Estádio Municipal de Braga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estádio Municipal de Braga
Estadio Braga.JPG
Nomes
Nome Estádio AXA
Apelido Estadio da Pedreira
Características
Local Braga - Portugal
Capacidade 30,154 espectadores
Construção
Custo 161 000 000 €
Inauguração
Data 30 de Dezembro de 2003
Partida inaugural SC Braga 1-0 Celta de Vigo
Outras informações
Proprietário Câmara Municipal de Braga
Mandante Sporting de Braga
Estádio Municipal de Braga

O Estádio Municipal de Braga, conhecido por Estádio da Pedreira afirma-se como uma mais-valia para o concelho, valorizando a cidade e a região. Projectado pelo Arquitecto português Eduardo Souto Moura (Prémio Pritzker 2011) e pelo Engenheiro português Rui Furtado (da empresa afaconsult), é uma obra de particular beleza, enquanto peça de arquitectura e de invulgar engenharia «uma grande obra de arte», que vem dar corpo ao Parque Urbano implantado na encosta do Monte Castro, na periferia da área urbana de Braga virado para o vale do Rio Cávado. O estádio é actualmente utilizado pelo Sporting Clube de Braga.

Trata-se de um projecto de linhas arquitectónicas inovadoras, próprias de um estádio com 30 mil lugares de capacidade e apenas duas bancadas laterais, sendo que os topos do estádio são constituídos pelo anfiteatro rupestre da encosta do monte. A cobertura assume como referência "as pontes construídas pela civilização Inca", no Peru, de modo a iluminar a relva com luz natural, preservando assim a qualidade natural do relvado. Refira-se que esta obra foi contemplada com o Prémio Secil em 2004 (Categoria Arquitectura), e em 2005 (Categoria Engenharia Civil), prémio este que distingue de dois em dois anos pares e de dois em dois anos ímpares as mais significativas obras de Arquitectura e Engenharia realizadas nesse período. O estádio foi, por diversas vezes, considerado um dos mais originais e belos estádios do mundo. O jornal Financial Times, num artigo sobre os estádios britânicos, refere o Estádio como um dos 4 exemplos de "beautiful grounds".[1]

Em 9 de Julho de 2007, foi anunciado o acordo entre o Sporting Clube de Braga e o companhia de seguros AXA, na qual o estádio muda de nome para Estádio AXA,[2] que terminou no final da época 2013-14, voltando à sua designação anterior.

Construção[editar | editar código-fonte]

O custo estimado para o projecto inicial, que era de 32 milhões e 500 mil euros, no final o custo total das obras ultrapassou os 161 milhões de euros[3] .

Projeto arquitetónico[editar | editar código-fonte]

O arquiteto responsável, Souto Moura recebeu 3,75 milhões pelo projeto. Em 2014 reclama, da Câmara de Braga, mais três milhões de euros - quatro com os juros - de honorários a mais no projeto do estádio.[4]

Eventos notáveis[editar | editar código-fonte]

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

  • Capacidade (Lug. sentados no total): 30.154
  • Público: 29.390
  • Tribuna de honra: 99
  • Lugares camarotes: 882
  • Lugares deficientes motores: 32
  • Espaços públicos (Total): 44
  • Postos de comida e bebidas: 20
  • Postos de primeiros socorros: 4
  • Telefones públicos: 20


  • Instalações sanitárias: 352


  • Comunicação social (Total): 814
  • Rádio & TV: 264
  • Imprensa: 418
  • Observadores: 132
  • Espaços de apoio: 10.071 m²


  • Espaço para a UEFA: 1.073 m²


  • Estacionamento (Total): 7.224
  • No recinto do estádio: 5.224
  • Num raio de 1,5 km: 2.000


  • Outros equipamentos:
    • Posto de polícia
    • Sala de segurança
    • Sala de controlo
    • Sala de bombeiros

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Estádio Municipal de Braga
Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estádio Municipal de Braga