The Piper at the Gates of Dawn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
The Piper at the Gates of Dawn
Álbum de estúdio de Pink Floyd
Lançamento 5 de Agosto de 1967
Gravação Fevereiro-Julho de 1967
Gênero(s) Rock psicodélico, space rock
Duração 41:52
Gravadora(s) Columbia/EMI (RU)
Tower/Capitol (Estados Unidos)
Produção Norman Smith
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Pink Floyd
Último
Último
A Saucerful of Secrets
(1968)
Próximo
Próximo

The Piper at the Gates of Dawn é o álbum de estreia da banda britânica Pink Floyd, lançado em 1967.

Foi o único álbum da banda que foi feito sob a liderança de Syd Barrett. O álbum tem letras caprichosas sobre espantalhos, gnomos, bicicletas e contos de fadas, juntamente com passagens instrumentais de rock psicodélico é considerado um dos pioneiros do art rock. O álbum foi gravado no Abbey Road Studios, e foi editado em 5 de Agosto de 1967, chegando a ser o 6º mais vendido no Reino Unido e o 131º mais vendido nos Estados Unidos.

O título do álbum é baseado no conto infantil O vento nos salgueiros, de Kenneth Grahame, onde o Rato e a Toupeira, enquanto procuram um animal perdido, têm uma experiência religiosa. ("Este é o local do meu sonho, onde eu ouvi a música," segredou o Rato, como se estivesse em transe. "Aqui é o meu local sagrado, se O pudermos encontrar nalgum lado, é aqui"). O flautista (em inglês: piper) é identificado com o deus grego Pan.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as faixas foram escritas por Syd Barrett, exceto onde indicado

Versão britânica[editar | editar código-fonte]

Lado A[editar | editar código-fonte]

  1. "Astronomy Domine" – 4:12
  2. "Lucifer Sam" – 3:07
  3. "Matilda Mother" – 3:03
  4. "Flaming" – 2:46
  5. "Pow R. Toc H." (Nick Mason, Wright, Roger Waters, Barrett) – 4:26
  6. "Take Up Thy Stethoscope and Walk" (Waters) – 3:05

Lado B[editar | editar código-fonte]

  1. "Interstellar Overdrive" (Barrett, Mason, Waters, Wright) – 9:41
  2. "The Gnome" – 2:13
  3. "Chapter 24" – 3:42
  4. "The Scarecrow" – 2:11
  5. "Bike" – 3:21

Versão norte-americana[editar | editar código-fonte]

Lado A[editar | editar código-fonte]

  1. "See Emily Play" - 2:53
    • Vocais: Barrett
  2. "Pow R. Toc H." (Barrett, Mason, Waters, Wright) – 4:26
  3. "Take Up Thy Stethoscope and Walk" (Waters) – 3:05
  4. "Lucifer Sam" – 3:07
  5. "Matilda Mother" – 3:08

Lado B[editar | editar código-fonte]

  1. "The Scarecrow" – 2:11
  2. "The Gnome" – 2:13
  3. "Chapter 24" – 3:42
  4. "Interstellar Overdrive" (Barrett, Mason, Waters, Wright) – 9:41

Versão japonesa[editar | editar código-fonte]

  1. "Astronomy Domine" – 4:12
  2. "Lucifer Sam" – 3:07
  3. "Matilda Mother" – 3:08
  4. "Flaming" – 2:46
  5. "Pow R. Toc H." (Barrett, Mason, Waters, Wright) – 4:26
  6. "Take Up Thy Stethoscope and Walk" (Waters) – 3:05
  7. "Interstellar Overdrive" (Barrett, Mason, Waters, Wright) – 9:41
  8. "The Gnome" – 2:13
  9. "Chapter 24" – 3:42
  10. "The Scarecrow" – 2:11
  11. "Bike" – 3:21
  12. "See Emily Play"(barrett) - 2:53

Edição comemorativa de 40 anos (2007)[editar | editar código-fonte]

Uma edição comemorativa dos 40 anos de The Piper at the Gates of Dawn foi lançada em 2007. Uma versão com dois CDs, um na versão estéreo e outro na versão original mono, foi lançada no dia 4 de setembro de 2007 e outra versão com três CDs (um em mono, um em estéreo e outro com as músicas gravadas não-lançadas no álbum original) foi lançada no dia 11 de setembro do mesmo ano. A embalagem, cujo design foi elaborado por Storm Thorgerson, tem a forma de um livro com capa de tecido. O conjunto é acompanhado ainda por uma réplica de um caderno de Syd Barrett de doze páginas.
Os discos 1 e 2 contêm o Piper na íntegra em mono (disco 1) e estéreo (disco 2). Ambos foram re-remasterizados por James Guthrie.

O disco 3 contém algumas canções da época do Piper que até então permaneciam guardadas nos estúdios Abbey Road. Entre o material inédito estão tomadas alternativas de "Interstellar Overdrive", uma versão antiga de "Matilda Mother" com letra diferente e uma versão estéreo de "Apples and Oranges".

  1. "Arnold Layne" (mix da versão do single; mono) – 2:57
  2. "Candy and a Currant Ban" (mix da versão do single; mono) – 2:45
  3. "See Emily Play" (mix da versão do single; mono) – 2:54
  4. "Apples and Oranges" (mix da versão do single; mono) – 3:05
  5. "Paint Box" (mix da versão do single; mono) – 3:45
  6. "Interstellar Overdrive" (mix de EP francês; mono) – 5:15
  7. "Apples and Oranges" (estéreo) – 3:11
  8. "Matilda Mother" (versão antiga com letra diferente; mono) – 3:09
  9. "Interstellar Overdrive" (tomada alternativa N°6; mono) – 5:03
  • Todas as faixas desse disco são creditadas a Syd Barrett, exceto "Paint Box" (Rick Wright) e "Interstellar Overdrive" (Barrett, Mason, Waters, Wright).

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

  • Peter Jenner (um dos empresários da banda) - vocalizações no início de "Astronomy Domine"
  • Peter Brown - engenheiro de som
  • Vic Singh – fotografia da capa
  • James Guthrie - remasterização (edição em CD de 1994)


Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Pink Floyd é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.