Sarcoma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Neurofibrosarcoma, um tipo de sarcoma altamente maligno e deformante.
Apesar do nome, o Sarcoma de Kaposi, um tipo de câncer de pele comum em homens com HIV e KSHV (HHV-8) simultaneamente, não é um sarcoma de verdade.

Um sarcoma é um cancro (câncer)/neoplasia que atinge células da mesoderme, em contraste com os cânceres mais comuns, que atingem a parte mais superficial ou interna do tecido. Pode atingir osso, cartilagem, gordura, músculo, vasos sanguíneos, ou tecidos moles. O termo advém do termo grego e significa "crescimento carnoso". São os tipos de câncer que mais fazem metástase e portanto os mais perigosos e difíceis de serem tratados. [1]

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Pacientes com sarcoma, no entanto, geralmente não se sentem doentes e podem ter pouca ou nenhuma dor e, portanto, não consideram o fato de que essa massa pode representar uma doença muito mortal. Isso leva muitos a só procurarem ajuda médica depois que o sarcoma já esteja em um grau avançado e perigoso. Só costuma doer se for em uma área muito desconfortável ou sensível. O diagnóstico varia com o tipo de sarcoma mas pode ser feito por tomografia computadorizada, ressonância magnética, raio X, PET Scan ou por biópsia.[2]

Nomenclatura[editar | editar código-fonte]

Além de ser nomeado com base no tecido de origem ou de seu descobridor, os sarcomas são também atribuído um grau (baixo, médio ou alto) com base na presença e frequência de certas características celulares e subcelulares associados com o comportamento biológico maligno.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Sarcomas de baixa gravidade são geralmente tratados cirurgicamente, sem necessariamente precisar de radioterapia ou a quimioterapia, mas elas possam ser usadas dependendo do caso. Sarcomas de grau intermediário e grau alto são mais frequentemente tratados com uma combinação de cirurgia, quimioterapia e radioterapia, pois tumores de grau mais elevado são mais propensos a sofrer metástase, então precisam ser tratados de forma mais agressiva.[3] O reconhecimento de que muitos sarcomas são sensíveis à quimioterapia melhorou drasticamente a sobrevida dos pacientes. Por exemplo, na era antes da quimioterapia, a sobrevivência a longo prazo para pacientes com osteossarcoma localizado era apenas aproximadamente 20%, mas agora subiu para 60-70%.[4]

Tipos de sarcoma[editar | editar código-fonte]

Sarcomas e seus respectivos números no CID-0:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. John D, Pfeifer, Mark R Wick (2001). "Pathologic Evaluation of Neoplastic Diseases". American Cancer Society's, Clinical Oncology. Blackwell Publishing, Inc. p. 124.
  2. http://www.oncoguia.com.br/site/interna.php?cat=39&id=1218&menu=2
  3. Buecker, P (2005). "Sarcoma: A Diagnosis of Patience". ESUN 2 (5). Retrieved 2009-04-15.
  4. Longhi A, Errani C, De Paolis M, Mercuri M, Bacci G (Oct 2006). "Primary bone osteosarcoma in the pediatric age: state of the art". Cancer Treat Rev. 32 (6): 423–36. doi:10.1016/j.ctrv.2006.05.005. PMID 16860938.