Yellow Submarine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Yellow Submarine
Trilha sonora de The Beatles
Lançamento 17 de janeiro de 1969 (45 anos)
Gravação 1967 - 1968, Estúdio Abbey Road
Gênero(s) Rock, Pop, Clássico
Gravadora(s) Apple Records
Produção George Martin
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de The Beatles
Último
Último
The Beatles
(1968)
Abbey Road
(1969)
Próximo
Próximo
Singles de Yellow Submarine
  1. "All Together Now"
    Lançamento: Fevereiro de 1972
  2. "Hey Bulldog"
    Lançamento: Fevereiro de 1972

Yellow Submarine é o álbum trilha-sonora lançado pelos The Beatles, que corresponde ao filme de mesmo título.

Em contraste com a recepção do filme pela crítica, este é considerado o disco mais fraco dos Beatles e o único disco a não alcançar o 1° lugar nas paradas nos EUA e no Reino Unido (a melhor posição foi o 2° lugar, curiosamente com o "Álbum Branco", lançado 2 meses antes, em 1° lugar). É um álbum que destoa do resto da discografia da banda, já que somente as seis músicas do lado A são do grupo e apenas quatro delas são inéditas e ainda assim foram gravadas entre 1967 e 1968.

Concepção[editar | editar código-fonte]

A história do filme se passa na cidade de Pepperland,[1] quando os "Maldosos Azuis" (Blue Meanies)[2] atacam a cidade para acabar com o amor, a música e as cores. É quando os Beatles entram em ação a bordo do submarino amarelo para acabar com eles.[3] O filme é recheado de músicas e cores psicodélicas e é considerado um marco na animação, porém na época os Beatles não levaram como um projeto primário.[4]

Quando a King Features fizeram alguns curtas animados baseado nos Beatles (isso no auge da Beatlemania) eles tiveram carta branca de Brian Epstein para fazer um longa metragem sobre os Beatles com base em "Fantasia", obra de Walt Disney. Porém com o trabalho sempre adiado e após a morte de Brian, a empresa cobrou que fosse cumprido o trato. Os Beatles abriram a “Apple Films” subdivisão da Apple e decidiram resolver esse problema dando 6 músicas para a trilha sonora, mais todo seu catálogo de músicas para ser usado no filme e George Martin se prontificou a fazer a trilha musical. Os Beatles não gravaram as vozes para o desenho e nem sequer acompanharam o roteiro e produção. Segundo George Harrison: “Tivemos um ou dois encontro com eles, não estávamos a par da produção, quase não nos envolvemos.” George Martin disse que eles agiram mais ou menos assim: “Esta bem, vamos dar a esses caras a maldita trilha, mas sem nos estafarmos. Vamos colocar o que nos der na telha.” [5]

Canções[editar | editar código-fonte]

  • Todas as canções do Lado A são de autoria de Lennon/McCartney e todas as músicas do Lado B são de autoria de George Martin, exceto quando houver indicação.

Lado A

# Título Duração
1. "Yellow Submarine"   2:40
2. "Only a Northern Song" (Harrison) 3:24
3. "All Together Now"   2:11
4. "Hey Bulldog"   3:11
5. "It's All Too Much" (Harrison) 6:25
6. "All You Need Is Love"   3:51

Lado B

# Título Duração
1. "Pepperland"   2:21
2. "Sea of Time"   3:00
3. "Sea of Holes"   2:17
4. "Sea of Monsters"   3:37
5. "March of the Meanies"   2:22
6. "Pepperland Laid Waste"   2:19
7. "Yellow Submarine in Pepperland" (Lennon/McCartney, arr. por Martin) 2:13

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • "Yellow Submarine" (Lennon/McCartney) – Paul McCartney morava com Jane Asher e foi lá que ele teve a inspiração para a música. “Eu procurava algo para Ringo cantar, então decidi fazer uma canção simples com poucas notas e vocal simétrico. Comecei a bolar toda a história sobre um marinheiro e seu submarino colorido, que depois passei para um submarino amarelo.” Paul estava tentando completar a primeira de muitas ideias irreverentes que teria: Um tema infantil.

As gravações foram um dia de festa no estúdio 2 do Abbey Road, quando Neil Aspinall e Mal Evans ,os roadies e companheiros de banda, saquearam o “trap room”, uma sala cheia de tranqueiras do escritório e trouxeram sinos de navio, correntes, sinos de mão do tempo da guerra, apitos, buzinas, latas, máquinas que imitam sons de vento e de tempestades e até uma banheira que foi enchida com água. Tudo para produzir os efeitos da música. Trouxeram Brian Jones dos Stones, Marianne Faithfull e Pattie Harrison (esposa de George) para chacoalhar tudo que podia fazer barulho. A música foi gravada em 1966 e também está no disco “Revolver”.

  • "Only a Northern Song" (Harrison) – George Harrison conseguiu ter um pouco mais de espaço nesse disco com 2 músicas no total de 6 (bom número pelas proporções). A música foi gravada em 1967 e ficou de fora do disco “Sgt Peppers”, segundo Geoff Emerick, pelos outros membros, por acharem que a música não servia aos propósitos da concepção do disco. Uma das músicas mais psicodélicas gravada pelos Beatles, contando com trompetes distorcidos, um órgão com reverb, piano revertido e um xilofone. Um “mellotron” também pode ser ouvido e a música ganhou uma nova roupagem no “Anthology” e na reedição do disco “Yellow Submarine” em 1999.

A letra é mais um desabafo e crítica de Harrison tanto sobre o preconceito e desrespeito ao povo de Liverpool (“É apenas Uma Canção do Norte”) quanto a empresa no qual Lennon/McCartney eram vinculados e omissos, a Northern Songs Published, e as canções de Harrison eram consideradas “músicas contratadas”. No refrão ele diz: “It doesn't really matter what cords I play/What words I say/Or time of day it is/As it's only a northern song” ou “Não importa os acordes que eu toco/Ou as palavras que digo/ Ou qual hora ou dia é hoje/É apenas uma canção da Northern Songs” ou “Apenas uma canção do Norte”.

  • "All Together Now" (Lennon/McCartney) – Está canção composta por Paul (introdução e refrão) e John (middle-eight) e foi mais uma música baseada em canções infantis. Paul imaginou marinheiros cantando enquanto trabalhavam numa embarcação: “Sail the ship/Chop the tree/Skip the rope/Look at me” ou “Remem o barco/Corte a árvore/Içar as cordas/Olhe pra mim”.

A música foi gravada em 12 de maio de 1967 em apenas 6 horas. Em um ritmo de skiffle, Paul toca o baixo acústico enquanto John toca banjo, George toca harmônicos e faz os backings, buzinas de carros e Ringo com a bateria peculiar do estilo. A música aparece durante o filme e após com os Beatles em “live-action” cantando.

  • "Hey Bulldog" (Lennon/McCartney) – Rock & roll enxuto liderado por um riff de piano, composto por John e gravado em maio de 1968 durante as gravações do compacto de “Lady Madonna”. Geoff Emerick disse: “Durante aquelas gravações foi a última vez que vi eles tocando juntos, num sentimento dinâmico de entusiasmo e compaixão... Depois disso eles foram para Índia e tudo desmoronou”. A música iria se chamar “Hey Bullfrog” (em alusão a uma raça de cachorro que parecia um sapo), mas Paul ficou latindo sem parar e cantando “Bulldog”, então decidiram mudar o título. Paul McCartney não grava com seu famoso baixo Hofner por querer um som mais linear e pesado.
  • "It’s All Too Much" (Harrison) – Canção gravada pouco depois do lançamento de “Sgt. Peppers” em 1967, e pronta a entrar em Magical Mystery Tour, mas mais uma vez boicotada pelos companheiros de banda. A música foi gravada no estúdio “De Lane Lea” sendo uma das poucas músicas fora do estúdio Abbey Road. Com um ar psicodélico e uma microfonia inicial muito bem trabalhada lembrando a introdução de “I Feel Fine”, foi compactada para 06:28, mas a versão original tinha aproximadamente 8 minutos. Com George nas guitarras, órgão e baixo, John nas guitarras e Ringo na bateria (essa gravação não contou com Paul), a música é uma homenagem para Pattie, sua esposa e conta com algumas referências durante a música: “With your long blonde hair and your eyes of blue” extraído de “Sorrow” da banda The Merseys e as linhas de trompete são facilmente identificadas em “Prince of Denmark's March” ou “Trumpet Voluntary” de Jeremiah Clarke. No filme são exibidas frases diferentes da música, extraídas da versão de 8 minutos.
  • "All You Need Is Love" (Lennon/McCartney) – Essa música composta por John Lennon, quebrou uma grande barreira ao ser executada pela primeira vez no “Our World”, o primeiro link televisivo transmitido para mais de 26 países e visto por mais de 400 milhões de pessoas no dia 25 de junho de 1967. A BBC pediu que eles escrevessem uma mensagem para o mundo, e segundo a “Rolling Stone” essa é a melhor canção de todos os tempos (em algumas de suas listas). Há uma certa controvérsia se a música foi feita especialmente para a transmissão, George Martin e Ringo Starr acreditam que sim, porem Paul acha que “a música já estava lá, só esperando uma boa oportunidade.”

A canção é recheada de referências: a introdução francesa de “La Marseillaise”, “Greensleeves”, “In The Mood” de Glenn Miller executado com saxofones, “She Loves You” cantado espontaneamente por John Lennon, além das palavras “Yes, you can” e “Yesterday”, outra citação ao passado. George Martin ainda acrescenta passagens de “Brandenburg Concerto n° 2”. Durante a transmissão, Lennon estava tão tenso que Paul colocou uma rosa na orelha a fim de descontrair e relaxar John. Amigos e parentes participam dos corais: Mick Jagger, Kim McLagan, Keith Moon entre outros.

  • O lado B do disco são trilhas musicais compostas e orquestradas pelo produtor da banda George Martin, sendo elas "Pepperland", "Sea of Time", "Sea of Holes", "Sea of Monsters", "March of The Meanies", "Pepper Land Laid Waste" e "Yellow Submarine in Pepperland" essa última com participação da dupla Lennon/McCartney. Segundo John Lennon, ele odiou o trabalho feito por Martin e disse ser desnecessário usar o nome dos Beatles para produzir "aquela porcaria horrível, para impressionar amantes de música clássica". John também achava que Martin era mais um daqueles que queria ser o "quinto beatle" e injustamente referia-se a ele como "essas pessoas que acham que nos fizeram musicalmente."

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A máquina registradora usada nos efeitos da música “Yellow Submarine” foi a mesma usada posteriormente na música Money da banda Pink Floyd.

“Baby You're a Rich Man”, foi feita para o filme, porém acabou entrando como Lado B do compacto de "All You Need Is Love" e posteriormente em “Magical Mistery Tour”. As versões em EP têm "Lucy in the Sky With Diamonds” como bônus.

A música "All You Need Is Love" foi executada em 2 de Junho de 2002 durante o Jubileu de Ouro da Rainha Elizabeth II, mas ao invés da introdução do hino francês, foi executado “God Save the Queen”, o hino inglês.

Após o lançamento do filme, os Beatles adoraram e se arrependeram de não terem feito as vozes originais, agendaram uma reunião para relançar com as vozes, mas com o final da banda esse projeto não foi para a frente.

A canção “Pepperland” de George Martin consta na trilha sonora da novela brasileira “Pantanal”, exibida originalmente pela extinta TV Manchete em 1990 e reexibida pelo SBT em 2008.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Lewisohn, Mark. The Beatles Recording Sessions (em inglês). Nova Iorque: Harmony Books, 1988. ISBN 0-517-57066-1
  • Lewisohn, Mark. The Complete Beatles Chronicle (em inglês). [S.l.]: Chancellor Press, 1996. ISBN 0-7607-0327-2
  • MacDonald, Ian. Revolution in the Head: The Beatles' Records and the Sixties. Nova Iorque: Henry Holt and Company, 1994. ISBN 0-8050-2780-7
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de The Beatles é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.