Ibn Tufail

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Ibn Tufail[1] (Guadix, Espanha, ca. década 1100 — Marraquexe, Marrocos, ca. 1185) (nome completo: Abu Bakr Muhammad ibn Abd al-Malik ibn Tufail al-Qaisi; árabe: أبو بكر محمد بن عبد الملك بن محمد بن طفيل القيسي الأندلسي; formas latinizadas: Abubácer e Abentofail) foi um médico, matemático, astrônomo, filósofo e poeta muçulmano do Al-Andalus.

Nasceu em Guadix, Andaluzia, Espanha. Pouco se sabe sobre sua juventude, mas é provável que tenha estudado em Sevilha e em Córdoba, dois grandes centros de ensino, dedicando-se às ciências e as letras. Participou da vida cultural, política e religiosa na corte de Granada, onde foi médico e, depois, secretário e vizir. Realizou muitas viagens diplomáticas. Tornou-se secretário do governador de Ceuta e Tânger, Sid Abu Said. Transferiu-se, mais tarde, para Marraquexe, onde exerceu o cargo de médico do sultão Abu Yakub Yusuf. Atraiu outros sábios para a corte de Marraquexe, entre eles Averróis, do qual tornou-se protetor. Incentivou Averróis a escrever seus comentários sobre Aristóteles e deixou-lhe, posteriormente, as atribuições de médico da corte.

Foi um neoplatônico.[carece de fontes?] Dos muitos escritos deste sábio, restou somente o romance filosófico Hayy ibn Yaqzan (Vivente, filho do Vigilante), traduzido e publicado em latim por Edward Pococke em 1671, em Oxford, com o título de Philosophus autodidacticus (O filósofo autodidata).

Notas

  1. Também grafado Ibn Tufayl.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.