Muçum (Rio Grande do Sul)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Muçum
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Muçum
Bandeira
Brasão de armas de Muçum
Brasão de armas
Hino
Gentílico muçunense
Localização
Localização de Muçum no Rio Grande do Sul
Localização de Muçum no Rio Grande do Sul
Muçum está localizado em: Brasil
Muçum
Localização de Muçum no Brasil
Mapa de Muçum
Coordenadas 29° 09' 54" S 51° 52' 04" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Municípios limítrofes Encantado, Roca Sales, Doutor Ricardo, Santa Tereza, Vespasiano Corrêa.

São Valentim do Sul

Distância até a capital 115 km
História
Fundação 31 de janeiro de 1959 (62 anos)
Administração
Prefeito(a) Mateus Giovanoni Trojan (MDB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 110,892 km²
População total (est. IBGE/2021[2]) 4 967 hab.
Densidade 44,8 hab./km²
Clima Subtropical (Cfa)
Altitude 77 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 95970-000
Indicadores
IDH (PNUD/2011 [3]) 0,746 alto
PIB (IBGE/2011[4]) R$ 98 305 mil
PIB per capita (IBGE/2011[4]) R$ 20 497,23
Sítio mucum-rs.com.br (Prefeitura)

Muçum é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

Conhecido como Princesa das Pontes, pelo trecho da Ferrovia do Trigo que atravessa o rio Taquari e corta a cidade sobre um viaduto, marcando o visual da entrada da cidade. O município conta com uma população estimada de 4.967 pessoas (IBGE/2021).

História[editar | editar código-fonte]

O povoamento da região onde hoje se encontra o município de Muçum começou por volta do século XIX, com o estabelecimento dos primitivos colonizadores de origem lusa, italiana, alemã e polonesa, que compraram suas terras, através da Comissão de Terras e Colonização em Guaporé. O Rio Taquari teve suma importância na migração dos primeiros colonizadores, já que era bastante navegável. O nome do município tem sua origem de uma cachoeira conhecida dos navegadores que costumavam passar pelo rio Taquari, chamada "Muçum". Inicialmente a povoação denominou-se General Osório. A origem do invulgar nome de "muçum", que a cidade e o município ostentam até hoje, perde-se nas brumas de tempos passados, difundido oralmente entre os primitivos navegadores do rio Taquari. O nome "Mussum", ainda grafado com dois "SS", aparecia escrito em um relatório elaborado em 1862, pelo engenheiro militar Capitão Antônio Augusto Arruda, do Exército Nacional, ao efetuar um completo levantamento das cachoeiras existentes no rio Taquari, desde o porto de Estrela até o incipiente povoado de Santa Bárbara na foz do Rio Carreiro. Por meio deste documento, se constata que "Mussum" era a denominação dada a cachoeira do rio Taquari em que este nome já existia muitos anos antes. Em 19 de novembro de 1938 alternava a denominação de distrito e vila de General Osório para "Mussum", ainda com grafia de dois "SS". Em dezembro de 1959 era solicitada a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul "que seja retificado o nome de Muçum, para a grafia com dois "SS", visto ser nome próprio, pois com "ç" é nome de peixe de origem da língua Tupi-Guarani. Esta solicitação da Câmara de Vereadores, não foi aceita.

Distrito criado com a denominação de General Osório pelo Ato Municipal nº 3, de 20-01-1905, subordinado ao municí­pio de Guaporé. Pelo Decreto Estadual nº 7.199, de 31-03-1938, o distrito de General Osório passa a denominar-se Mussum.

Com a denominação de Muçum, o distrito é desmembrado de Guaporé e elevado à ca­tegoria de município pela Lei Estadual nº 3.729, de 18-02-1959. O município é instalado em 31-05-1959.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Muçum localiza-se no Vale do Taquari e é uma cidade originada pela colonização italiana, o município expande-se ao norte em direção às montanhas que pertencem à região. Fazem parte da jurisdição da cidade de Muçum pequenas comunidades (chamados Linhas) como Linha Braz Chalreo, pronunciado pelos imigrantes italianos "brasharéu", Linha Treze de Maio, São Luis e Linha 28. A maioria das famílias desta região é de origem vêneta. Representa a transição entre o Vale do Taquari e a Serra Gaúcha.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Compõem a hidrografia do município o Rio Taquari e o Rio Guaporé.

Turismo[editar | editar código-fonte]

O município é cortado pela Ferrovia do Trigo da Rede Ferroviária Federal, que segue em direção norte à Guaporé e Passo Fundo, onde se encontra com a Linha Marcelino Ramos-Santa Maria, pela qual permite-se o acesso à Santa Maria e em direção sul, pela cidade de Roca Sales, onde se encontra com o Tronco Principal Sul, que permite o acesso às cidades de Montenegro e Triunfo. Atravessa a área central da cidade a Ponte Rodoferroviária Brochado da Rocha.

Referências

  1. IBGE; IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Estimativa populacional». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 2 de janeiro de 2022 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.