Pete Best

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Fevereiro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Pete Best
Pete Best drumming.jpg
Pete Best em 2006
Informação geral
Nome completo Randolph Peter Best
Nascimento 24 de Novembro de 1941 (72 anos)
Local de nascimento Madras, Tamil Nadu
Flag of Imperial India.svg Índia britânica
Gênero(s) Rock and Roll, Rock
Instrumento(s) Bateria
Período em atividade 1959 - 1968
1988 - atualmente
Outras ocupações Baterista, Servidor público, compositor
Afiliação(ões) The Beatles, The Pete Best Band
Página oficial http://www.petebest.com/

Randolph Pete Best (Madras, 24 de novembro de 1941) é um músico britânico, mundialmente conhecido por ter sido o primeiro baterista do grupo de rock The Beatles. Best começou a tocar com o grupo em 1959 e continuou até a ida do grupo a Hamburgo (1960-1961), permanecendo até 16 de agosto de 1962 pouco depois da primeira audição para EMI. Foi então substituído por Richard Starkey, mais conhecido como Ringo Starr.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pete Best é filho de Mona Best, proprietária do Casbah Club, que funcionava no sótão de sua casa em Liverpool, lugar em que tocavam os Beatles, Pete foi convidado a integrar-se ao grupo em 1959.

Best foi despedido pelo empresário dos Beatles, Brian Epstein. A razão foi que George Martin, produtor do grupo, estava insatisfeito com o modo dele tocar bateria, resultado das audições preliminares que a banda realizara para o selo Parlophone em 6 de Junho de 1962 (parte destas audições apareceram no Volume 1 do CD "Anthology, lançado em 1996. Segundo Barry Miles, autor da Biografia Many Years From Now, de Paul McCartney, "Pete era 'de lua' e não se encaixava bem com os outros três", muito embora a solução proposta pela banda fosse a simples substituição de Best por um baterista de estúdio, o que acabou acontecendo, posteriormente, nas gravações de "Love me Do" e "P.S. I Love You", já com Ringo como titular das baquetas, onde este fora substítuido por um músico de estúdio "free lancer", Andy White. Pete Best também participou da gravação da famosa audição dos Beatles para a Decca Records, em 1 de janeiro de 1962, que também constam no álbum "Anthology 1".

A decisão parece ter sido um desfecho lógico de uma falta de compromisso de Best com o grupo. Enquanto John Lennon, Paul McCartney e George Harrison ficavam juntos depois dos ensaios, Best geralmente saía sozinho. Eles mantinham inclusive uma estreita relação com Ringo Starr, quem inclusive chegou a substituir Best em alguns shows. Além disto, Best ficava alheio a muitas experiências do grupo, tanto no sentido de humor como no estilo que estavam desenvolvendo[1] . Por exemplo, quando John, Paul e George adotaram o corte de cabelo Mop Top, que seria característico do grupo, Best não o fez.

Epstein tentou consolar Best oferecendo-lhe para organizar outro grupo, mantendo-o como líder do mesmo. Entretanto, Best não se mostrou interessado. Posteriormente, começou a trabalhar como padeiro.

Quando souberam da notícia da substituição de Best, muitos fãs dos Beatles se manifestaram contra, e inclusive um deles deu um soco no olho de George Harrison. Muitas fãs consideravam Best o mais bonito do grupo e durante certo tempo protestaram nos shows gritando: "Pete para sempre, Ringo nunca!" (Pete forever, Ringo never!).

O especialista em história da música pop, Spencer Leight, escreveu em 1988 um livro sobre a expulsão de Pete Best: Drummed Out: The Sacking of Pete Best. Leight sustenta que sua expulsão seria devido a ciúmes principalmente de Paul McCartney. Segundo o autor a revista Mersey Beat relatou: Quando John, Paul e George entravam no palco o público aplaudia mas quando Pete entrava, o público ia à loucura. As garotas gritavam. Pete ganhou popularidade só com sua aparência.

A qualidade musical de Best tem sido matéria de debate entre os fãs dos Beatles. Os Beatles eram considerados um bom grupo antes de começarem as gravações na EMI, e a execução da bateria por Best era geralmente considerada como sólida. Sua participação nos demos de "Love Me Do" de 1962, é virtualmente impossível de distinguir da existente versão gravada posteriormente com Ringo Starr. Seu maior defeito era a falta de criatividade; nas gravações Pete Best se mantém tocando de modo padrão e utilizando variantes convencionais. Starr, pelo contrário, mostrou-se mais inovador, abrindo um novo estilo para tocar bateria, a partir do uso da mão esquerda, e compondo partes especiais que se adequavam às necessidades de cada música.

Depois dos Beatles[editar | editar código-fonte]

Depois de sair dos Beatles, Pete Best juntou-se a Lee Curtis & the All Stars, e quando Lee Curtis deixou o grupo, ele passou a se chamar Pete Best & the All Stars. O grupo assinou com a Decca Records e lançaram a música "I'm Gonna Knock On Your Door" que se tornou um fracasso.

Best foi então para os Estados Unidos onde se juntou com ex-músicos do Remo Four, Wayne Bickerton e Tony Waddington formando a Pete Best Four gravando por selos pequenos. Em 1965, o grupo se tornou um quinteto mudando o nome para Pete Best Combo.

Aparentemente no mesmo ano, Best teria tentado cometer suicídio inalando gás. Ele também teria tentado entrar na justiça por uma declaração de Ringo a Playboy alegando que ele teria sido mandado embora do Beatles por uso de drogas.

Pete Best resolveu largar a show business e após anos sem estar no meio musical inclusive trabalhando como padeiro, ele reapareceu no final dos anos 70 dando entrevistas, escrevendo e servindo de conselheiro em um programa de TV sobre os Beatles. Atualmente está acompanhando a banda cover argentina The Beats em suas turnês.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The Sacking Of Pete Best - Último acesso em 21 de Maio de 2007