Papio ursinus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaPapio ursinus[1]
Um macho de P. u. griseipes

Um macho de P. u. griseipes
Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante (IUCN 3.1) [2]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Família: Cercopithecidae
Género: Papio
Espécie: P. ursinus
Nome binomial
Papio ursinus
(Kerr, 1792)
Distribuição geográfica
Papio ursinus distribution.svg
Subespécies
3 ssp., ver texto

Papio ursinus é uma espécie de babuíno, um macaco do Velho Mundo do gênero Papio. É uma das maiores espécies de primatas.

Ocorrendo principalmente no sul da África, P. ursinus possui uma ampla variedade de comportamentos sociais, incluindo hierarquia de dominância, forrageamento coletivo, adoção de infantes pelas fêmeas, "amizade". São complexos comportamentos da ecologia dessa espécie.

Em geral, essa espécie não é ameaçada, mas a pressão da população humana tem aumentado o contato entre babuínos e humanos. Caça, acidentes e atropelamento são graves ameaças a P. ursinus. Isto tem diminuído as populações e corrompido sua estrutura social.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Devido à hibridização entre as espécies de babuínos na África, alguns autores têm ocasionalmente incluído todas as populações em uma única espécie, Papio papio. Fronteiras relativamente arbitrárias foram usadas para separá-las em subespécies.[3] Outros autores consideram P. ursinus como subespécie de Papio cynocephalus, embora, atualmente, sejam duas espécies separadas. P. ursinus tem duas ou três subespécies, dependendo da classificação: Grubb et al. (2003) lista duas,[4] enquanto Groves (2005) no Mammal Species of the World lista três.[1] Para Grubb et al. (2003), P. u. raucanaé sinônimos de P. u. ursinus.[4]

  • Papio ursinus ursinus Kerr, 1792 – (encontrado no sul da África do Sul)
  • P. u. griseipes Pocock, 1911 – (encontrado desde o norte da África do Sul até a Zâmbia)(
  • P. u. raucana Shortridge, 1942 – (encontrado desde a Namíbia até o sul de Angola)(

Descrição[editar | editar código-fonte]

P. ursinus provavelmente é uma das maiores espécies de macacos, com o comprimento do macho entre 50 e 115 cm e a cauda medindo entre 45 e 84 cm.[5] [6] É também, um dos mais pesados: o macho pesa entre 21 e 45 kg. Babuínos são sexualmente dimórficos e as fêmeas são menores que os machos. A fêmea pesa entre 12 e 25 kg.[7] [8] É similar ao tamanho de Papio anubis e pesa como o compacto mandril.[9] P. ursinus é geralmente cor marrom a cinza. Ao contrário dos machos das espécies de babuínos ao norte, os machos de P. ursinus não possuem juba. A mais distinta característica desta espécie é a face longa, voltada para baixo.[10] [11] Os caninos de um macho podem chegar a ter 4,16 cm de comprimento.[12]

Referências

  1. a b Groves, C.P.. In: Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.). Mammal Species of the World. 3. ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. Seção Order Primates. 167 pp. ISBN 978-0-8018-8221-0. OCLC 62265494.
  2. (em inglês) Hoffmann, M. & Hilton-Taylor, C. (2008). Papio ursinus. 2008 Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN. IUCN 2008. Obtido em 28 de julho de 2013.
  3. Fleagle, J.. Primate Adaptation and Evolution. 2nd. ed. [S.l.]: Academic Press, 1999. p. 195. ISBN 0-12-260341-9.
  4. a b (2003) "Assessment of the diversity of African primates". International Journal of Primatology 24 (6): 1301–1357. DOI:10.1023/B:IJOP.0000005994.86792.b9.
  5. Nowak, R.M.. Walker’s Mammals of the World. Baltimore and London: The Johns Hopkins University Press, 1991. ISBN 9780801857898.
  6. Estes, R.D.. The Behavior Guide To African Mammals: Including Hoofed Mammals, Carnivores, Primates. Berkeley, California: University of California Press, 1992. ISBN 9780520080850.
  7. Animal: The Definitive Visual Guide to the World's Wildlife. [S.l.]: DK Adult, 2005. ISBN 0-7894-7764-5.
  8. Kingdon, J.. Kingdon Guide to African Mammals. [S.l.: s.n.], 1993. ISBN 978-0-85112-235-9.
  9. doi:10.1002/ajpa.1330600116
    Esta citação será automaticamente completada em poucos minutos. Você pode furar a fila ou completar manualmente
  10. Jolly, C. J.. In: W. H. Kimbel. Species, Species Concepts, and Primate Evolution. New York: Plenum Press, 1993. ISBN 9780306442971.
  11. Groves, C.. Primate Taxonomy. Washington DC: Smithsonian Institution Press, 2001. ISBN 9781560988724.
  12. (1990) "Natal male baboon rank rises and successful challenges to resident alpha males". Behavioral Ecology and Sociobiology 26 (5): 357–362. DOI:10.1007/BF00171102.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Papio ursinus
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Papio ursinus

Ícone de esboço Este artigo sobre Macacos do Velho Mundo ou Hominoidea, integrado ao WikiProjeto Primatas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.