Mustafá Contursi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mustafá Contursi
Nascimento 22 de setembro de 1940 (79 anos)
São Paulo
Cidadania Brasil
Ocupação dirigente esportivo

Mustafá Contursi Goffar Majzoub (São Paulo, 22 de setembro de 1940) é um dirigente esportivo brasileiro, mais precisamente do futebol.[1] Ficou conhecido por ter sido presidente do Palmeiras entre 1993 e 2004.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mustafá Contursi é casado, pai de três filhos, e tem origens na Síria - pai (Abdel Majzoub) – e na Itália - mãe (Annunziata Contursi). Mustafá Contursi ficou conhecido por ter sido presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras entre 1993 e 2004.[2]

Nascido no bairro paulistano do Brás, foi criado na Mooca, e tornou-se sócio do Palmeiras em 1951, aos onze anos, graças à influência de seus primos e avós, que foram responsáveis por pagar suas primeiras mensalidades.

Mustafá ingressou pela primeira vez na diretoria do Palmeiras na década de 1960[1] e nos anos seguintes atuou em vários cargos diretivos do clube, o que culminou com sua indicação a conselheiro vitalício no ano de 1973.

Presidência[editar | editar código-fonte]

No primeiro semestre de 1992, durante a gestão de Facchina Nunes a Sociedade Esportiva Palmeiras fechou um contrato de parceria com a multinacional Parmalat. Em janeiro de 1993 Mustafá foi eleito presidente do Sociedade Esportiva Palmeiras. Em 12 de junho do mesmo ano, o Palmeiras sairia da fila vencendo o Corinthians no Campeonato Paulista[3], sendo campeão, ainda, do Campeonato Brasileiro e do Torneio Rio São Paulo (este último também contra o Corinthians.

Sob sua gestão, houve a construção das piscinas aquecidas, as reformas na Academia de Futebol da Barra Funda, a aquisição da Academia de Futebol de Guarulhos, anexo ao clube social, bem como diversos imóveis localizados na Rua Padre Antônio Tomas que, por anos a fio, serviram como escritório aos mais diversos departamentos do Clube e, no futuro, seriam utilizados como garantia das dívidas que o Palmeiras viria a possuir.

Ainda durante sua gestão o clube conquistou o título da Copa Libertadores da América de 1999 e foi rebaixado para a série B no Campeonato Brasileiro de futebol de 2002.[3]

Títulos no Palmeiras[editar | editar código-fonte]

  • Campeão Paulista (1993)[3]
  • Torneio Rio São Paulo (1993)
  • Campeão Brasileiro (1993)
  • Bicampeão Paulista (1994)
  • Bicampeão Brasileiro (1994)
  • Copa Brasil-Itália (1994)
  • Torneio Lev Yashin-Rússia (1994)
  • Campeão Paulista (1996)
  • Copa da China (1996)
  • Torneio Euro-América (1996)
  • Torneio Naranja-Espanha (1997)
  • Taça Maria Quitéria (1997)
  • Copa do Brasil (1998)
  • Copa Mercosul (1998)
  • Copa Libertadores da América (1999)[3]
  • Troféu da Federação Internacional de Futebol-Alemanha (1999)
  • Torneio Rio São Paulo (2000)
  • Copa dos Campeões (2000)
  • Campeão Brasileiro da Série B (2003)

Referências

  1. a b «'Jurássico' que nunca perde força, Mustafá Contursi ainda manda no Palmeiras». ISTOÉ Independente. 20 de fevereiro de 2017. Consultado em 21 de novembro de 2019 
  2. «Sou vítima de uma mentira, diz Mustafá, ex-presidente do Palmeiras». Folha de S.Paulo. 14 de novembro de 2019. Consultado em 21 de novembro de 2019 
  3. a b c d «Mustafá Contursi - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 21 de novembro de 2019