The Warlord Chronicles

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de As Crônicas de Artur)
Ir para: navegação, pesquisa
The Warlord Chronicles
Trilogia dos Senhores da Guerra (PT)
As Crônicas de Artur (BR)
Livros
O Rei do Inverno
O Inimigo de Deus
Excalibur
Autor Bernard Cornwell
Tradutor Brasil Alves Calado
Portugal Ana Maria Chaves e Paula Teixeira
Idioma original inglês
Publicado entre 1995-1997 (original)
Editora Reino Unido Michael Joseph
Brasil Record
Portugal Saída de Emergência
País  Reino Unido
Gênero Ficção histórica

The Warlord Chronicles (As Crônicas de Artur (título no Brasil) ou Trilogia dos Senhores da Guerra (título em Portugal)) é uma trilogia de livros escrita por Bernard Cornwell sobre a lenda do Rei Artur. A história é escrita como uma mistura de ficção histórica e mitologia Arturiana. No Brasil, os livros foram publicados pela Editora Record.

A tese de Cornwell é de que a Grã-Bretanha após o domínio do Império Romano era um lugar difícil para os bretões nativos, sendo pela invasão anglo-saxã vindos do leste e dos irlandeses vindos do oeste. Ao mesmo tempo, argumenta Cornwell, sofreram disputas internas de poder entre a religião Druida e a chegada do Cristianismo.

O protagonista da história é Derfel Cadarn (pronuncia-se Dervel), um saxão adotado por Merlin, o maior de todos os druidas. No decorrer da história, Derfel torna-se guerreiro e um dos grandes senhores da guerra de Artur em sua guerra contra os saxões. Merlin, enquanto isso, procura uma forma de restaurar os antigos deuses da Grã-Bretanha, contestados pelo avanço cristão, que hostiliza o druidismo.

As Crônicas de Artur são freqüentemente consideradas o melhor trabalho de Cornwell, sendo aclamado tanto por suas qualidades narrativas quanto pela exatidão em retratar a vida da época. O próprio Cornwell já disse que, dentre todos os seus trabalhos, esses três livros são seus favoritos.

O retrato feito por Cornwell de Merlin como um druida interesseiro, objetivo e irreverente é particularmente memorável, assim como suas pujantes descrições da barbárie da Era das Trevas. Também é interessante sua solução para o problema de integrar a magia do mito de Artur com o contexto da ficção histórica, que deixa para o leitor interpretar e decidir se a magia descrita na história é real ou apenas um conjunto de coincidências, psicologia e tecnologias primitivas.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]