Ricardo Sá Pinto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Ricardo Manuel de Andrade da Silva Sá Pinto (Porto, 10 de Outubro de 1972[1]) é um ex-futebolista [[portugal|português]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Jogador[editar | editar código-fonte]

Foi dos jogadores mais carismáticos do Sporting Clube de Portugal, e como tal é apelidado na família Sportinguista de "Ricardo Coração de Leão" tanto pela sua entrega ao jogo como pelo seu palmarés ao serviço do clube verde e branco: 3 supertaças, 2 taças de Portugal e 1 título de campeão nacional. Marcou também 49 golos ao serviço do Sporting.[2]

Começou a sua carreira de profissional na época de 1992/93 no Sport Comércio e Salgueiros onde foi comprado pelo Sporting Clube de Portugal no final da época seguinte.

Ricardo Sá Pinto
Ricardo Sá Pinto 2019
Informações pessoais
Nome completo Ricardo Manuel de Andrade da Silva Sá Pinto
Data de nasc. 10 de outubro de 1972 (47 anos)
Local de nasc. Porto, Portugal Portugal
Altura 178 cm
Informações profissionais
Número 7
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1991–1994
1994–1997
1997–2000
2000–2006
2006–2007
Portugal Salgueiros
Portugal Sporting
Espanha Real Sociedad
Portugal Sporting
Bélgica Standard Liège
Total
0057 000(17)
0077 000(20)
0070 0000(6)
0097 000(14)
0021 0000(2)
322 000(59)
Seleção nacional
1994–2001 Flag of Portugal.svg Portugal 0055 000(15)
Times/Equipas que treinou
2012
2013

2013-2015
2015
2016-2017
2017-2018
2018-2019
2019-2019

Portugal Sporting
Sérvia Estrela Vermelha
Grécia OFI Creta

Portugal Os Beleneses
Arábia Saudita Al-Fateh Sports Club
Bélgica Standard Liège
Polónia Legia Varsóvia
Portugal Sporting Clube de Braga

Em 1997 transferiu-se para a Real Sociedad de Espanha onde permaneceu até à temporada 1999/00 quando voltou para Portugal integrando o plantel do então Campeão Nacional Sporting Clube de Portugal. No seu palmarés, além de 66 golos marcados na 1ª divisão portuguesa, encontram-se três Supertaças, duas Taças de Portugal e um Campeonato Nacional.

Após uma despedida do Sporting, transferiu-se para o Royal Standard de Liége da Bélgica, utilizando na camisola o número 76, em homenagem à claque sportinguista Juventude Leonina que foi criada nesse mesmo ano de 1976.

Acabou a carreira após um ano no Standard de Liége, no final da época 2006/2007 no jogo All Stars'07 realizado pela fundação Luís Figo, onde marcou o seu último golo enquanto profissional de futebol. Será para sempre lembrado pela sua veia goleadora, espírito de equipa, garra, carácter de leão e lealdade, superando ao longo da sua carreira difíceis obstáculos, como quatro operações aos joelhos, tendo conseguido, contra todas as perspectivas, voltar a jogar ao mais alto nível e tornar-se então num dos jogadores mais queridos da família leonina.

Ricardo Sá Pinto foi também jogador da selecção nacional Portuguesa e conta com duas participações no Campeonatos da Europa (1996 e 2000). Fez também toda a qualificação da selecção nacional para o Mundial de 2002, mas não participou na fase de grupos após ter sofrido uma lesão no joelho.[3] Tem 45 internacionalizações e marcou 10 golos ao serviço da selecção nacional de Portugal.

Sá Pinto atuando pela Seleção Nacional Portuguesa.

Treinador[editar | editar código-fonte]

No início de Julho de 2010, Sá Pinto tornou-se treinador adjunto da União de Leiria mas passado um ano recebe e aceita o convite por parte da nova Direcção do Sporting e tornou-se treinador da equipa júnior, acabando por ser campeão nacional na época 2011/12 em conjunto com Abel Ferreira.

A 13 de fevereiro de 2012, após o despedimento de Domingos Paciência, Sá Pinto torna-se treinador da equipa principal do Sporting. [4][5] Levou a equipa às meias-finais da Liga Europa, após ter eliminado o gigante Manchester City nos quartos-de-final da competição. Foi também finalista da Taça de Portugal nessa época.

A 5 de outubro de 2012, terminou o seu contrato com o Sporting, tendo sido substituído, interinamente, por Oceano Cruz. [6]

A 10 de junho de 2015, após treinar o OFI Creta e levar o clube às meias-finais da Taça da Grécia, regressou ao futebol português para ser treinador de Os Belenenses. Pela primeira vez na história do Belenenses, a equipa qualificou-se para a Liga Europa. Sá Pinto permaneceu como treinador principal até dezembro do mesmo ano.[7]

A 29 de Maio de 2016, é anunciada a sua oficialização no Al-Fateh como treinador principal da equipa do país da Árabia Saudita.

Em junho de 2017 rescindiu contrato. No dia 1 de julho do mesmo ano foi apresentado no Standard de Liège para recuperar a equipa da crise que passava. A equipa terminou em segundo lugar, conquistou a Taça da Bélgica e qualificou-se para a Liga dos Campeões. Alcançou também o recorde de 19 jogos sem perder em casa. O treinador português foi considerado um dos melhores treinadores do ano na Bélgica em 2018.

A 13 de agosto de 2018, Ricardo Sá Pinto assinou contrato com o Legia Varsóvia[8]. Terminou a temporada como vice-campeão da liga polaca.

No dia 4 de julho de 2019, Ricardo Sá Pinto foi contratado pelo Sporting Clube de Braga, clube que treinou até 23 de Dezembro de 2019[9]. No SC Braga, foi responsável pela melhor participação da história do clube na fase de grupos da Liga Europa, com 14 pontos conquistados. Bateu também o recorde de invencibilidade de equipas portuguesas nas competições europeias (13 jogos). Venceu todos os jogos da fase de grupos da Taça da Liga, tendo também tido o melhor ataque da fase de grupos. O SC Braga viria a vencer a Taça da Liga, juntando assim mais um troféu ao palmarés de Ricardo Sá Pinto.


Referências