Marcelo Fromer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Marcelo Fromer
Nascimento 3 de dezembro de 1961
São Paulo, SP
Morte 13 de junho de 2001 (39 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Ocupação músico
Religião Judeu

Marcelo Fromer (São Paulo, 3 de dezembro de 1961[1] — São Paulo, 13 de junho de 2001) foi um músico brasileiro, guitarrista da banda de pop-rock Titãs.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aos 15 anos de idade, começou a ter aulas de violão com Luiz Tatit.[1]

Mais tarde, no Colégio Equipe, Fromer participou da banda Trio Mamão, da qual também faziam parte os então futuros Titãs Branco Mello e Tony Bellotto.[1] Mais tarde, com Sérgio Britto, André Jung, Arnaldo Antunes, Nando Reis e Paulo Miklos, forma o grupo Maldade, que depois mudaria de nome para Titãs do Iê Iê Iê.[1]

Entre outros trabalhos realizados estão uma coluna semanal com Nando sobre futebol no jornal Folha de S.Paulo, a coapresentação do programa 89 Gol da 89 FM com Walter Casagrande (1996-1997), a participação na cobertura da Copa do Mundo FIFA de 1998 do SporTV como comentarista e o livro gastronômico Você Tem Fome de Quê?, lançado em 1999.[1] Fromer deixou inacabada uma biografia para Casagrande,[1] que seria retomada a partir de 2008 por Gilvan Ribeiro e lançada em 2013.[2]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Em 1985 atuou no filme Areias Escaldantes, um musical brasileiro.[3]

Morte[editar | editar código-fonte]

A passarela batizada com seu nome na Avenida Juscelino Kubitschek em São Paulo.

Morreu aos 39 anos, após ser atropelado pelo motoqueiro Erasmo Castro da Costa Júnior na noite do dia 11 de junho de 2001, sendo atingido pela moto quando atravessava a Avenida Europa, na altura do nº 229, em São Paulo;[4] o motociclista prestou socorro mas fugiu após a chegada do resgate. Marcelo deixou três filhos: Susi, Max e Alice.[5] Na época, a família de Fromer diz ter enfrentado dificuldades para prosseguir com as investigações da morte dele.[6] Em setembro do mesmo ano, uma passarela com o seu nome foi inaugurada na Avenida Juscelino Kubitschek, não muito longe do local de seu atropelamento.[7] Três anos depois, uma rua no bairro de Santíssimo, no Rio de Janeiro, recebeu seu nome.[8]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Ao final dos anos 1980, tinha um relacionamento com a atriz Betty Gofman.[9]

Referências

  1. a b c d e f Carneiro, Rodrigo (14 de junho de 2001). «Um amante de música, futebol e boa mesa». Grupo Estado. O Estado de S. Paulo. 39321: Caderno 2, página 26. Consultado em 16 de setembro de 2021 
  2. Gandra, José Ruy (28 de março de 2013). «Ex-jogador Casagrande lança biografia». Veja São Paulo. Editora Abril. Consultado em 11 de julho de 2017 
  3. «Areias Escaldantes». Meu Cinema Brasileiro. Consultado em 14 de agosto de 2012  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  4. Folha de S.Paulo (12 de junho de 2001). «Veja como foi o acidente de Fromer». Folha de S.Paulo. Consultado em 4 de maio de 2015 
  5. «Motoboy responsabiliza Fromer e diz que acidente "foi inevitável"». Folha de S.Paulo. Consultado em 17 de fevereiro de 2009 
  6. Ivanov, Ricardo (3 de outubro de 2015). «Quarentões, Titãs não querem carregar rótulo adolescente». Terra. Portal Terra. Consultado em 1 de agosto de 2015 
  7. «Prefeitura de SP inaugura passarela com nome de Marcelo Fromer». Folha de S.Paulo. 31 de agosto de 2001. Consultado em 10 de abril de 2009 
  8. «Prefeitura do Rio altera nome de rua para Marcelo Fromer». Folha de S.Paulo. 12 de março de 2004. Consultado em 3 de agosto de 2020 
  9. Rodrigues, Aponean (18 de outubro de 1989). «O novo LP dos Titãs» (PDF). Jornal do Brasil. Ano Número 193: 2 (Caderno B). Consultado em 29 de julho de 2021 
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Marcelo Fromer


Ícone de esboço Este artigo sobre um músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.