Tramagal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Portugal Tramagal 
—  Freguesia  —
Miradouro da Penha, homenagem a Eduardo Duarte Ferreira por Alfredo Keil
Miradouro da Penha, homenagem a Eduardo Duarte Ferreira por Alfredo Keil
Bandeira de Tramagal
Bandeira
Brasão de armas de Tramagal
Brasão de armas
Localização no concelho de Abrantes
Localização no concelho de Abrantes
Tramagal está localizado em: Portugal Continental
Tramagal
Localização de Tramagal em Portugal
Coordenadas 39° 25' 12" N 8° 15' 07" O
País Portugal Portugal
Região Centro (Região das Beiras)
Sub-região Médio Tejo
Província Ribatejo
Concelho ABT.png Abrantes
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Vítor Hugo Braz Vicente Cardoso (PS)
Área
 - Total 24,10 km²
População (2011)
 - Total 3 500
    • Densidade 145,2 hab./km²
Gentílico: Tramagalense
Orago Nossa Senhora da Oliveira
Sítio Freguesia do Tramagal

Tramagal, conhecida como "Vila Convívio", é uma vila portuguesa e freguesia do concelho de Abrantes (distrito de Santarém) na região Centro e sub-região do Médio Tejo, ex-província do Ribatejo. Aldeia até 1986, foi elevada a vila nesse ano pela lei

nº 28/86 de 23 de Agosto.

No total a freguesia do Tramagal tem 4043 habitantes, estando divididos por quatro localidades: Chão de Lucas, Coelheira e Barrocas - que constituem a Vila de Tramagal (sede de freguesia; 3500 habitantes) - e Crucifixo (aldeia a cerca de 1,5 km do centro da Vila; 543 habitantes).

A freguesia localiza-se na parte ocidental do concelho, na margem esquerda do rio Tejo, sendo limitada pelos concelhos de Constância a oeste e norte, Rio de Moinhos a norte, a cidade de Abrantes a nordeste e São Miguel do Rio Torto a sudeste.

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Conta a lenda que o nome "Tramagal" tem origem numa planta autóctone da região - a tramaga -, que seria muito comum na povoação quando, no século XV, por lá passou a Rainha D. Leonor de Portugal, esposa do "príncipe perfeito" D. João II, quando se dirigia para uma festa, passando pelo Ribatejo. Ao ver um tão grande campo de tramagas, teria exclamado "Mas que grande Tramagal!".

No entanto, esta lenda não será verdade, pelo menos no que toca à nomenclatura da vila, já que documentos tão antigos como o século XIII ou XIV referem "… uma vinha q̃ he no tam̃gal…”[1] (mais de um século antes do nascimento de Leonor de Avis).

Em 1371 outro documento refere uma aldeia de nome Tramagal: "… hũa vjnha q̃ nos avemos q ̃ jaz no Tam̃gal tm̃ho da dta villa…”[2].

No século seguinte, em 1439, representantes do Concelho de Abrantes dizem que "Uma das melhores coisas de Abrantes é um campo da parte de além do Tejo em que mais pão e vinho se colhem; e porque el-rei D. João proibiu que matassem porcos ou veados num Tamargal que está junto com esse campo, deixou este de ser aproveitado como devia…”, o que prova a existência da povoação.

Deste modo, concluímos que a aldeia do Tramagal o é desde pelo menos o século XIII, uma vez que o primeiro documento referido relata acontecimentos anteriores à sua escritura, o que prova que a lenda da Rainha D. Leonor é apenas uma lenda.

Em 1492 D. João II atribui a "mercê coutado de Tramagal" a D. João de Almeida, 2º Conde de Abrantes.

Tramagal é freguesia desde 24 de Junho de 1754 e só em 12 de Junho de 1837 é que toma o seu território actual, mais coisa menos coisa, sendo que o lugar do Crucifixo foi desanexado da freguesia de Santa Maria da Coutada nessa data.

É do século XVIII, também, a Igreja da Nossa Senhora da Oliveira, igreja paroquial do Tramagal, construída em homenagem a Nossa Senhora da Oliveira, padroeira do Tramagal. A paróquia do Tramagal, era, assim, criada, fazendo parte da diocese da Guarda até 14 de Setembro de 1882, data em que é anexada à Diocese de Portalegre (agora Portalegre-Castelo Branco).

Metalúrgica Duarte Ferreira[editar | editar código-fonte]

O ciclo histórico mais próspero do Tramagal iniciar-se-ia com a criação da Metalúrgica Duarte Ferreira, uma empresa que operou desde 1879 até à sua oficial declaração de insolvência em 1997.

Eduardo Duarte Ferreira nasceu em 1856, filho de família pobre, e, sem terminar sequer a 4ª classe, foi aprendiz de ferreiro nas Fundições do Rossio de Abrantes, S.A., na freguesia vizinha de Rossio ao Sul do Tejo. Aos 26 anos (1882) estabelece uma oficina de ferragens a que chamou "A Forja" e nesse mesmo ano fundiu os primeiros 100 kg. de ferro.

É a Duarte Ferreira que se deve o primeiro sistema de previdência do país, criado em 1927 para os seus 250 trabalhadores e suas respectivas famílias.

Nesse mesmo ano – 1948 – com 92 anos de idade, morre Eduardo, deixando uma empresa próspera que emprega oitocentos trabalhadores.

A empresa continua a prosperar, agora na mão dos três filhos do fundador (e depois dos seus netos). Em 1964 são inauguradas as linhas de produção da Berliet, fornecidos ao exército português durante a Guerra Colonial. Durante estes dez anos, cerca de 3 300 viaturas militares Berliet Tramagal foram produzidas na fábrica e usadas na Guerra. A Metalúrgica Duarte Ferreira abandona o fabrico das máquinas e alfaias agrícolas.

Com o fim da Guerra Colonial, termina também a produção das Berliet Tramagal e a situação da empresa deteriora-se.

Viria a declarar insolvência em 1997, apesar de já ter os seus bens penhorados três anos antes.

A MDF empregava, neste momento, 2300 funcionários.

É esta empresa que explica a grande evolução social e cultural no Tramagal que passa de uma simples aldeia dependente da agricultura para uma vila pioneira na indústria e uma das mais habitadas freguesias no concelho de Abrantes.

Actualmente[editar | editar código-fonte]

Hoje em dia, a Vila do Tramagal continua a juntar as actividades de tradição ribatejana - a agricultura e a vitivinicultura - à indústria. Enquanto as antigas instalações da MDF foram adaptadas pela Mitsubishi Fuso e pelo Grupo Diorama para as suas próprias actividades, um dos ex-libris da vila é o vinho da Quinta do Casal da Coelheira, produzido no Tramagal e comercializado por todo o Mundo, da qual emergiram vinhos premiados, como o Casal da Coelheira Reserva e DOC, Terraços do Tejo e, mais recentemente, o Mythos e o Casal da Coelheira Rosé 2009 (premiado como melhor vinho rosé do Mundo em Bruxelas/2010).

A MDF permitiu à vila ter hoje uma escola Básica e Secundária, chamada de EB 2,3/S Octávio Duarte Ferreira. Apesar de o ensino secundário não funcionar hoje na escola,vão ser implementados no próximo ano lectivo dois cursos profissionalizantes: o de Técnico de Soldadura e o de Técnico de Manutenção Industrial de Metalurgia e Metalomecânica (nível IV), com acordos assinados com a Futrimetal, do Grupo Diorama e com a Mitsubishi Fuso.

A fábrica da Mitsubishi do Tramagal conta com cerca de 450 colaboradores, e é, da região, um dos maiores exportadores, catapultando o Concelho de Abrantes para o topo da lista dos exportadores do Médio Tejo, com um volume de facturação de cerca de 230 milhões de euros (2017)., fabricando exclusivamente em Portugal o Fuso eCanter, um camião eléctrico da Mitsubishi.

Tramagal é conhecido como "Vila Convívio" devido aos seus muitos convívios, associações, grupos onomásticos e colectividades, contando com "...19 associações das mais variadas utilidades ( humanitária, desportiva, cultural, recreativa, etc.. ), fazem desta Vila um polo de desenvolvimento associativo como não há no Concelho de Abrantes..."[3].

Grupos como a S.A.T. (Sociedade Artística Tramagalense, fundada em 1901), a AMFT (Associação de Melhoramentos da Freguesia de Tramagal), a AHDSFT (Associação Humanitária Dadores de Sangue da Freguesia de Tramagal) e o TSU (Tramagal Sport União) continuam a dar vida à vila que tem cada vez menos habitantes.

Ordenação Heráldica [4][editar | editar código-fonte]

Descrição do Brasão de Armas actual[editar | editar código-fonte]

Escudo de ouro, roda dentada de negro circundada por ramo de tramagueira de verde florido de branco e ramo de oliveira de verde frutado de negro com os pés passados em aspa e atados de vermelho; campanha ondada de cinco tiras ondadas de azul e prata. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel de prata com a legenda em letras negras maiúsculas: “TRAMAGAL”.

Descrição da Bandeira[editar | editar código-fonte]

Esquartelada de azul e amarelo. Cordões e borlas de ouro e azul. No centro, o Brasão de Armas da Freguesia.

Descrição do Selo[editar | editar código-fonte]

Circular, tendo ao centro a representação das peças do escudo de armas sem indicação dos esmaltes e em volta a legenda “Freguesia do Tramagal”.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Museus[editar | editar código-fonte]

Museu "A Forja"[editar | editar código-fonte]

Museu ao ar livre que recria uma forja do fim do século XIX, como aquela que teria iniciado o negócio da MDF. Foi fundado a 1 de Maio de 1980, para comemorar os 100 anos da primeira forja de Eduardo Duarte Ferreira, tendo sido projectado pelo arquitecto Charters de Almeida.

Museu Metalúrgica Duarte Ferreira[editar | editar código-fonte]

Museu que conta mais de um século de história, desde a fundação da MDF até à sua dissolução, passando por todas as glórias que teve. Foi fundado a 1 de Maio de 2017.

Este museu localiza-se no antigo escritório principal da MDF, junto da linha da Beira Baixa. O investimento foi na ordem do meio milhão de euros, dos quais 90 mil vindos de fundos comunitários; no piso superior do mesmo edifício está prevista a construção de um espaço cultural e de conferências, e no futuro prevê-se também a criação de um percurso turístico de ar livre que ligará o museu d'A Forja a este empreendimento mais recente. Em 2018, este museu recebeu o prémio de museu do ano, numa cerimónia da Associação Portuguesa de Museulogia presidida pelo presidente da república Marcelo Rebelo de Sousa.

Monumentos[editar | editar código-fonte]

Miradouro da Penha[editar | editar código-fonte]

Miradouro da autoria do Arquitecto Keill do Amaral, erigido em homenagem ao Comendador Eduardo Duarte Ferreira, fundador da Metalúrgica Duarte Ferreira. Permite observar a paisagem sobre o Rio Tejo, Rio de Moinhos, Rossio ao Sul do Tejo e a cidade de Abrantes. Por baixo do busto, a célebre frase do Comendador, "Eu, menos que ferreiro, se tiver saúde, não deixo de ser. Se puder ser mais alguma coisa, porque não tentar consegui-lo?”.

Monumento aos Combatentes da Guerra do Ultramar[editar | editar código-fonte]

Inaugurado a 21 de Abril de 2018, este monumento é uma homenagem a todos os tramagalenses que lutaram no Ultramar. A sua inauguração contou com o secretário de Estado da Defesa (Marcos Perestrello), pelo Presidente da Liga dos Combatentes, Tenente-General Chito Rodrigues e pelos autarcas de Abrantes e Tramagal, Maria do Céu Albuquerque e Vitor Hugo Cardoso.

Monumento a João Alves Mineiro[editar | editar código-fonte]

Monumento em homenagem ao médico e benemérito tramagalense Dr. João José Alves Mineiro.

Igreja da Nossa Senhora da Oliveira[editar | editar código-fonte]

Igreja setecentista erigida em homenagem ao orago da Vila, Nossa Senhora da Oliveira, inaugurada em 1754

Igreja da Nossa Senhora da Conceição[editar | editar código-fonte]

Igreja da aldeia do Crucifixo, erigida em homenagem da Nossa Senhora da Conceição, inaugurada no Natal de 1946. É encimada por uma cruz céltica, da altura em que aqui habitavam os Galo-Celtas

Espaços de Recriação e Lazer[editar | editar código-fonte]

  • Praça dos Combatentes de Grande Guerra
  • Piscinas Municipais
  • Pista de Atletismo
  • Campo de Jogos Eduardo Duarte Ferreira
  • Ribeira de Alcolobre
  • Mercado Coberto

Festas e Datas Comemorativas[editar | editar código-fonte]

  • Junta de Freguesia – Elevação a Freguesia – 24 de Junho
  • T.S.U. – Tramagal Sport União
  • S.U.C. – Sociedade União Crucifixense – último fim semana de Junho
  • Junta Freguesia  – 15 de Agosto
  • Padroeira de Tramagal – Nossa Senhora da Oliveira – 15 de Agosto
  • Padroeira do Crucifixo – Nossa Senhora da Conceição – 8 de Dezembro
  • 1º de Maio – Antiga comemoração da MDF, ainda levada a cabo.

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

  • Migas Carvoeiras
  • Couves com Feijão
  • Folar do Tramagal

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia do Tramagal [5]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 411 1 452 1 510 1 684 2 052 2 016 2 469 2 926 3 211 4 164 4 440 5 167 4 568 4 043 3 500
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 407 473 2 130 1 033 10,1% 11,7% 52,7% 25,6%
2011 370 264 1 780 1 086 10,6% 7,5% 50,9% 31,0%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

Personalidades[editar | editar código-fonte]

  • Eng. Luís Bairrão, Engenheiro Agrónomo, fundador do Crédito Agrícola em Tramagal e um dos fundadores da Associação de Agricultores de Abrantes.
  • Família Duarte Ferreira, de entre eles:
    • Comendador Eduardo Duarte Ferreira, metalúrgico fundador da MDF e criador do primeiro sistema de previdência do país, comendador da Ordem do Mérito Industrial
    • Octávio Duarte Ferreira, metalúrgico fundador da Escola Básica e Secundária Octávio Duarte Ferreira
  • Susana Estriga, professora de educação física, atleta vice-campeã europeia de Veteranos em atletismo
  • Coronel Vasco Ramires, hipista olímpico
  • José Lourenço, atleta, primeiro português a percorrer os 1500 m em pista coberta abaixo dos 4 minutos
  • Dr. João José Alves Mineiro, médico tramagalense e grande benemérito.

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "... uma vinha que tenho no Tramagal ..."
  2. "... uma vinha que temos no Tramagal, (?) ..."
  3. «CM Abrantes - Tramagal: A freguesia» 
  4. República, Diário da (14 de agosto de 2017). «Ordenação Heráldica: Edital n.º 578/2017 em Diário da República». Diário da República. Consultado em 27 de julho de 2018. 
  5. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.