Filmes de Guerra, Canções de Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde setembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Filmes de Guerra, Canções de Amor
Álbum ao vivo de Engenheiros do Hawaii
Lançamento 1993
Gravação Sala Cecília Meireles, Rio de Janeiro, nos dias 5 e 6 de Julho de 1993
Gênero(s) Rock, Acústico
Duração 52:22
Idioma(s) Português
Formato(s) Ao Vivo
Gravadora(s) BMG
Produção Mayrton Bahia
Cronologia de Engenheiros do Hawaii
Último
Último
Gessinger, Licks & Maltz
Simples de Coração
Próximo
Próximo

Filmes de Guerra, Canções de Amor é um álbum da banda de rock brasileira Engenheiros do Hawaii, lançado em 1993.

É o segundo disco ao vivo da banda, confirmando a tendência de lançar um disco ao vivo a cada três discos de estúdio, seguindo o exemplo da banda Rush. Gravado na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, em Julho de 1993, o álbum traz canções do grupo em formato acústico, como Crônica, Para Entender, Alívio Imediato, Muros e Grades e O Exército de Um Homem Só. Algumas das canções trazem letras diferenciadas e atualizadas.

Há quatro canções inéditas: Mapas do Acaso, ¿Quanto Vale a Vida?, Às Vezes Nunca e Realidade Virtual (as duas últimas gravadas em estúdio).

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as canções compostas por Humberto Gessinger, exceto onde estiver indicado.

  1. Mapas do Acaso - 6:03
  2. Além dos Outdoors - 3:53
  3. Pra Entender - 3:19
  4. ¿Quanto Vale a Vida? - 5:35
  5. Crônica - 3:34
  6. Pra Ser Sincero (Humberto Gessinger e Augusto Licks) - 3:40
  7. Muros & Grades (Humberto Gessinger e Augusto Licks) - 6:10
  8. Alívio Imediato - 3:24
  9. Ando Só - 3:27
    • Várias Variáveis (1991)
  10. O Exército de Um Homem Só (Humberto Gessinger e Augusto Licks) - 5:46
    • O Papa é Pop (1990)
  11. Às Vezes Nunca - 3:29
  12. Realidade Virtual - 4:02

Formação[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Depois de três discos auto-produzidos, a banda optou por deixar a produção deste álbum a cargo de Mayrton Bahia, produtor musical da Legião Urbana até 1994.
  • Estima-se uma vendagem de 85.000 discos entre 1993 e 94, tornando-o o disco menos vendido da banda até a época.
  • A banda chegou a fazer turnê internacional no Japão (Nagoya e Iwaky, onde foram filmados vários clipes) e nos Estados Unidos (Los Angeles e San Francisco).
  • O disco conta com a participação da Orquestra Sinfônica Brasileira, em algumas canções, com regência do maestro mineiro Wagner Tiso.
  • Em entrevista, Humberto Gessinger considerou o guitarrista Augusto Licks "mais completo do que nunca".
  • No encarte, há a frase "Como enfermeira nos Filmes de Guerra e violinos nas Canções de Amor", referência à canção "Filmes de Guerra, Canções de Amor", que foi tocada no show, mas não entrou no disco.
  • O trecho "Cai o aparelho, o espelho vai ao chão", da versão atualizada de "Alívio Imediato", é uma referência à ditadura militar no Brasil (1964-1985). "Aparelho" era o termo militar que designava os esconderijos dos grupos guerrilheiros do início dos anos 70. Quando os refúgios eram descobertos pela polícia e pelo exército, os integrantes dos grupos diziam "caiu o aparelho!", ou seja, a polícia e as forças armadas encontraram as pistas que levavam aos guerrilheiros, já considerados procurados.
  • Em O Exército de Um Homem Só, no lugar do trecho "não interessa o que o bom senso diz", Humberto canta "não interessa o Diário da Corte". O Diário da Corte foi uma coluna assinada pelo jornalista Paulo Francis e mantida em vários jornais brasileiros até a morte de Francis, em 1997.
  • Na canção inédita Realidade Virtual o coro é formado supostamente pelo grupo Golden Boys. A suposição é garantida pelos nomes dos integrantes: Jurema, Ana, Cecília, Nair, Renato, Ronaldo, Roberto e Mário. O grupo também participou da canção O Papa é Pop, do álbum homônimo de 1990.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Engenheiros do Hawaii é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.