Gaivotas (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Gaivotas é o título de uma telenovela brasileira produzida pela Rede Tupi e exibida às 21h de 21 de maio a 30 de outubro de 1979. Escrita por Jorge Andrade e dirigida por Antonio Abujamra, Henrique Martins e Edson Braga.

Trama[editar | editar código-fonte]

Daniel reúne seus amigos de colégio trinta anos depois em sua mansão. Seu intuito é desvendar os mistérios que envolveram tragicamente a formatura de 1949, onde ele saira como principal suspeito e fora humilhado pelos colegas de classe, acusado de ser o responsável pela morte de uma professora. O antigo menino pobre que estudou de graça num externato para ricos tornou-se um dos maiores milionários do estado de São Paulo.

Trinta anos depois, como estarão seus amigos? Maria Emília continua altiva, mesmo com a falência de sua família. Ângela, sempre meiga, continua solteira e sonhando com um velho colega do externato, hoje transformado em frei Alberto. Fernando é um ator sem sucesso que busca montar uma nova peça de teatro.

O suspense ronda a trama pelo desconhecimento dos reais motivos que levaram Daniel a querer reunir os amigos de colégio. Seria amor, ódio, vingança, ou apenas vontade de tentar ensinar a eles como subir na vida, o que aconteceu com ele?

Elenco[editar | editar código-fonte]

Participações

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Numa de suas muitas estratégias de programação, já em crise, visando manter o público ligado e atacar como podia a concorrência na busca pela audiência, a Tupi apostava numa novela às 21h escrita pelo respeitado dramaturgo Jorge Andrade, autor de Os Ossos do Barão e O Grito, e trazia astros da Rede Globo para integrar o elenco. Para viver o protagonista Daniel, foi escalado o ator Rubens de Falco (que havia participado de "Os Ossos…" no teatro e de "O Grito"), vindo de seguidos sucessos na emissora carioca (Escrava Isaura, Dona Xepa, O Astro, A Sucessora). Para viver Maria Emília, a principal personagem feminina, a estrela Yoná Magalhães, além de outros grandes nomes.
  • Neste elenco composto por estrelas, destaque, além de Rubens e Yoná, para os trabalhos de Isabel Ribeiro, Márcia Real (a mestra Idalina) e Cleyde Yaconis (Lídia, coroa motoqueira, de bem com a vida). Ainda, as presenças dos então iniciantes Cristina Mullins, Cláudia Alencar e Edson Celulari, futuros olimpianos.
  • A trama tinha uma estrutura muito bem definida, e teve algum sucesso na época, ainda que a emissora em si já apresentasse sinais de decadência.
  • Tem o mérito de apresentar um dos personagens negros mais bem postos na sociedade e no mercado de trabalho, Otávio, o amigo pessoal de Daniel e executivo em suas empresas, interpretado por Gésio Amadeu.
  • O tema de abertura era "Libertango", um dos grandes tangos do músico Astor Piazzolla.
Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.