Scooby-Doo (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Scooby-Doo
Scooby-Doo (PT)
Scooby-Doo: O Filme (BR)
 Estados Unidos
2002 •  cor •  86 min 
Direção Raja Gosnell
Elenco Freddie Prinze Jr.
Sarah Michelle Gellar
Matthew Lillard
Linda Cardellini
Scott Innes
Rowan Atkinson
Gênero Aventura
Comédia de terror
Lançamento Estados Unidos 14 de Junho de 2002
Portugal 12 de Julho de 2002
Brasil 4 de Outubro de 2002
Idioma Inglês
Orçamento US$ 84 milhões
Receita US$ 275 650 703[1]
Cronologia
Último
Último
Scooby-Doo 2: Monstros à Solta
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Scooby-Doo é um filme produzido pela Warner Bros. no ano de 2002, sendo o primeiro longa-metragem de ação live-action/animação da série Scooby-Doo. Foi lançado em 14 de Junho de 2002 nos Estados Unidos, 12 de Julho em Portugal e em 4 de Outubro do mesmo ano no Brasil.

O filme teve direção de Raja Gosnell e estrelou os atores Freddie Prinze Jr. como Fred Jones, Sarah Michelle Gellar como Daphne Blake, Matthew Lillard como Salsicha Rogers e Linda Cardellini como Velma Dinkley. O filme ainda contou com a participação de Rowan Atkinson, o Mr. Bean, como Emile Mondavarius.

Após seu lancamento em 2002, o filme ganhou uma sequência Scooby-Doo 2: Monstros à Solta , e uma prequela Scooby-Doo! O Mistério Começa que foi seguido por uma sequência em 2010, Scooby-Doo! A Maldição do Monstro do Lago.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A Mistério S.A. termina depois que a turma derrota o fantasma Lunar e Fred fica com todos os créditos do ocorrido. Mas, quando Emile Mondavarius (Rowan Atkinson) contrata todos eles para desvendarem os mistérios ocorridos na Ilha do Espanto, eles terão que formar uma equipe como nos velhos tempos e desvendarem os mistérios juntos.[2]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

O produtor Charles Roven começou o desenvolvimento de um live-action de Scooby-Doo em 1994. O ator Mike Myers também manifestou interesse em atuar com Salsicha. Até o final da década, a popularidade combinada de Scooby-Doo, Where Are You!, juntamente com a adição do roteiro e animação digital atualizada levou a Warner Bros. para produção do filme.

Filmagens[editar | editar código-fonte]

O filme foi filmado em estúdios e em torno de Queensland, na Austrália. A produção teve início em 12 de Fevereiro de 2001, no parque temático da Warner Bros. Movie World,[3] [4] e terminou por volta de Junho de 2001.

Reformulação[editar | editar código-fonte]

O filme foi originalmente definido para ter um tom mais escuro, essencialmente zombando a série original, muito parecido com o filme The Brady Bunch e estava pronto para uma classificação PG-13 [inadequado para crianças]. Salsicha foi criado para ser um pedreiro, Velma e Daphne tiveram um breve relacionamento lésbico,[5] e havia muitas referências para maconha.[6] Vários rumores sobre estes aspectos da série original dos desenhos animados foram repassados ​​por fãs do original e que deveriam ser incorporados no filme de ação ao vivo.[7]

Uma referência a maconha que foi retida foi o uso de "Mary Jane"[nota 1] como o nome do interesse amoroso de Salsicha, e outras piadas de drogas são feitas quando ouvimos Salsicha e Scooby exclamando animadamente enquanto vemos a máquina de mistério do lado de fora com o fumo que sai dela, no entanto, é revelado que dentro estavam apenas cozinhando hambúrgueres em um mini-grill.

De acordo com a atriz Sarah Michelle Gellar, após o elenco ter assinado, houve uma mudança e o filme tornou-se mais para familia. Algumas das piadas adultas originais ainda estão no filme. Elas também estão incluídas nas cenas excluídas lançadas em home-media.[8] Gellar também disse que seu personagem e Linda Cardellini compartilharam um beijo na tela que acabaram por não fazer. "Não era apenas, como, por diversão", disse ela, explicando o que aconteceu na cena de mudança de corpo. "Inicialmente na cena de troca de alma, Velma e Daphne não conseguiam obter as suas almas de volta juntas na floresta. E assim, a maneira que elas encontraram foram se beijar e as almas voltaram para o alinhamento correto."[9]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Scooby-Doo teve uma recepção mista para negativa por parte da crítica especializada. Com base em 31 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 35% no Metacritic.

Em avaliações mistas, do Variety, Joe Leydon disse: "Apenas rápido, frenético e engraçado o suficiente para divertir os fãs novos e devotos de longa data dos personagens que os inspiraram mais de 30 anos no valor do episódios animados de TV e fez em video suas características."

Do TV Guide, Maitland McDonagh: "Como as adaptações de desenhos animados baratos, assumidamente estúpidas em vão live-action, este é o top de linha: O elenco é atraente, os conjuntos de cores vivas e divertido de se olhar, o mistério como careta e pateta como qualquer destaque em muitas inexplicavelmente amadas caricaturas de Scooby-Doo."

Time, Joel Stein: "O elenco faz grandes impressões dos personagens originais de desenhos animados, e o Scooby gerado por computador é convincente, mas verifica-se que o que nós gostamos no Scooby-Doo é que em primeiro lugar foi que ninguém estava tentando."

Seattle Post-Intelligencer, William Arnold: "Ponto de venda tecnológica de filme - com um Scooby animado por computador em um mundo live-action em sua maioria - é estranhamente inexpressivo. Na verdade, é praticamente imperceptível: um testamento talvez, para o aumento do conhecimento do público que com o CG-impulsionando a Hollywood de hoje, todos os filmes são desenhos animados."

Em avaliações desfavoráveis, do Los Angeles Times, Robin Rauzi disse: "Como reformulado pelo diretor agressivamente medíocre Raja Cosnell e o roteirista James Gunn, este Scooby-Doo é o entretenimento mais descartável do que as caricaturas de meia hora de Hanna-Barbera sempre foram."

Chicago Sun-Times, Roger Ebert: "Não só estou mal preparado para rever o filme, mas atrevo-me a adivinhar que alguém que não é, literalmente, um membro de um fã-clube Scooby-Doo seria igualmente incapaz. Este filme existe em um universo fechado, e o resto de nós são os estrangeiros. A Internet foi inventada para que você possa encontrar outra pessoa avaliando o Scooby-Doo. Comece a navegar."[10]

Notas

  1. "Mary Jane" é semelhante a "marijuana", que traduzido é maconha. Em exemplo, o título de Portugal do filme que é sobre uso da droga, Smiley Face foi traduzido como "Marijuana" Meu Amor

Referências

  1. Scooby-Doo (em inglês) Box Office Mojo. Visitado em 24 de abril de 2015.
  2. Scooby-Doo (em português) Interfilmes. Visitado em julho de 2013.
  3. What Will Scooby Do? (em inglês) LATimes. Visitado em 24 de abril de 2015.
  4. Production underway on live-action 'Scooby Doo', Starring Freddie Prinze Jr., Sarah Michelle Gellar and Rowan Atkinson for Warner Bros. Pictures (em inglês) Time Warner. Visitado em 24 de abril de 2015.
  5. Lesbian Secrets Scooby (em inglês) TV Guide. Visitado em 24 de abril de 2015.
  6. Entertainment Weekly, 636/637. [S.l.: s.n.], 25 de janeiro. p. 38.
  7. The Inside Dope (em inglês) News Blank. Visitado em 24 de abril de 2015.
  8. Clarie, Marie. "Sarah Michelle: The Buffy Slayer". Vol. 13, Issue 11. [S.l.: s.n.], novembro de 2006. p. 100.
  9. Gellar Smooched In Scooby (em inglês) Arquivo - Sci Fi Wire. Visitado em 7 de junho de 2002.
  10. Scooby-Doo (em inglês) Metacritic. Visitado em 24 de abril de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]