Sai da Frente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sai da Frente
 Brasil
1952 •  pb •  80 min 
Direção Abílio Pereira de Almeida
Produção Pio Piccinini
Vera Cruz
Roteiro Abílio Pereira de Almeida
Tom Payne
Elenco Amácio Mazzaropi
Ludy Veloso
Leila Parisi
A. C. Carvalho
Nieta Junqueira
Género comédia
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Sai da Frente é um filme brasileiro de gênero comédia produzido pela Companhia Cinematográfica Vera Cruz , foi lançado em 25 de junho de 1952, cine Marabá e circuito 12 salas, SP que marca a estréia de Mazzaropi nos cinemas, até então artista de sucesso no circo, rádio e televisão. O Filme por ter sido um grande sucesso, tirou a produtora Vera Cruz temporariamente das dificuldades financeiras.No filme, há a figuração de vários atores do teatro brasileiro da época, principalmente o TBC (Teatro Brasileiro de Comédia). Inclusive na cena do elevador da Repartição Pública, os personagens ao citarem nomes de siglas, com intenção de furar a fila do elevador, Mazzaropi afirma: "Sou do TBC". Os personagens do circo, Sansão e Dalila, são uma referência ao filme americano "Sansão e Dalila" de Cecil B. Demille, que estava em cartaz na época. No início do filme, aparecem dois bêbados, cantando a música "O Ébrio", sucesso de Vicente Celestino, que também era um filme de sucesso da época, da produtora concorrente, a Cinédia. Na cena da Repartição Pública, o filme já faz crítica à burocracia brasileira. Na cena do político fazendo discurso na Praça, outra crítica, ao discurso vazio dos políticos brasileiros. O político cita a frase: "Ou o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil". Essa frase refere-se a outro sucesso da época, a música "Saúva", da dupla Alvarenga & Ranchinho, que era uma crítica ao Governo Vargas.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Isidoro é dono de um caminhãozinho, cujo nome é Anastácio. Seu principal amigo é um cão chamado Coronel, interpretado pelo cão Duque, famoso astro da Vera Cruz. O filme se desenrola no decorrer de um dia. Isidoro é contratado para transportar alguns móveis para Santos. Descendo a serra pela Via Anchieta, até atingir o grande porto, Isidoro provoca inúmeras situações cômicas, que se iniciam com a descoberta de uma jovem noiva, que fugiu em pleno cortejo de seu casamento, escondida num armário, no final deu tudo certo

"Anastácio" restaurado - fotografado em Pindamonhangaba/SP em 23/11/2008

Elenco[editar | editar código-fonte]

Referências e Observações[editar | editar código-fonte]

  • Grande parte do elenco são atores do TBC (Teatro Brasileiro de Comédia) fazendo pequenas figurações no filme.
  • Na cena do elevador da repartição pública, vários funcionários citam siglas de departamentos do governo, com a intenção de furar a fila do elevador. Mazzaropi, nessa cena diz: "Eu sou do TBC".
  • Os personagens do circo Sansão e Dalila são uma referência ao filme americano "Sansão e Dalila" do cineasta Cecil B. Demille que estava em cartaz na época.
  • Os bêbados na cena inicial cantam "O Ébrio", sucesso de Vicente Celestino, que também era um filme de sucesso em cartaz na época, da produtora concorrente, a Cinédia.
  • A cena do prédio da repartição pública, onde aparece o retrato do Presidente Getúlio Vargas, é uma crítica à burocracia brasileira.
  • Na cena do discurso desconexo do político na praça, ele cita a frase: "Ou o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil". Essa frase refere-se à música "Saúva", da dupla sertaneja Alvarenga e Ranchinho, sucesso da época. É também uma crítica ao governo.
  • O halterofilista Bruno Barabani interpreta o papel de Sansão.
  • A modelo e pin-up girl italiana Leila Parisi faz o papel de Dalila.
  • Em uma cena, Mazzaropi liga o rádio do calhambeque e ouve um comercial de si mesmo, onde afirma que ele é o grande cartaz do rádio brasileiro. O ator foi contra essa cena, pois achou pedante fazer comercial e elogio de si mesmo. O diretor Abílio Pereira de Almeida decidiu manter a cena.
  • Na cena de briga no bar, aparece o ator Ayres Campos, que ficou famoso interpretando o super-herói Capitão 7 na TV Record.
  • O bêbado mais velho na cena inicial do filme é o ator, jornalista e apresentador Vicente Leporace. Vicente Leporace apresentava o programa Grande Gincana Kibon na TV Record, além de apresentar noticiários e programas de música sertaneja no rádio.
  • O caminhão Anastácio pertence à cidade de São Bernardo do Campo-SP e foi tombado pela Lei 2611 de 18/06/1987.


Premiações[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Saci de 1952 de melhor atriz secundária para Ludy Veloso.