Glam metal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portal A Wikipédia possui o
Portal do Rock.


Glam metal
Origens estilísticas Glam Punk
Hard rock
Heavy metal
NWOBHM
Pop rock
Contexto cultural Los Angeles, final da década de 1970 e início da década de 1980
Instrumentos típicos Guitarra elétrica, baixo, bateria, teclados
Popularidade 1983 - 1991
Formas regionais
Los Angeles e Nova York (Estados Unidos), Europa, Canadá
Outros tópicos
Glam punk

O glam metal[1] (também conhecido como hair metal ou "Pop Metal", ou pejorativamente metal farofa no Brasil) é um sub-gênero do heavy metal, com apogeu da metade dos anos 80 até o início dos 90, no qual as bandas se caracterizavam por uma aparência andrógina, com os integrantes cultivando não só cabelos longos, mas também um guarda-roupa em que as cores e o brilho se ressaltavam. O uso de maquiagem feminina era comum. O glam metal deu origem ao estilo chamado de "sleaze", que nada mais é que um glam metal com uma pegada de punk. Entre algumas das bandas de Glam Metal mais bem sucedidas da história estão Bon Jovi, Europe, Poison e Van Halen, sendo que algumas delas, como a banda Bon Jovi, tiveram que se reinventar nas décadas seguintes, tendo administrado carreiras bem sucedidas.

História[editar | editar código-fonte]

O hard rock, ou simplesmente "rock pesado", começou a ganhar destaque no final dos anos 60, com Deep Purple, Led Zeppelin e Alice Cooper, entre outros, gravando seus primeiros álbuns. Bandas como Aerosmith e KISS surgiram no início dos anos 70, e aproveitaram, cada uma à sua maneira, o apelo visual e comportamental de T.Rex, David Bowie, Johnny Thunders, Mott the Hoople e New York Dolls, verdadeiros precursores do estilo glam ou glitter.

Em meados da anos 80 algumas bandas de hard rock resolveram exagerar no visual carregado e andrógino - Hanoi Rocks, Ratt, Bon Jovi, Poison, Mötley Crüe, entre outros, representaram o estilo. Antes ainda, surgiu uma fase de busca por extremo virtuosismo instrumental, iniciada com o lançamento do primeiro disco do Van Halen, cujo guitarrista, Eddie Van Halen passou a ser copiado. A temática das canções era por vezes romântica, e muitas vezes enaltecia o hedonismo e o excesso relativamente a sexo e mulheres, dinheiro, drogas e fama. O estilo virou uma febre nos Estados Unidos e difundiu-se mundo afora, com a ajuda da MTV e seus videoclipes - na época uma novidade. Ao mesmo tempo em que algumas bandas se destacavam em shows superproduzidos com grandes palcos, luzes, explosões e pilhas de amplificadores, muitas outras surgiram, sem o mesmo talento, de certa forma inflacionando o mercado. O glam se tornou uma caricatura de si próprio, e passou a ser esnobado e ridicularizado propositalmente pela própria MTV, que precisava de um novo estilo para explorar comercialmente, tendo-o encontrado no grunge, com suas temáticas existencialistas e tom depressivo, antagônico ao espírito de festa do glam, como era conhecido.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tom Leão. Heavy metal: guitarras em fúria. [S.l.]: Editora 34, 1997. 174 e 175 pp. 8573260777, 9788573260779