SS Chelyuskin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
SS Chelyuskin
Chelyuskin
Carreira
Proprietário Flag of the Soviet Union.svg União Soviética
Operador Glavsevmorput[1]
Fabricante Burmeister and Wain (B&W) Copenhagen, Dinamarca
Homônimo Vladimir Lenin
Lançamento 11 de março de 1933
Patrono Semion Chelyuskin
Estado Naufragou no Mar de Chukchi
Fatalidade 13 de fevereiro de 1934
Características gerais
Tonelagem 7,500t
Altura 22,0 m (100 ft)
Comprimento 310 m (0 ft)
Boca 54,3 m (0 ft)
Velocidade 12,5 nós

SS Chelyuskin[2] (em russo: «Челю́скин»; IPA: [tɕɪˈlʲʉskʲɪn]) foi um navio a vapor soviético reforçado para navegar através do gelo polar e ficou preso nas águas do Ártico na Passagem do Nordeste de Murmansk para Vladivostok. O propósito da expedição era determinar a possibilidade de navegar pela Passagem com um navio que não fosse quebra-gelo.

Construído na Dinamarca em 1933 pela Burmeister and Wain (B&W, Copenhagen) e nomeado em homeganem ao explorador polar russo Semion Chelyuskin. O chefe da expedição foi Otto Schmidt e o capitão do navio Vladimir Voronin. Ao todo existiam 111 pessoas a bordo do navio. A tripulação era conhecida como Chelyuskintsy, "Chelyuskinites".

Missão[editar | editar código-fonte]

Após partir de Murmansk em 2 de agosto de 1933, o navio manobrou até alcançar a Passagem Nordeste antes de ficar preso em um campo de gelo em setembro. Depois disso ele ficou a deriva antes de naufragar em 13 de fevereiro de 1934, após atingir um bloco de gelo em próximo a Ilha Kolyuchin no Mar de Chukchi. A tripulação escapou pelo gelo e improvisaram uma pista de pouso, utilizando algumas espadas, pás de gelo e dois pés de cabra. Eles precisaram reconstruir a pista de pouso 13 vezes até o resgate em abril daquele ano e chegarem ao vilarejo de Vankarem.

Os pilotos do avião que ajudaram nas operações de busca e salvamento foram as primeiras pessoas a receber o título de Herói da União Soviética. Os pilotos eram Anatoly Liapidevsky, Sigizmund Levanevsky, Vasily Molokov, Mavriky Slepnyov, Mikhail Vodopianov, Nikolai Kamanin e Ivan Doronin. Liapidevsky pilotou um ANT-4, a versão civil do bombardeiro TB-1, while Slepnev e Levanevsky pilotaram um Consolidated Fleetster trazido dos Estados Unidos para a missão e os outros pilotos utilizaram um Polikarpov R-5. Dois mecânicos de aeronaves americanos, Clyde Goodwin Armitstead e William Latimer Lavery,[3] também ajudaram nas buscas do Chelyuskintsy, em 10 de setembro de 1934 e foram agraciados com a Ordem de Lenin.

Com o navio ficou preso na entrada do Estreito de Bering, a União Soviética considerou que o objetivo principal da expedição fora atingido. Após novas tentativas da travessia entre 1933 e 1934, a Passagem Nordeste foi oficialmente aberta para a exploração comercial em 1935.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. (em russo)Chelyuskin and Pijma: All dots above i by Lazar Freidgame
  2. também grafado como Cheliuskin.
  3. The Junior Aircraft Year Book, 1935, p.8