100 metros rasos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Corrida de 100 metros)
Ir para: navegação, pesquisa
100 metros rasos
Linha de partida
Olímpico desde 1896 H / 1928 S
Desporto Atletismo
Praticado por Ambos os sexos
Campeão olímpico
Homens Usain Bolt
 Jamaica
Mulheres Shelly-Ann Fraser
 Jamaica
Campeão mundial
Homens Usain Bolt
 Jamaica
Mulheres Shelly-Ann Fraser
 Jamaica

A prova de 100 metros rasos é uma modalidade olímpica de atletismo, considerada a prova rainha das corridas de velocidade. Dura pouco menos de 10 segundos e os respectivos vencedores são muitas vezes apelidados de homem / mulher mais rápido do mundo. Um atleta dá 45 passadas em média para percorrer o percurso e cruza a linha de chegada a cerca de 36 km/h. Uma pessoa comum faria a prova com 100 passadas e a uma velocidade de 22,5 km/h.

Os 100 metros rasos foram introduzidos no programa olímpico em Jogos Olímpicos de Verão de 1896 para homens e nos Jogos de 1928 para mulheres. Os primeiros campeões olímpicos foram, respectivamente, Tom Burke e Betty Robinson dos Estados Unidos.

O recorde mundial dos 100 metros masculinos pertence a Usain Bolt, da Jamaica, obtido durante o Campeonato Mundial de Atletismo em Berlim, na Alemanha, em 16 de agosto de 2009, com a marca de 9,58 segundos. Nas mulheres, o recorde de 10,49 segundos pertence a Florence Griffith Joyner, estabelecido em Indianápolis em 1988. No primeiro movimento o atleta avança cerca de cinco metros e as passadas iniciais medem 1,60 m. Os campeões atingem sua velocidade máxima (ca. 43 km/h) aos 35 metros de corrida, quando a extensão das passadas é em torno de 2,10 metros, e consegue mantê-la até os setenta metros. Um atleta comum já terá alcançado a velocidade máxima (27 km/h) na altura dos 25 metros de prova e começa a desacelerar a cinquenta metros do final da competição.

Evolução[editar | editar código-fonte]

Todos os atletas de 100 metros rasos são treinados para responder ao disparo do tiro de partida com prontidão. Um velocista campeão gasta em média dezoito centésimos de segundo para dar início à sua corrida. Uma pessoa determinada levará cerca de 27 centésimos de segundo para reagir. A respiração é também muito treinada: os atletas inspiram na largada, expiram e inspiram novamente na marca dos 50 metros e expiram novamente só no fim da corrida.

No primeiro movimento o atleta avança cerca de cinco metros e as passadas iniciais medem 1,60 m. Os campeões atingem sua velocidade máxima (ca. 43 km/h) aos 35 metros de corrida, quando a extensão das passadas é em torno de 2,10 metros, e consegue mantê-la até os setenta metros. Um atleta comum já terá alcançado a velocidade máxima (27 km/h) na altura dos 25 metros de prova e começa a desacelerar a cinquenta metros do final da competição.

Regras[editar | editar código-fonte]

Nessa prova, os atletas calçam sapatilhas que são tão leves quanto as de balé e pesam 170 gramas cada (50% menos que um chinelo estilo Rider). As solas têm pregos de comprimento máximo fixado em 8,4 milímetros, e a espessura da sola não pode ultrapassar treze milímetros.

No caso de uma chegada embolada, os juízes irão observar a posição dos ombros ou do torso do atleta para determinar o vencedor. Pernas e braços não são levadas em conta.

Na regra de 2010, um atleta é desclassificado da prova se realizar uma falsa partida.

As condições atmosféricas, em particular o vento, são muito importantes na prova dos 100 metros, pois podem influenciar os tempos de chegada. Para efeitos de recorde do mundo, não são consideradas provas corridas com ventos traseiros de mais de 2 m/s.

História[editar | editar código-fonte]

A modalidade tem sido dominada por atletas norte-americanos/estado-unidense desde a sua primeira aparição nos Jogos Olímpicos de Verão em 1896. Entre os medalhados olímpicos da prova contam-se Jesse Owens (dos Estados Unidos), que chocou o regime nazi com a sua vitória nos Jogos de 1936 em Berlim, Fanny Blankers-Koen (dos Países Baixos), conhecida como a Dona de Casa Voadora, e Wilma Rudolph.

Em 1968, Jim Hines foi o primeiro homem a fazer os 100 metros rasos em menos de 10 segundos, marca mais tarde baixada para os 9,95s. Este recorde durou quinze anos, até que outro norte-americano/estado-unidense, Calvin Smith, chegou aos 9,93s, em 1983. A maior polémica da prova surgiu com a vitória do canadense Ben Johnson, no evento dos Jogos de 1988 em Seoul, depois de uma rivalidade de meses com Carl Lewis. Johnson ganhou a medalha de ouro com o recorde do mundo de 9.79 s, mas viria a ser desqualificado por uso de esteróides.

Porém, atualmente, a Jamaica é o país mais forte nas corridas de velocidade. Asafa Powell, e depois Usain Bolt, acabaram com a supremacia americana.

Melhores atletas[editar | editar código-fonte]

Homens[editar | editar código-fonte]

(Dados de 7 de janeiro de 2013) Nota: somente o tempo mais curto de cada atleta é citado.

Tempo Atleta Nacionalidade Data Lugar
1. 9,58 Usain Bolt  Jamaica 16 de agosto de 2009 Berlim
2. 9,69 Tyson Gay  Estados Unidos 20 de setembro de 2009 Xangai
2. 9,69 Yohan Blake  Jamaica 23 de agosto de 2012 Lausanne
4. 9,72 Asafa Powell  Jamaica 2 de setembro de 2008 Lausanne
5. 9,78 Nesta Carter  Jamaica 29 de agosto de 2010 Rieti
6. 9,79 Maurice Greene  Estados Unidos 16 de junho de 1999 Atenas
6. 9,79 Justin Gatlin  Estados Unidos 5 de agosto de 2012 Londres
8. 9,80 Steve Mullings  Jamaica 4 de junho de 2011 Eugene
9. 9,84 Donovan Bailey  Canadá 27 de julho de 1996 Atlanta
9. 9,84 Bruny Surin  Canadá 22 de agosto de 1999 Sevilha

Obs.: Todos os recordes comprovadamente obtidos por meio de doping foram ou serão cancelados pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF).

Fonte: http://www.iaaf.org/statistics/toplists/inout=o/age=n/season=0/sex=M/all=y/legal=A/disc=100/detail.html

Mulheres[editar | editar código-fonte]

(Dados de 7 de janeiro de 2013) Nota: somente o tempo mais curto de cada atleta é citado.

Tempo Atleta Nacionalidade Data Lugar
1. 10,49 Florence Griffith-Joyner  Estados Unidos 1988 Indianápolis
2. 10,64 Carmelita Jeter  Estados Unidos 2009 Shangai
3. 10,65 Marion Jones  Estados Unidos 1998 Johanesburgo
4. 10,70 Shelly-Ann Fraser  Jamaica 2012 Kingston
5. 10,73 Christine Arron  França 1998 Budapeste
6. 10,74 Merlene Ottey  Jamaica 1996 Milão
7. 10,75 Kerron Stewart  Jamaica 2009 Roma
8. 10,76 Evelyn Ashford  Estados Unidos 1984 Zurique
8. 10,76 Veronica Campbell-Brown  Jamaica 2011 Ostrava
10. 10,77 Irina Privalova  Rússia 1994 Lausanne
10. 10,77 Ivet Lalova  Bulgária 2004 Plovdiv

Obs.: Todos os recordes comprovadamente obtidos por meio de doping foram ou serão cancelados pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF).

Fonte: http://www.iaaf.org/statistics/toplists/inout=o/age=n/season=0/sex=W/all=y/legal=A/disc=100/detail.html


Recordes na CPLP[editar | editar código-fonte]

Recordes nacionais na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

País Homens Mulheres
Marca Atleta Data Lugar Marca Atleta Data Lugar
 Brasil 10.00 s Robson Caetano 31 de maio de 1988 Cidade do México 11.05 s Ana Cláudia Lemos da Silva 12 de maio de 2013 Belém
 Portugal 9.86 s Francis Obikwelu 22 de agosto de 2004 Atenas 11.30 s Lucrécia Jardim 2 de agosto de 1997 Atenas
 Angola 10.49 s Afonso Ferraz 8 de julho de 1992 Maia 11.69 s Antónia de Jesus 30 de junho de 1995 Porto
 São Tomé e Príncipe 10.61 s Yazaldes Nascimento 1 de junho de 2007 Leiria 11.61 s Severina Cravid 20 de junho de 1998 Lisboa
 Moçambique 10.71 s Kurt Couto 13 de abril de 2007 Windhoek 11.62 s Elisa Cossa 14 de setembro de 1999 Joanesburgo
Cabo Verde Cabo Verde 10.92 s Denielsan Martins 10 de agosto de 2013 Moscou 12.72 s Lenira Santos 2004
Guiné-Bissau 10.45 s Holder da Silva 10 de junho de 2008 Lisboa 12.58 s Carla Gama 7 de julho de 2007 Viseu
Timor-Leste 13.57 s Jesaltina de Jesus Guterres 21 de maio de 2001 Darwin

Ligações externas[editar | editar código-fonte]