Brian Eno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brian Eno
Informação geral
Nome completo Brian Peter George Eno
Também conhecido(a) como Eno
Brian Peter George St. John le Baptiste de la Salle Eno
Nascimento 15 de maio de 1948 (65 anos) Woodbridge, Suffolk
Local de nascimento Londres
 Inglaterra
Gênero(s) Rock experimental, Música ambiente, eletrônica, art rock, glam rock
Instrumento(s) Sintetizadores, teclados, vocais, guitarra
Período em atividade 1970 - atualmente
Outras ocupações Produtor musical, músico
Gravadora(s) E.G. Records, Astralwerks, Thirsty Ear
Afiliação(ões) Roxy Music
Kluster
David Bowie
Robert Fripp
David Byrne
U2 (produtor)
Página oficial http://www.enoshop.co.uk

Brian Peter George St. Jean le Baptiste de la Salle Eno (Woodbridge, Inglaterra, 15 de maio de 1948) é um músico, compositor e produtor musical britânico, um dos maiores responsáveis pelo desenvolvimento da ambient music.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Produção musical e composição[editar | editar código-fonte]

Eno é famoso pelo uso de sintetizadores, utilizados em seus diversos trabalhos, como nos dois primeiros álbuns do grupo Roxy Music: Roxy Music (1972) e For Your Pleasure (1973). E, em a sua parceria com o guitarrista Robert Fripp, com quem produziu os álbuns: "(No Pussyfooting)" (1973), "Evening Star" (1975), "The Equatorial Stars" (2004) e "Beyond Even (1992–2006)" (2007).[1]

Em 1977 e 1978, produziu dois álbuns com a dupla alemã de krautrock Kluster, "Cluster & Eno" e "After the Heat"[1] .

Também em 1978 produziu o álbum Q: Are We Not Men? A: We Are Devo!, primeiro da banda DEVO, que misturava acordes punk com sintetizadores por sugestão de Eno[2] .

No final dos anos 1970, Eno produziu os três álbuns da chamada "Trilogia de Berlim" (ou "Trilogia eletrônica") de David Bowie: Low, Heroes e Lodger[1] .

Em 1978, foi o curador da coletânea No New York[3] , uma compilação com vários artistas da cena underground de NY da época, considerada por muitos o registro definitivo do movimento No Wave.

Eno também foi produtor de diveros álbuns do U2, seu primeiro trabalho com o grupo foi The Unforgettable Fire de 1984, em seguida participou da produção dos álbuns: The Joshua Tree (1987), Achtung Baby (1991), Zooropa (1993), All That You Can't Leave Behind (2000), e No Line on the Horizon (2009).

Em 1981, produziu, com David Byrne (ex-Talking Heads) um álbum experimental de art rock chamado My Life in the Bush of Ghosts[1] .

Também trabalhou como produtor musical com Laurie Anderson, Coldplay, Paul Simon, Grace Jones, Talking Heads, Slowdive, entre outros[1] .

Brian Eno também é o criador das chamadas estratégias oblíquas, um conjunto de cartas que guiam o criador em momentos de impasse ou bloqueio criativo.[4]

Trilhas sonoras[editar | editar código-fonte]

Brian Eno participou como compositor ou produtor da trilha sonora dos filmes: Dune, Shutter Island, Brothers, Control, Moulin Rouge!, Traffic, The Million Dollar Hotel, The Beach, Velvet Goldmine, Godzilla, Basquiat, Trainspotting da série de TV Miami Vice entre outros.[5] Ele também foi compositor da trilha sonora do jogo Spore da E.A.games .

Discografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Brian Eno (em inglês) no Allmusic
  2. Reynolds, Simon. Rip it Up and Start Again: Postpunk 1978-1984. [S.l.]: Penguin, 2006. 80 p. ISBN 0143036726
  3. Brian Eno (em inglês) no Discogs
  4. BBC Music: "Brian Eno"
  5. Brian Eno (em inglês) no Internet Movie Database

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Informações[editar | editar código-fonte]

Entrevistas[editar | editar código-fonte]