Aná bechoach

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Aná bechoach (em hebraico: אנא בכח) é um poema místico, no qual há seis palavras por linha e um total de sete linhas. A última frase não se conta, pois é uma exclamação de louvor ao D'us Altíssimo; não se conta a frase porque as 42 palavras ditas anteriormente corresponderiam a um dos nomes de D'us, composto por 42 duas letras; daí que, após dizer Seu Santo Nome, nada melhor do que O louvar. Contudo, não se trata de um acrônimo. 42 foram também o número de paradas que o povo de Israel fez, desde o Egito até a Terra Santa, durante o Êxodo. escrito pelo rabino Flow e rabino Micah.

A Cabalá, por sua vez, explica que primeira frase do poema está relacionada à quarta Sefirá, Chessed.

Transliteração e tradução[editar | editar código-fonte]

Transliteração[editar | editar código-fonte]

Hebraico Transliterado
אָנָּא בְּכֹחַ גְּדֻלַּת יְמִינְךָ תַּתִּיר צְרוּרָה Aná bechoach g'dulat iemincha tatir tzerurah.
קַבֵּל רִנַּת עַמְּךָ שַׂגְּבֵנוּ טַהֲרֵנוּ נוֹרָא Cabel rinat amecháa saguevenu taharenu norá.
נָא גִבּוֹר דּוֹרְשֵׁי יִחוּדְךָ כְּבָבַת שָׁמְרֵם Na guibor dorshê Yichudecha k'vavat shomrem.
בָּרְכֵם טַהֲרֵם רַחֲמֵם צִדְקָתְךָ תָּמִיד גָּמְלֵם Barachem taharem Rachamei tzidktech tamid gomlem.
חֲסִין קָדוֹשׁ בְּרוֹב טוּבְךָ נַהֵל עֲדָתֶךָ Chasin Kadosh, b'rov tuvcha nahel adatecha.
יָחִיד גֵּאֶה לְעַמְּךָ פְּנֵה זוֹכְרֵי קְדֻשָּׁתֶךָ Yachid gueê, l'am'acha p'neh, zochrei K'dushatecha.
שַׁוְעָתֵנוּ קַבֵּל וּשְׁמַע צַעֲקָתֵנוּ יוֹדֵעַ תַּעֲלוּמוֹת Shavatenu cabel, ush'máa tza'akatenu, yodeha ta'alumot.
בָּרוּךְ שֵׁם כְּבוֹד מַלְכוּתוֹ לְעוֹלָם וָעֶד Baruch shem kevôd malchuto leolam vaed.

Português[editar | editar código-fonte]

Livra-nos, rogo, dos vínculos de paixão pela força de Tua destra. Aceita o clamor de Teu povo, ó D'us temido, exalta-nos e purifica-nos. Ó mui poderoso D'us, conserva como a pupila dos olhos aqueles que defendem a Tua Unidade. Abençoa-nos, purifica-nos, outorga-nos com a Tua justiça bondosa, contínuo galardão. Tu que és o mais Alto e Santo, guia Teu povo congregado, com abundância de generosidade. Tu que és a exaltada Unidade, volta-Te para Teu povo que sempre recorda Tua santidade. Aceita nossas preces e ouve nossos clamores, ó Tu que sabes do encoberto.

Bento é o nome d'Aquele cujo reino glorioso é eterno.

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • DAHAN, Isaac. Arvit de Shabat (e Shalosh Regalim). 2 ed. Manaus: Fênix, 1996.
  • DICHI, Isaac. Ner Lechayim. 4 ed., revisada. São Paulo: Mekor Haim, 2007.
  • SCHOLEM, Gershon. O nome de Deus, a teoria da linguagem e outros estudos da cabala e mística. São Paulo: Perspectiva, 1999.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.