Ploidia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde julho de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.


Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde agosto de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Cada espécie possui um número característico de cromossomos, nos seres humanos esse conjunto esta representado em dose dupla (diploide). Mas existem algumas espécies que o conjunto básico de cromossomos está em múltiplas cópias (poliploides). Porém, quando se considera a ploidia, um conjunto básico de cromossomos é chamado haplóide,como o caso de algumas bactérias ou leveduras, que têm fases haplóides da sua vida, (x), pois inclui apenas um cromossomo de cada tipo. A ploidia pode ser definida, portanto, como número de pares de cromossomos homólogos (cromossomos que têm informação para os mesmos genes e tem o mesmo tamanho) que cada célula apresenta.

Todos os seres têm fases haplóides como diplóides, assim como o ser-humano. Através da duração dessas fases podemos caracterizar o tipo de ciclo celular: haplonte (se a maior parte da vida do ser é passada como haplóide), diplonte (se a maior parte da vida do ser é passado como diplóide) ou haplodiplonte (se a vida do ser é dividida em fase haplonte e diplonte).

Grau de ploidia é número de genomas ou complementos cromossômicos de uma espécie. Os seres humanos são diplóides, pois possuimos 23 PARES de cromossomos. Porem nossos gametas (espermatozoide e ovulo) são células haplóides porque cada um possui somente 23 cromossomos.

Cada espécie em particular possuí um número de cromossomas característico. As espécies que se reproduzem assexuadamente têm um conjunto de cromossomas, que é igual em todas as células do corpo. As espécies que se reproduzem sexuadamente têm células somáticas, que são diplóides [2n] (têm dois conjuntos de cromossomas, um proveniente da mãe e outro do pai) ou poliplóides [Xn] (têm mais do que dois conjuntos de cromossomas). Além das células somáticas, os organismos que se reproduzem sexuadamente possuem os gâmetas (células reprodutoras), que são haplóides [n] (têm apenas um conjunto de cromossomas).

Os gâmetas são produzidos por meiose de uma célula diplóide da linha germinativa. Durante a meiose, cromossomas semelhantes de origem materna e paterna (por exemplo o cromossoma 1 de origem materna com o cromossoma 1 de origem paterna) podem trocar pequenas partes de si próprios (crossing-over), e assim criar novos cromossomas que não foram herdados unicamente de um dos progenitores (podendo criar, por exemplo, um cromossoma 1 que apresenta regiões provenientes do cromossoma 1 de origem materna junto com outras regiões do cromossoma 1 de origem paterna). Quando um gâmeta masculino e um gâmeta feminino se unem (fertilização), forma-se um novo organismo diplóide.

Ícone de esboço Este artigo sobre Genética é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.