Peter Falk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Peter Falk
Peter Falk (1973)
Nome completo Peter Michael Falk
Outros nomes Peter Falk
Nascimento 16 de Setembro de 1927
Nova Iorque
Nacionalidade Povo dos Estados Unidos norte-americano(a)
Morte 23 de junho de 2011 (83 anos)
Beverly Hills
Ocupação Ator
IMDb: (inglês)

Peter Michael Falk (Nova Iorque, 16 de setembro de 1927Beverly Hills, 23 de junho de 2011) foi um ator norte-americano famoso pelo seu papel em Columbo, uma série policial de TV, sucesso mundial na década de 1970, na qual desempenhava o papel do detetive Columbo, um tenente da Polícia de Los Angeles que descobria e resolvia em cada episódio um mistério relacionado com um assassinato[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Nova Iorque, Falk era filho de Michael Peter Falk, dono de uma loja de roupas e produtos secos, e sua esposa, Madeline (nascida Hockhauser), uma contadora e gerente de compras. Sua família era judia, seu pai de ascendência russa e sua mãe de ascendência polonesa, com raízes húngaras e tchecas. Perdeu o olho direito aos três anos por causa de um retinoblastoma, substituindo o órgão por um olho de vidro. Apesar disso, Falk participou de esportes coletivos, principalmente beisebol e basquete, quando garoto. Ele estudou na Ossining High School, no Condado de Westchester, Nova Iorque, onde era atleta e presidente de sua classe sênior. Depois de terminar o colegial em 1945, participou brevemente do Hamilton College, em Clinton, Nova Iorque, e depois tentou unir-se às Forças Armadas já que a Segunda Guerra Mundial estava chegando ao fim. Rejeitado por causa de seu olho de vidro, ele se juntou à Marinha Mercante dos Estados Unidos, e serviu como cozinheiro e copeiro. "Lá eles não se importam se você é cego ou não", disse Falk, em 1997. "O único em um navio que tem que enxergar é o capitão. E no caso do Titanic, ele não conseguia ver muito bem, também". Falk lembra desse período em sua autobiografia:

"Um ano no mar foi suficiente para mim, então voltei para a faculdade. Eu não fiquei muito tempo. Muito chato. O que fazer depois? Eu me inscrevi para ir a Israel lutar na guerra contra o Egito. (...) Eu só queria mais emoção (...) No entanto, a guerra, para espanto de todos, acabou num piscar de olhos".

Depois de um ano e meio na Marinha Mercante, Falk voltou a Hamilton College e também estudou na Universidade de Wisconsin. Ele se transferiu para a New School for Social Research (Nova Escola para Pesquisa Social), em Nova Iorque, que lhe concedeu um diploma de bacharel em literatura e ciência política em 1951. Ele, então, viajou pela Europa e trabalhou em uma estrada de ferro na Iugoslávia durante seis meses. Retornou à Nova Iorque, matriculando-se na Universidade de Syracuse, mas lembrou-se nas memórias de 2006, Just One More Thing (Só Mais Uma Coisa), que não sabia o que queria fazer com sua vida por anos depois de deixar o ensino médio. Falk obteve o mestrado em Administração Pública na Escola Maxwell da Universidade de Syracuse, em 1953. O programa foi criado para treinar funcionários para o governo federal, uma carreira que Falk disse em suas memórias que não nutria "nenhum interesse e nenhuma aptidão". Ele se candidatou para trabalhar na CIA, mas foi rejeitado por ter pertencido à União Internacional Litorânea e de Armazém enquanto servia na Marinha Mercante. Falk, então, tornou-se um analista de gestão na Secretaria de Orçamento do Estado de Connecticut em Hartford. Ele caracteriza seu trabalho em Hartford como um "especialista em eficiência". "Eu era tão perito de eficiência que na primeira manhã no emprego, eu não consegui encontrar o prédio onde eu tinha que entregar um relatório no trabalho", disse em 1997. "Naturalmente, eu estava atrasado, o que sempre estava naqueles dias, mas, ironicamente, foi a minha tendência para nunca chegar a tempo que me iniciou como um ator profissional". Em uma entrevista de 1997 à revista Cigar Aficionado com Arthur Marx, Falk disse: "Eu me lembro que uma vez na escola, o árbitro disse que eu estava fora da terceira base, quando eu tinha certeza de que estava salvo. Eu fiquei tão louco que tirei meu olho de vidro, entreguei para ele e disse: 'Tenta isso'. Eu comecei a rir tanto que você nem acreditaria". Falk sofria de Alzheimer e morreu deixando mulher e duas filhas[2] .

Carreira[editar | editar código-fonte]

Sua primeira aparição foi com 12 anos em The Pirates of Penzance em Camp High Point, em Nova Iorque, onde um dos conselheiros era Ross Martin (que atuaria com Falk em "A Corrida do Século" e o episódio de Columbo "Suitable for Framing"). Em 1968, ele estrelou com Gene Barry um "piloto" para a TV de 90 minutos, sobre um altamente qualificado e distraído detetive. Columbo tornou-se eventualmente parte de uma série antológica intitulada The NBC Mystery Movie, junto com McCloud e Casal McMillan. A série Columbo estreou oficialmente em 1971, e foi interrompida em 1978, retornando em 1989 com novos episódios até 2003. Ele foi "o detetive ranzinza de televisão favorito de todos", escreve o historiador David Fantle. Descrevendo o seu papel, o colunista da Variety Howard Prouty escreveu: "A alegria de tudo isto é assistir Columbo dissimular as matérias de capa extremamente inteligentes dos ratos repugnantes que se consideram os melhores". Columbo foi um detetive inspirado em Sherlock Holmes e influenciador de séries de TV como House e Monk. Peter Falk venceu cinco prêmios Emmy (quatro por Columbo) e em 1962, foi agraciado ao interpretar um caminhoneiro em um episódio de The Dick Powell Show. Ganhou um Globo de Ouro e para o Oscar foi indicado por duas vezes: Murder, Inc. (1960) de Burt Balaban e Stuart Rosemberg e por Dama por um dia (1961) de Frank Capra[2] . Peter Falk estreou na Broadway em 1956, obtendo o sucesso necessário que o levou a Hollywood. A deficiência física chamava muita atenção no cinema, restando-lhe sempre papéis menores, como em Deu a louca no mundo (1963) de Stanley Kramer e A corrida do século (1965) de Edward Blake; algumas vezes fez papéis como gângster. Para a série Columbo, Bing Crosby era o preferido da NBC para o papel, mas o veterano ator e cantor recusou o teste para não faltar num jogo de golfe[2] . Entre os seus trabalhos mais importantes estão filmes do diretor e amigo John Cassavetes: Os maridos (1970) e Uma mulher sob influência (1974). Em 1987 atuou como uma versão fictícia de si mesmo em Desejo, de Wim Wenders[2] .

Citação[editar | editar código-fonte]

Perguntaram-me milhares de vezes sobre o quanto de Columbo há em mim e vice-versa. Eu dizia que era tão desajeitado quanto Columbo, mas não tão esperto. Mas isso era uma resposta padrão. Na verdade, ninguém é como Columbo.
 
Peter Falk em Just One More Thing, seu livro de memórias,

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Falk em 1959
Falk em 2007
Cinema
Ano Filme Papel Observação
1959 The Bloody Brood Nico
1960 Murder Inc. Abe Reles Indicado para o Oscar de "Melhor Ator Coadjuvante"
The Secret of the Purple Reef Tom Weber
1961 Pocketful of Miracles Joy Boy Indicado para o Oscar de "Melhor Ator Coadjuvante"
1962 Pressure Point Psiquiatra iniciante
1963 The Balcony Chefe de polícia
It's a Mad, Mad, Mad, Mad World taxista
1964 Robin and the 7 Hoods Guy Gisborne
Attack and Retreat (Italiani Brava Gente) Medic Produção italiana
1965 The Great Race Max
1966 Penelope Tenente Horatio Bixbee
Too Many Thieves Danny
1967 Luv Milt Manville
1968 Anzio Cabo Jack Rabinoff
1969 Machine Gun McCain Charlie Adamo
Castle Keep Sargento Rossi
1970 Husbands Archie Black
1974 A Woman Under the Influence Nick Longhetti
1976 Murder by Death Sam Diamond
Mikey and Nicky Mikey
1978 The Cheap Detective Lou Peckinpaugh
1978 The Brink's Job Tony Pino
1979 The In-Laws Vincent J. Ricardo
1981 …All the Marbles Harry Sears
1987 The Princess Bride Avô/Narrador
Happy New Year Nick Dirigido por John G. Avildsen
Wings of Desire Ele próprio Dirigido por Wim Wenders
1988 Vibes Harry Buscafusco
1989 Cookie Dominick "Dino" Capisco
1990 Tune in Tomorrow Pedro Carmichael
1993 Faraway, So Close! Ele próprio Dirigido por Wim Wenders
1995 Roommates Rocky Holzcek
1998 Money Kings Vinnie Glynn
2001 Made Max
Corky Romano Francis A. "Pops" Romano
2002 Undisputed Mendy Ripstein
2004 Shark Tale Don Feinberg Voz
2005 The Thing About My Folks Sam Kleinman
2005 Checking Out Morris Applebaum
2007 Next Irv
2008 American Cowslip Padre Randolph
Televisão
Ano Programa Papel Observação
1958 Kraft Suspense Theatre Izzy 1 episódio
1959 Decoy Fred Dana 1 episódio
1960 Have Gun Will Travel Waller 1 episódio
The Untouchables Duke Mullen 1 episódio, "The Underworld Bank"
1961 The Twilight Zone Ramos Clemente 1 episódio, "The Mirror"
The Barbara Stanwyck Show Joe 1 episódio, "The Assassin"
1962 The New Breed Lopez 1 episódio
1963 Wagon Train Gus Morgan 1 episódio
1964 Ben Casey Dr. Jimmy Reynolds 2 episódios
1965–1966 The Trials of O'Brien Daniel O'Brien 22 episódios
1968 A Hatful of Rain Polo Pope 1 episódio
1968–2003 Columbo Tenente Columbo 69 episódios
1971 The Name of the Game Lewis Corbett 1 episódio
1978 Dean Martin Celebrity Roast Convidado especial com Frank Sinatra
1995 The Sunshine Boys Willie Clark Filme televisivo
2001 The Lost World Reverend Theo Kerr Filme televisivo
2001 A Town Without Christmas Max Filme televisivo
2003 Finding John Christmas Max Filme televisivo
2004 When Angels Come To Town Max Filme televisivo

Referências

  1. "'Columbo' Star Peter Falk Dies, report" baltimoresun.com
  2. a b c d Jornal O Estado de São Paulo (NYT/Reuters), 25-06-2011, p. A16

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Peter Falk
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.