele publicou vinte volumes e dois atlas documentando a expedição e foi premiado com o 1933 com a Medalha de Ouro Patrono da Royal Geographical Society.[2]

Anos posteriores[editar | editar código-fonte]

De outubro de 1906 até sua aposentadoria, Drygalski foi professor em Munique, onde também presidiu o Instituto Geográfico, por ele fundado, até sua morte. Em 1910, ele também participou da expedição do Conde Ferdinand von Zeppelin a Spitsbergen e participou de outras expedições à América do Norte e nordeste da Ásia. Ele morreu em 1949 em Munique.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

A ilha Drygalski, o fiorde Drygalski na Geórgia do Sul e uma avenida na parte sul de Munique receberam o nome dele, assim como a cratera Drygalski na lua. Duas geleiras, incluindo a geleira Drygalski (Antártica) e a geleira Drygalski (Tanzânia) nas encostas do Monte Kilimanjaro também receberam o nome dele. Um arquivo na Ludwig Maximilians University lembra seus esforços pioneiros. Ele também tem uma aranha sul-africana com o seu nome, Araneus drygalskii (Strand, 1909), com base no material coletado na expedição de Gauss.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Grönland-Expedition der Gesellschaft für Erdkunde zu Berlin 1891-1893, 2 tomos., Kühl, Berlim 1897
  • Deutsche Südpolar-Expedition 1901–1903 im Auftrage des Reichsamtes des Innern., 20 tomos e 2 Atlas. Berlim, 1905–1931
  • Zum Kontinent des eisigen Südens, Verlag Georg Reimer, Berlim, 1904

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Antarctic Explorers: Erich von Drygalski». www.south-pole.com. Consultado em 9 de fevereiro de 2021 
  2. Murphy, David Thomas (2002). "Falha Imperial na Antártica". Exploração Alemã do Mundo Polar: Uma História, 1870–1940 . Lincoln: University of Nebraska Press. pp. 65–106. ISBN 0-8032-3205-5

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.