Lojban

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lojban (lojban)
Pronúncia: /la ˈloʒban/
Criado por: The Logical Language Group 1987
Total de falantes:
Categoria (propósito): Língua artificial
 Lojban
Estatuto oficial
Língua oficial de: Nenhures
Regulado por: The Logical Language Group (la lojbangirz)
Códigos de língua
ISO 639-1: -
ISO 639-2: jbo
ISO 639-3: jbo
Bandeira/logo de Lojban

Lojban é uma língua humana construída sintaticamente sem ambiguidades baseado na Lógica de predicados, sucessor o projeto linguístico Loglan. O nome "Lojban" é uma palavra composta a partir de loj e ban, que são formas curtas das palavras logji (lógica) e bangu (língua; linguagem; idioma), respectivamente.

O desenvolvimento do idioma iniciou-se em 1987 por The Logical Language Group (LLG), cuja intenção era realizar os propósitos do idioma Loglan, bem como complementa-la ainda mais, tornando-a mais usável e disponível gratuitamente (como indicado pelo seu nome oficial completo em Inglês "Lojban: a realization of Loglan"). Depois de um período inicial de debates e testes, as bases do idioma foram finalizado em 1997 com a publicação de The Complete Lojban Language. Numa entrevista em 2010 para o New York Times, Arika Okrent, autor de In the Land of Invented Languages, afirmou: "A língua construída com a gramática mais completa é provavelmente Lojban - uma língua criada para refletir os princípios da lógica."[1] As principais fontes de seu vocabulário foram as seis línguas mais faladas em 1987: Mandarim, Inglês, Hindi, Espanhol, Russo, e Árabe, escolhidas para reduzir a falta de familiaridade ou estranheza dos radicais para pessoas de diversas origens linguísticas.

História[editar | editar código-fonte]

Lojban tem um antecessor, Loglan, um idioma inventado por James Cooke Brown em 1955 e desenvolvido por The Loglan Institute. Loglan foi originalmente concebido como uma forma de analisar a influência do idioma sobre o pensamento do falante (um pressuposto conhecido como a hipótese de Sapir-Whorf).

Quando Brown começou a reivindicar os direitos autorais[2] [3] dos componentes do idioma, algumas restrições foram impostas sobre a atividade da comunidade. Para contornar o problema, um grupo de pessoas decidiu iniciar um projeto independente e separado, baseado no léxico da língua Loglan. Desta forma, foi reiventado todo o vocabulário, que, hoje, é todo o vocabulário e léxico atual de Lojban. Então, este grupo se estabeleceu em 1987, com a denominação The Logical Language Group, cujo sede situa-se em Washington DC. O grupo também ganhou um julgamento que permitiu chamar a versão deste novo idioma criado por eles de "Loglan".[4]

Após a publicação de The Complete Lojban Language, esperava-se que "the documented lexicon would be baselined, and the combination of lexicon and reference grammar would be frozen for a minimum of 5 years while language usage grew."[5] Como previsto, este período expirou em 2002. Os falantes de Lojban agora estão livres para construir novas palavras e expressões idiomáticas, e decidir onde a língua está se dirigindo.

Lojban ainda compartilha muitas das características de Loglan:

  • Lojban e Loglan possuem uma gramática baseada na lógica de predicados, projetado para expressar construções lógicas complexas com precisão.
  • Ambos não possuem irregularidades ou ambiguidades ortográficas e gramaticais (embora derivativos dependem de formas variantes arbitrárias). Isto dá origem a alta inteligibilidade para análise sintática computacional.
  • Ambos são projetados para ser o mais culturalmente neutro possível.
  • Ambos permitem o aprendizado e uso bem sistemático, em comparação com a maioria das linguagens naturais.
  • Possuem um complexo sistema de indicadores que permite comunicar eficazmente atitudes contextuais ou emoções.
  • Não possuem a simplicidade como um critério de projeto.

Desenvolvimento literário e vocabulário[editar | editar código-fonte]

Lojban pode ser um excelente instrumento intelectual para a criação literária e é considerada como uma língua de muitos aspectos potenciais a ser descoberto ou explorado.

Dan Parmenter:

The removal of grammatical ambiguity from modification [...] seems to heighten creative exploration of word combination. [...] Other areas of possible benefit are (surprisingly in a 'logical' language) emotional expression. Lojban has a fully developed set of metalinguistic and emotional attitude indicators that supplant much of the baggage of aspect and mood found in natural languages, but most clearly separate indicative statements from the emotional communication associated with those statements. This might lead to freer expression and consideration of ideas, since stating an idea can be distinguished from supporting that idea. The set of possible indicators is also large enough to provide specificity and clarity of emotions that is difficult in natural languages.

John Cowan:

There is a marker for "figurative speech" which would be used on "back stabber" and would signal "There is a culturally dependent construction here!" The intent is not that everything is instantly and perfectly comprehensible to someone who knows only the root words, but rather that non-root words are built up creatively from the roots. Thus "heart pain" would refer to the literal heart and literal pain; what would be ambiguous would be the exact connection between these two. Is the pain in the heart, because of the heart, or what? But "heart pain" would not be a valid tanru for "emotional pain", absent the figurative speech marker.

The language was built to attempt to remove some limits on human thought; these limits are not understood, so that the tendency is to try to remove restrictions whenever we find the language structure gets in our way. You definitely can talk nonsense in Lojban.

Bob LeChevalier:

In Lojban, a little grammar makes for a lot of semantic fun, since the grammar doesn't interfere with the semantic quibble you love. [...] In addition to its grammar, Lojban is definitely a priori in its words[...] We presume that everything can be covered as compounds of the classification scheme implied by the gismu. [...] We haven't, though, tried to impose a system on the universe like most a priori languages have. Instead, we have tried to broaden gismu flexibility so that multiple approaches to classifying the universe are possible. Our rule is that any word have one meaning, not that any meaning have one word. There is no 'proper' classification scheme in Lojban. [...] Lojban offers a new world of thought.

Como a maioria das línguas com poucos falantes, Lojban carece muito de uma literatura e suas extensões criativas não foram plenamente realizados (o verdadeiro potencial do seu sistema de atitudes, por exemplo, é considerado improvável de ser retirado "until and unless we have children raised entirely in a multi-cultural Lojban-speaking environment"[6] ). Fontes coletivas ou enciclopédicas, como a Wikipedia da língua Lojban, que pode ajudar a expandir o horizonte lexical da língua, não são muito desenvolvidas também.

A literatura e escritos em Lojban acessíveis, atualmente, estão principalmente concentrados no website Lojban.org, embora existam também sites jornalísticos e blogs em Lojban. Lojban IRC (ou seus arquivos) também possui um conjunto de expressões em Lojban, mas sua correção gramatical nem sempre é garantido.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikilivros
O Wikilivros tem mais informações sobre Lojban
Wikcionário
O Wikcionário possui o verbete Lojban.