Vautrin (Balzac)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Retrado de Vidocq por Marie-Gabriel Coignet.

Vautrin (alcunha mais conhecida de Jacques Collin) é um personagem fictício da Comédia Humana de Honoré de Balzac[1] .

Ele é um antigo forçado, chefe do submundo, que, após escapar das prisões de Toulon e de Rochefort, assume os nomes de Vautrin, Trompe-la-Mort (Engana-a-morte), sr. de Saint-Estève, abade Carlos Herrera e William Barker, a fim de se esconder das forças da ordem. É um homem aparentemente alegre, que adora cantar, mas que pode facilmente amendrotar. Parece saber tudo, o que o torna absolutamente misterioso até que sua identidade seja revelada. Seu devotamento em ajudar jovens ambiciosos (primeiramente Eugène de Rastignac em Le Père Goriot[2] , depois Lucien de Rubempré em Splendeurs et misères des courtisanes[3] ), como ele o diz, vai até o assassinato. Sua obsessão absoluta com o sucesso desses jovens discípulos levam vários críticos a considerar Vautrin um homossexual latente[4] . Depois do suícido de Lucien de Rubempré em Splendeurs, ele entra para o "caminho justo" e se torna chefe de polícia, utilizando para tal serviço os conhecimentos adquiridos na vida de crime. Balzac ter-se-ia inspirado na vida do criminoso real Eugène-François Vidocq para criar este personagem[5] .

Referências

  1. Ver o verbete "COLLIN (Jacques)" em Repertory of the Comédie Humaine, em inglês no Projeto Gutenberg.
  2. O Pai Goriot, na edição brasileira.
  3. Esplendores e misérias das cortesãs, na edição brasileira
  4. « L'homosexualité » dans « La comédie humaine » de Balzac, disponível online em francês, consultado em 19/02/2013.
  5. ASLEY, Mike. The Great Detectives: Vidocq. Disponível online em inglês. Consultado em 19/02/2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]