3000 metros com obstáculos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
3 000 metros obstáculos
Olímpico desde 1920 H / 2008 S
Desporto Atletismo
Praticado por Ambos os sexos
Campeão olímpico
Homens Ezekiel Kemboi
 Quênia
Mulheres Gulnara Samitova-Galkina
 Rússia
Campeão mundial
Homens Ezekiel Kemboi
 Quênia
Mulheres Yuliya Zaripova
 Rússia

3 000 metros com obstáculos é o nome de uma prova olímpica disputada numa pista de atletismo entre barreiras e fossos de água e deriva seu nome original, steeplechase, da antiga e tradicional corrida de cavalos disputada entre obstáculos em campo aberto.

A prova é originária das Ilhas Britânicas, onde corredores corriam de uma cidade para a outra se orientando pelos campanários de suas igrejas, usados como marcos por serem visualizados à grande distância. Durante o percurso, eles tinham inevitavelmente que pular sobre córregos e pequenos obstáculos e muros de pedra separando as propriedades no caminho. A prova moderna também tem origem numa corrida de cross-country de duas milhas disputadas pelos alunos da Universidade de Oxford em 1860, que foi substituída em 1865 por uma corrida com obstáculos em terreno plano, de onde se deriva a prova atual.

Regras[editar | editar código-fonte]

O steeplechase para mulheres é disputado na mesma distância de 3.000m, mas com barreiras mais baixas e foi introduzido em grandes torneios internacionais no Campeonato Mundial de Atletismo de Helsinque, em 2005.

O número de voltas na prova depende da localização do fosso d’água, se junto da pista interna ao gramado ou se na parte mais externa da pista, o que é variável. Durante a prova cada atleta precisa ultrapassar 28 vezes as barreiras, assim como é obrigado a pular sete vezes sobre o fosso de água.

De acordo com as regras da IAAF, cada barreira tem 91,4 cm de altura para os homens e 76,2 cm para as mulheres e são fixas, diferentes das provas de velocidade com barreiras que caem se forem tocadas, e muitas vezes os atletas se apóiam na parte superior delas para usar como impulso para o salto à frente.

O fosso d’água obrigatório em frente a uma das barreiras tem 3,66 m de comprimento e seu fundo é inclinado, começando com 70 cm de profundidade exatamente em baixo da barreira até chegar ao mesmo nível da pista ao final do comprimento, o que significa que quanto mais longe o atleta que a ultrapassa conseguir pular, menos água e pressão contrária pela frente terá nos pés e tornozelos, o que dá vantagem aos melhores saltadores entre os corredores.

Recordes[editar | editar código-fonte]

Os 3 000 metros obstáculos fazem parte do programa olímpico desde os Jogos de 1920 em Antuérpia; o primeiro campeão foi o britânico Percy Hodge. Anteriormente, disputaram-se provas semelhantes com distâncias de 2500m, 3200m e 4000m. Nas quatro edições seguintes, entre 1924 e 1936, a prova foi ganha por atletas finlandeses. Desde os Jogos da Cidade do México em 1968 que o steeplechase é completamente dominada por corredores do Quénia. Este país conquistou 17 das 30 medalhas de ouro, prata e bronze da prova, incluindo todos os primeiros e segundos lugares olímpicos desde 1984 e oito das melhores marcas de sempre. Apenas em Montreal e Moscou os quenianos não venceram a prova, justamente porque não a disputaram. Em 1976 por um boicote das nações africanas devido à presença da Nova Zelândia, que no ano anterior havia disputado uma partida de rúgbi na África do Sul, nação banida da comunidade esportiva mundial devido à política do Apartheid e em 1980 por causa do boicote dos EUA e seus aliados políticos aos Jogos de Moscou em razão da invasão soviética do Afeganistão.

O atual recorde olímpico da prova pertence ao queniano Julius Kariuki (8m05s5) desde os Jogos de Seul 88 e o mundial a Saif Saaeed Shaheen, do Qatar (7m53s63), na verdade mais um queniano, nascido como Stephen Cherono antes de ter adotado novo nome muçulmano. Saif mantém o recorde desde 2004. Também foi outro queniano, Moses Kiptanui, o primeiro homem a correr a distância em menos de oito minutos, em 1995.

A prova feminina estreou no programa olímpico nos Jogos de Pequim em 2008, com novo recorde mundial da russa Galkina, que já era a detentora do recorde anterior.

Melhores marcas de sempre[editar | editar código-fonte]

Homens[editar | editar código-fonte]

Actualizada em 11.08.20121

  1. 7:53,63 min Saif Saaeed Shaheen,  Catar, Bruxelas, 2004
  2. 7:53,64 min Brimin Kipruto,  Quênia, Monaco, 2011
  3. 7:54,31 min Paul Kipsiele Koech,  Quênia, Roma, 2012
  4. 7:55,28 min Brahim Boulami,  Marrocos, Bruxelas, 2001
  5. 7:55,72 min Bernard Barmasai,  Quênia, Colónia, 1997
  6. 7:55,76 min Ezekiel Kemboi,  Quênia, Monaco, 2011
  7. 7:56,16 min Moses Kiptanui,  Quênia, Colónia, 1997
  8. 7:56,81 min Richard Kipkemboi Mateelong,  Quênia, Doha, 2012
  9. 7:57,29 min Reuben Kosgei,  Quênia, Bruxelas, 2001
  10. 7:59,08 min Wilson Boit Kipketer,  Quênia, Zurique, 1997

Mulheres[editar | editar código-fonte]

Actualizada em 11.08.20122

  1. 8:58,81 min Gulnara Samitova-Galkina,  Rússia, Beijing, 2008
  2. 9:06,57 min Yekaterina Volkova,  Rússia, Osaka, 2007
  3. 9:06,72 min Yuliya Zaripova,  Rússia, Londres, 2012
  4. 9:07,14 min Milcah Cheywa,  Quênia, Oslo, 2012
  5. 9:07,32 min Marta Domínguez,  Espanha, Berlim, 2009
  6. 9:07,41 min Eunice Jepkorir,  Quênia, Beijing, 2008
  7. 9:08,37 min Habiba Ghribi,  Tunísia, Londres, 2012
  8. 9:09,00 min Sofia Assefa,  Etiópia, Oslo, 2012
  9. 9:09,19 min Tatyana Petrova,  Rússia, Osaka, 2007
  10. 9:09,61 min Hiwot Ayalew,  Etiópia, Oslo, 2012

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]