Alexandre Dumas (filho)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura Alexandre Dumas, veja Alexandre Dumas, pai.
Alexandre Dumas, filho
Nascimento 27 de julho de 1824
Paris
Morte 27 de novembro de 1895 (71 anos)
Marly-le-Roi
Nacionalidade francês
Ocupação Escritor

Alexandre Dumas, filho, (Paris, 27 de Julho de 1824 - Marly-le-Roi, 27 de Novembro de 1895) é filho de Alexandre Dumas, pai (Dumas Davy de la Pailleterie) e a costureira Marie-Catherine Labay. Foi um escritor francês que seguiu os passos de seu pai tornando-se um conceituado autor de livros e peças de teatro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Alexandre Dumas (filho) nasceu em Paris, França, filho ilegítimo de Marie-Catherine Labay, uma costureira, e do romancista Alexandre Dumas. Em 1831 seu pai o reconheceu legalmente e assegurou uma boa educação ao jovem Dumas na Instituição Goubaux e no Colégio Bourbon. As leis daquela época permitiram Dumas pai tirar seu filho de sua mãe. A agonia de sua mãe inspirou o filho a escrever sobre personagens trágicos femininos. Em quase todos os seus escritos, ele enfatizou o propósito moral de sua literatura e em sua peça de 1858, "O Filho Natural", ele expôs a teoria de que se alguém traz ilegitimamente um filho ao mundo, então ele tem a obrigação de legitimar seu filho e casar com a mulher.[1]

Adicionalmente ao estigma da ilegitimidade, Dumas filho era também negro; seu avô era descendente de um nobre francês e sua avó uma mulher negra haitiana. Nos internatos, Dumas filho era constantemente hostilizado por seus colegas. Esses acontecimentos influenciaram profundamente seus pensamentos, comportamento e obra.

Em 1844 Dumas filho mudou-se para Saint-Germain-en-Laye para viver com seu pai.[1] Lá, ele conheceu Marie Duplessis, uma jovem cortesã que lhe deu a inspiração para o romance La dame aux camélias (A Dama das Camélias), uma das grandes intérpretes dessa obra no teatro foi Sarah Bernhardt. Esse romance é a base para ópera La Traviata de Giuseppe Verdi.

Em 1864, Alexandre Dumas filho casou-se com Nadeja Naryschkine, com quem ele teve uma filha. Após o falecimento dela ele casou-se com Heriette Régnier.

Durante sua vida, Dumas filho escreveu outros doze romances e diversas peças. Em 1867 ele publicou seu semi-autobiográfico romance, "L'affaire Clemenceau", considerado por muitos como uma de suas melhores obras. Em 1874, ele foi admitido na Académie française e em 1894 ele ganhou a Légion d'Honneur.[1]

Alexandre Dumas, filho, morreu em Marly-le-Roi, Yvelines, em 27 de Novembro de 1895 e foi enterrado no Cimetière de Montmartre, Paris, França.[2]

Obras / Bibliografia critica selecta[editar | editar código-fonte]

Principais romances[editar | editar código-fonte]

  • Aventures de quatre femmes et d’un perroquet ("Aventuras de quatro mulheres e um papagaio", 1847)
  • Césarine ("Cesarina", 1848)
  • A Dama das Camélias - no original La Dame aux camélias (1848) (online (Gallica)), incluindo uma versão ilustrada por Albert Besnard
  • Le Docteur Servan ("Doutor Servans", 1849)
  • Antonine ("Antonina", 1849)
  • Le Roman d’une femme (1849)
  • Les Quatre Restaurations. Série de romances históricos publicados em folhetins em La Gazette de France sob os títulos Tristan le Roux, Henri de Navarre, Les Deux Frondes (1849-1851)
  • Tristan le Roux (1850)
  • Trois Hommes forts (1850)
  • Histoire de la loterie du lingot d'or (1851)
  • Diane de Lys (1851)
  • Le Régent Mustel (1852)
  • Contes et Nouvelles (1853)
  • La Dame aux perles (1854)
  • L'Affaire Clémenceau, Mémoire de l'accusé (1866), incluindo uma versão ilustrada por Albert Besnard
  • L'Homme-femme (1872)

Principais peças e adaptações teatrais[editar | editar código-fonte]

  • Le Bijou de la reine, comédie en vers en un acte (1845)
  • Le Verrou de la reine, Paris, Théâtre-Historique, 1848, então théâtre du Gymnase, 1873.
  • Atala, scène lyrique, musique de Varney, Paris, Théâtre-Historique, 1848.
  • La Dame aux camélias, Paris, Le Vaudeville, 2-2-1852.
  • Diane de Lys, Paris, théâtre du Gymnase, 15-11-1853.
  • Le Demi-Monde, Paris, théâtre du Gymnase, 20-3-1855.
  • La Question d’argent, Paris, théâtre du Gymnase, 31-1-1857.
  • Le Fils naturel, Paris, théâtre du Gymnase, 16-1-1858. online (Gallica): visualiseur.bnf.fr
  • Un père prodigue, Paris, théâtre du Gymnase, 30-11-1859.
  • L’Ami des femmes, Paris, théâtre du Gymnase, 5-3-1864. online (Gallica): visualiseur.bnf.fr
  • Les Idées de Mme Aubray, Paris, théâtre du Gymnase, 16-3-1867.
  • Une visite de noces, Paris, théâtre du Gymnase, 16-10-1871.
  • La Princesse Georges, Paris, théâtre du Gymnase, 2-12-1871.
  • La Femme de Claude, Paris, théâtre du Gymnase, 16-1-1873. online: epelorient.free.fr
  • Monsieur Alphonse, Paris, théâtre du Gymnase, 26-11-1873.
  • L’Étrangère, comédie en quatre actes, Paris, Théâtre-Français, 14-2-1876.
  • La Princesse de Bagdad, pièce en trois actes, Paris, Théâtre-Français,-2-1881.
  • Denise, pièce en quatre actes, Paris, Théâtre-Français, 19-1-1885.
  • Francillon, pièce en trois actes Paris, Théâtre-Français, 17-1-1887.

Principais colaborações teatrais[editar | editar código-fonte]

  • Com George Sand : Le Marquis de Villemer, Paris, théâtre de l'Odéon, 2-1864.
  • Com Émile de Girardin : Le Supplice d’une femme, Paris, Théâtre-Français, 29-4-1865.
  • Com Armand Durantin : Héloïse Paranquet, Paris, théâtre du Gymnase, 20-1-1866.
  • Com H. Lefrançois : Le Filleul de Pompignac, comédie en quatre actes, Paris, théâtre du Gymnase, 1869.
  • Com Pierre de Corvin : Les Danicheff, drame en cinq actes, Paris, théâtre de l'Odéon,-2-1876.
  • Com Gustave-Eugène Fould: La Comtesse Romani, comédie en trois actes, Paris, théâtre du Gymnase, 11-1876.
  • Com Alexandre Dumas : La Jeunesse de Louis XIV, Paris, théâtre de l'Odéon, 1874.
  • Com Alexandre Dumas : Joseph Balsamo, drame inédit en cinq actes, Paris, théâtre de l'Odéon, 3-1878.

Ensaios[editar | editar código-fonte]

  • La Question du divorce, ed. Calmann Lévy, 1880, 417 páginas : Réfutation de Famille et Divorce de l'Abbé Vidieu (ed. E. Dentu, 1879)
  • Les femmes qui tuent et les femmes qui votent, éditeur Calmann Lévy, 1880, 216 páginas. online (Gallica) : permalien

Obras reunidas[editar | editar código-fonte]

  • Théâtre complet avec préfaces inédites (1868-1879) (6 vol.). Edição aumentada, chamada Comédiens (1882-1886) (6 vol.).
  • Entr’actes (1878-1879) (3 vol.) Primeiros escritos.

Bibliografia critica selecta[editar | editar código-fonte]

  • André Maurois - Os Três Dumas. S. Paulo, 1959.
  • Marianne et Claude Schopp - Dumas fils ou l'anti-Oedipe. Paris, 2017.

Referências

  1. a b c d «Biografia de Alexandre Dumas (filho)». UOL. Pensador. Consultado em 27 de julho de 2012 
  2. Alexandre Dumas (filho) (em inglês) no Find a Grave

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.