Serra Negra (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estância Hidromineral de Serra Negra
"A princesa da serra"
Vista da cidade do Mirante do Redentor

Vista da cidade do Mirante do Redentor
Bandeira de Serra Negra
Brasão de Serra Negra
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 23 de setembro de 1828 (190 anos)
Emancipação 24 de março de 1859 (160 anos)
Gentílico serrano [1]
Lema Virtvte Pavlistarvm Florvi
"Floresço Graças ao Valor dos Paulistas"
Prefeito(a) Sidney Ferraresso
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Serra Negra
Localização de Serra Negra em São Paulo
Serra Negra está localizado em: Brasil
Serra Negra
Localização de Serra Negra no Brasil
22° 36' 43" S 46° 42' 03" O22° 36' 43" S 46° 42' 03" O
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária

Campinas IBGE/2017 [2]

Região imediata

Amparo IBGE/2017

Municípios limítrofes Norte: Itapira e Lindoia; Sul: Monte Alegre do Sul; Leste: Socorro; Oeste: Amparo
Distância até a capital 142 km[3]
Características geográficas
Área 203,010 km² [4]
População 28 103 hab. Estimativa IBGE/2014[5]
Densidade 138,43 hab./km²
Altitude 925 m
Clima Tropical de Altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,817 muito alto PNUD/2000[6]
PIB R$ 262 606,851 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 10 201,89 IBGE/2008[7]

Serra Negra é um município do estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 22º36'44" sul e a uma longitude 46º42'02" oeste, estando a uma altitude de 925 metros. Sua população estimada em 2008 era de 25 741 habitantes. Possui uma área de 203,010 km².

Serra Negra foi fundada em 23 de setembro de 1828 por Lourenço Franco de Oliveira, quando uma pequena capela foi construída nas terras dele. Em 12 de março de 1841, a capela, pertencente à região de Mogi Mirim, foi elevada à categoria de freguesia. Em 24 de março de 1859, Serra Negra foi elevada à categoria de vila.[8]

Tem como principal atividade econômica o turismo, com uma forte e extensa rede hoteleira, seguido da agricultura e da extração de água mineral, sendo, hoje, um dos maiores produtores nacionais do produto, com onze empresas atuando.

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

Serra Negra foi fundada em 23 de setembro de 1828 por Lourenço Franco de Oliveira. A fundação remete-se à data em que a pequena capela construída nas terras de Lourenço Franco de Oliveira (local do atual bairro das Três Barras) recebeu a concessão de Capela Curada (termo que institui um paróquia) pelo bispo Dom Manoel Joaquim Gonçalves de Andrade, de Mogi Mirim. Em 12 de março de 1841, a capela, pertencente à região de Mogi Mirim, foi elevada à categoria de Freguesia (povoação sob aspecto eclesiástico).[8]

Consolidação[editar | editar código-fonte]

Em 24 de março de 1859, Serra Negra foi elevada à categoria de Vila, sendo os respectivos habitantes obrigados a construir Cadeia e Casa da Câmara a sua custa.[8] A primeira sessão da Câmara Municipal foi realizada em 7 de setembro de 1859. Pela lei n° 113, de 21 de abril de 1885, a Vila de Serra Negra foi elevada à categoria de cidade. Inicialmente, os lavradores que moravam em Serra Negra cultivavam cereais. No ano de 1873, teve o início do plantio de café em larga escala.[8]

A partir de 1880, começaram a chegar as primeiras famílias de imigrantes italianos para trabalharem nas lavouras de café, mudando totalmente as características portuguesas da colonização e revelando ser a tradição italiana fator predominante na contribuição da cultura local. Em março de 1892, foi inaugurado o ramal férreo da Companhia Mogiana. A locomotiva fazia o trajeto de Serra Negra até Campinas.[8]

Ciclo do café[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Produção de café no Brasil

Além do transporte de passageiros, o principal produto transportado era o café. O ramal foi desativado em 1956, quando as estradas de rodagem já se desenvolviam em larga escala no país. Na década de 1920, a economia brasileira já começava a sofrer os efeitos ocasionados pelo excesso da produção de café.[8]

A baixa dos preços e a má qualidade do produto, somando-se à quebra da bolsa de Nova York em 1929, acarretou a decadência da economia cafeeira brasileira.[8]

Águas minerais[editar | editar código-fonte]

Serra Negra, embora afetada pela crise, já recebia os primeiros benefícios da descoberta da qualidade terapêutica de suas águas minerais a partir da Fonte Santo Antonio, de Luiz Rielli.[8] A descoberta das propriedades radioativas das águas em 1928 levou à criação, em 1930, de um pavilhão hidroterápico construído ao lado da grandiosa fonte. Sua composição mineral, combinada a pequenas doses de radioatividade, revelou serem as águas minerais de Serra Negra indicadas para os mais diversos tratamentos de saúde.[8]

O reconhecimento da qualidade das águas minerais levou à denominação de Serra Negra, pelo então Presidente da República Washington Luís, como 'Cidade da Saúde'. Em 1938, o Decreto assinado pelo então governador, Ademar de Barros, elevou Serra Negra à categoria de Estância Hidromineral e Climática. Atualmente, a Estância Hidromineral de Serra Negra tem no turismo sua principal atividade econômica, seguida da agricultura, com predominância para o cultivo do café.[8]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 22º36'44" sul e a uma longitude 46º42'02" oeste, estando a uma altitude de 925 metros. Sua população estimada em 2008 era de 25 741 habitantes. Possui uma área de 203,010 km².

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Panorama da Serra Negra

Demografia[editar | editar código-fonte]

Igreja Católica[editar | editar código-fonte]

O município pertence à Diocese de Amparo. Possui as Paróquias de Nossa Senhora do Rosário e São Francisco de Assis.

Administração[editar | editar código-fonte]

Prefeitura de Serra Negra.
  • Prefeito: Sidney Antônio Ferraresso - DEM; eleito para o quatriênio 2017/2020
  • Vice-prefeito: Rodrigo Pelegrini Magaldi - DEM; eleito para o quatriênio 2017/2020
  • Presidente da câmara: Felipe Amadeu Pinto da Fonseca - DEM; eleito para o biênio 2017/2018

Economia[editar | editar código-fonte]

Rua Cel. Pedro Penteado

A cidade possui diversas fontes de acesso público e empresas mineradoras. O desenvolvimento turístico impulsionou a criação de uma rede hoteleira de qualidade, de um comércio diferenciado e de diversos pontos de turismo central e de campo.

A característica turística principal da Estância permanece vinculada a ideia de saúde e bem estar, possibilidade de contato com a natureza, ótimo clima, ar puro e momentos de tranqüilidade, e se expande em sua potencialidade de desenvolver novos pontos de turismo rural e de aventura.

Estância hidromineral[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estância turística (São Paulo)

Serra Negra é um dos 11 municípios paulistas considerados estâncias hidrominerais pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar, junto a seu nome, o título de "estância hidromineral", termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

Panorama do Hotel Vale do Sol, em Serra Negra.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Edifício residenciais em Serra Negra.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade foi atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB) até 1973[9], quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[10], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[11] para suas operações de telefonia fixa.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário.

Eventos[editar | editar código-fonte]

Desde 2006, acontece o Festival Ars Viva de Música em Serra Negra, com apresentações de música erudita em vários pontos turísticos do município: Praça Prefeito João Zelante, Auditório Mário Covas Júnior, Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário e Igreja São Benedito.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [[1]]
  2. «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. p. 20–34. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  3. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 28 de fevereiro de 2011 
  4. IBGE; IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. [http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/estimativa2014/ populacao_por_municipio.shtm «Estimativa Populacional 2014»] Verifique valor |url= (ajuda). Estimativa Populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 7 de setembro de 2014  line feed character character in |url= at position 66 (ajuda)
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  8. a b c d e f g h i j «Serra Negra SP - História da Cidade». www.serranegra.com.br. Consultado em 29 de maio de 2019 
  9. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  10. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  11. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Serra Negra