José Mattoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

José João da Conceição Gonçalves Mattoso GOSE (Leiria, 22 de Janeiro de 1933) é um historiador medievista e professor universitário português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do professor liceal António Gonçalves Mattoso, licenciou-se em História, na Universidade Catolica de Lovaina e ingressou na vida religiosa. Durante vinte anos foi monge da Ordem de São Bento, vivendo na Abadia de Singeverga, e usando o nome de Frei José de Santa Escolástica Mattoso. Em 1966 doutorou-se em História Medieval, pela Universidade Católica de Lovaina, com a tese Le Monachisme ibérique et Cluny: les monastères du diocèse de Porto de l'an mille à 1200[1] . Só em 1970 retornou à vida laica, iniciando a sua carreira universitária.

Foi investigador no Centro de Estudos Históricos (Lisboa) do Instituto de Alta Cultura e assistente na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, ascendendo a professor catedrático na recém-criada Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova. Exerceu ainda as funções de presidente do Instituto Português de Arquivos, de 1988 a 1990, e de director da Torre do Tombo, entre 1996 e 1998. Viveu também em Timor-Leste, colaborando na recuperação do Arquivo Nacional e no Arquivo da Resistência, e leccionando no Seminário Maior de Díli. Autor de uma extensa bibliografia, é especialista na História Medieval portuguesa, destacando-se as suas obras Ricos-Homens, Infanções e Cavaleiros, Fragmentos de Uma Composição Medieval, O reino dos mortos na Idade Média e Identificação de Um País. Ensaio sobre as Origens de Portugal (1096-1325) (vol. I - Oposição; vol. II - Composição), sucessivamente premiada com o Prémio de História Medieval Alfredo Pimenta e o Prémio Ensaio do P.E.N. Clube Português. Dirigiu também uma edição de oito volumes da História de Portugal (1993-1995). Recebeu o Prémio Pessoa, em 1987, o Prémio Internacional de Genealogia Bohüs Szögyeny, em 1991, a Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, a 10 de Junho de 1992,[2] e o Troféu Latino, em 2007.

Desde Maio de 2010 é Presidente do Conselho Científico das Ciências Sociais e Humanidades da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Bibliografia activa[editar | editar código-fonte]

  • Le monarchisme ibérique et Cluny. Les monastéres du diocése de Porto de l'an mille à 1200, 1968
  • As famílias condais portucalenses dos séculos X e XI, 1970
  • Beneditina Lusitana, 1974
  • Livro de linhagens do Conde D. Pedro, ed. crítica, 1980
  • Livros velhos de linhagens, ed. crítica por Joseph Piel e José Mattoso, 1980
  • A nobreza medieval portuguesa. A família e o poder, 1981 ; 1994
  • Ricos-Homens, infanções e cavaleiros. A nobreza medieval portuguesa nos sécs. XI e XII, 1982 ; 1998
  • Religião e cultura na Idade Média portuguesa, 1982 ; 1997
  • Narrativas dos Livros de Linhagens, selecção, introdução e comentários, 1983
  • Portugal medieval. Novas interpretações, 1985 ; 1992
  • O essencial sobre a formação da nacionalidade, 1985 ; 1986
  • Identificação de um país. Ensaio sobre as origens de Portugal, 1096-1325, 1985 ; 1995
  • O essencial sobre a cultura medieval portuguesa, 1985 ; 1993
  • A escrita da história, 1986
  • Fragmentos de uma composição medieval, 1987 ; 1990
  • O essencial sobre os provérbios medievais portugueses, 1987
  • A escrita da História. Teoria e métodos, 1988 ; 1997
  • O castelo e a feira. A Terra de Santa Maria nos séculos XI a XIII, em colab. com Amélia Andrade, Luís Krus, 1989
  • Almada no tempo de D. Sancho I (Comunicação), 1991
  • Os primeiros reis (História de Portugal - Vol. I) (Infanto-juvenil), com Ana Maria Magalhães, Isabel Alçada, 1993 ; 2001
  • A Terra de Santa Maria no século XIII. Problemas e documentos, em colab. com Amélia Andrade, Luís Krus, 1993
  • No Reino de Portugal (História de Portugal - Vol. II) (Infanto-juvenil), com Ana Maria Magalhães, Isabel Alçada, 1994 ; 2003 Coja, 1995
  • Tempos de revolução (História de Portugal - Vol. III) (Infanto-juvenil), com Ana Maria Magalhães, Isabel Alçada, 1995
  • O reino dos mortos na Idade Média peninsular, ed. lit., 1996
  • A Identidade Nacional, 1998 ; 2003
  • A função social da História no mundo de hoje, 1999
  • A dignidade. Konis Santana e a resistência timorense, 2005
  • Portugal O Sabor da Terra, um retrato histórico e geográfico por regiões, com Suzanne Daveau e Duarte Belo. 1998; 2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Publicada em 1968: Louvain, Publications Universitaires de Louvain (Recueil de travaux d’histoire et de philologie, 4.e série, Fascicule 39).
  2. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas. Presidência da República Portuguesa. Página visitada em 28 de dezembro de 2012. "Resultado da busca de "José Mattoso"."
Precedido por
Jorge Borges de Macedo
Director da Torre do Tombo
1996 - 1998
Sucedido por
Bernardo de Vasconcelos e Sousa