Cercopithecus hamlyni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaCercopithecus hamlyni[1]
Cercopithecus hamlyni.jpg

Estado de conservação
Status iucn3.1 VU pt.svg
Vulnerável (IUCN 3.1) [2]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Família: Cercopithecidae
Género: Cercopithecus
Espécie: C. hamlyni
Nome binomial
Cercopithecus hamlyni
Pocock, 1907
Distribuição geográfica
Cercopithecus hamlyni distribution.svg

Cercopithecus hamlyni é um Macaco do Velho Mundo que habita florestas de bambu e floresta ombrófila da República Democrática do Congo. É extremamente rara, e se conhece apenas alguns espécimes; e pouco se sabe sobre eles. Entretanto, esses indivíduos estão amplamente distribuídos através do leste do Congo, do rio Epulu até ao rio Lukuga e do rio Congo até a Floresta Kabale, comum exemplar no noroeste de Ruanda. Geograficamente corresponde de forma muito próxima a Cercopithecus lhoesti. Caminha pelo solo, e parece estar mais ativo durante a noite.

Schwarz (1928) agrupou essa espécie com C. lhoesti, enquanto Elliot (1913) notou que existe uma padrão distinto no terceiro molar e o classificou em outro gênero, Rhinostigma. Este autor acreditava ser um intermediário entre Cercopithecus e Cercocebus.[3] Possui apenas uma subespécie.[1] O macho é muito maior que a fêmea, pesando entre 7 e 10 kg, enquanto que a fêmea pesa em média 4,5 a 6 kg.[4] Acredita-se que é frugívoro e folívoro.[5] Alguns registros indicam que a espécie vive em pequenos grupos, com menos de 10 indivíduos, com um macho e várias fêmeas, com nenhum dado mostrando que existe monogamia.[6] A espécie em altitudes elevadas, entre 900 m e 4600 m de altitude.[7] A cor é geralmente cinza escuro, com uma característica listra branca que se estende desde a base do nariz até ao lábio superior, dando uma aparência de coruja. O nome científico é uma homenagem ao primeiro negociante que levou o animal ao Zoológico de Londres. Possui glândulas odoríferas no peito, que são usadas para marcar território. Ambos os sexos possuem as nádegas de cor azul, e os machos possuem o escroto com essa cor também. A coloração dos juvenis é marrom-amarelado e a face é rosa. Em cativeiro podem viver até 33 anos.[4] Como outros do gênero, forrageiam por grandes áreas.[8]

Subespécies[editar | editar código-fonte]

  • Cercopithecus hamlyni hamlyni
  • Cercopithecus hamlyni kahuziensis

Referências

  1. a b Groves, C.P.. Order Primates. In: Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.). Mammal Species of the World. 3 ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. 156 pp. ISBN 978-0-8018-8221-0 OCLC 62265494
  2. Hart, J. & Butynski, T. M. (2008). Cercopithecus hamlyni (em Inglês). IUCN 2012. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2012 Versão 2. Página visitada em 05 de abril de 2013.
  3. Tappen, N.C.. Problems of Distribution and Adaptation of the African Monkeys. [S.l.]: The University of Chicago Press, 1960. p. 98.
  4. a b Singapore Zoological Gardens Docents (1999). Cercopithecids (Cercopithecidae).
  5. Thomas, Sean C.. Population Densities and Patterns of Habitat Use Among Anthropoid Primates of the Ituri Forest, Zaire. [S.l.]: The Association for Tropical Biology and Conservation, 1991. p. 9.
  6. Fuentes, Agustin. Re-Evaluating Primate Monogamy. [S.l.]: American Anthropological Association, 1998. p. 895.
  7. Wolfheim, Jaclyn H. Primates of the World; Distribution, Abundance and Conservation. UK: Routledge, 1983-01-01. 390–1 pp. ISBN 3-7186-0190-7
  8. Ankel-Simons, Friderun. Primate Anatomy. [S.l.]: Elsevier, 1999-11-03. p. 99. ISBN 0-12-058670-3


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Macacos do Velho Mundo ou Hominoidea, integrado ao WikiProjeto Primatas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.