Rebe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rebbe Naftali Tzvi Labin de Zidichov

Rebbe ou Rebe (em hebraico: רבי: /ˈrɛbɛ/ ou /ˈrɛbi/[1]) é uma palavra Yiddish derivada da palavra hebraica rabi, que significa "professor, mestre, mentor " ou literalmente "grande". Como o título "rabino", refere-se a professores da Torá ou líderes do judaísmo.

Na linguagem comum dos tempos modernos, a frase o Rebbe é frequentemente usada especificamente por Hasidim para se referir ao líder do seu movimento hassídico.[2]

Terminologia e origem[editar | editar código-fonte]

O têrmo iídiche rebbe vem da palavra hebraica rabbi, significando "Meu Mestre", que é a maneira como um estudante se dirige a um mestre da Torá. Foi um honorífico originalmente dado àqueles que tinham Semichá nas eras farisaicas e talmúdica. Uma vez que as vogais não eram escritas na época, é impossível saber historicamente se era pronunciado rah-bi ( /ˈrɑːbi/) ou r-bi ( /ˈrɛbi/). A palavra portuguesa rabi vem diretamente desta forma. Em iídiche, a palavra se torna reb-eh ( /ˈrɛbɛ/)—agora normalmente escrita rebbe ( /ˈrɛbə/—ou simplesmente reb ( /ˈrɛb/). A palavra mestre רב rav literalmente significa "grande homem").

Os Sábios da Mishnah conhecidos como os Tannaim, dos séculos I e II da era comum, eram conhecidos pelo título Rabi ( /ˈræbi/) (por exemplo Rabi Akiva e Rabi Shimon bar Yochai). Rabbi Yehuda HaNasi, o líder dos judeus nos tempos mishnaicos, era simplesmente chamado Rabi ( /ˈræbi/), como sendo o rabi por excelência de sua geração.

Os Sábios do Talmude conhecidos como os Amoraim, a partir do 3º, 4º e início do 5º séculos, aqueles nascidos na Terra de Israel são chamados Rabi ( /ˈræbi/); aqueles nascidos na diáspora são conhecidos pelo título Rav ( /ˈrɑːv/).

Uso[editar | editar código-fonte]

Hoje, rebbe é usado das seguintes maneiras:

  1. Rabi, um professor de Torá – estudantes em uma Yeshiva ou chêder estudantes (escola primária), quando conversando com seu professor, devem se dirigir a ele com o honorífico Rebbe, como o equivalente iídiche-alemão para a palavra hebraica rabi (רַבִּי rabi).
  2. Mentor pessoal e professor—O principal Rosh Yeshiva de uma pessoa, um professor, ou mentor, da Yeshiva, que ensina ele ou ela o Talmud e a Torá e dá orientação religiosa, é referido como rebbe ( /ˈrɛbə/[1]), também como equivalente ao termo "rabi".
  3. Líder espiritual—O chefe espiritual de um movimento hassídico é chamado de rebbe ( /ˈrɛbə/[1]). Seus seguidores se dirigem a ele como "O Rebbe" ou se referem a ele quando falam com os outros como "o Rebbe" ou "meu Rebbe". Ele é referido por outros como o Rebbe de um Hasidut particular. Em hebraico, o Rebe Hassídico é muitas vezes referido como um AdMoR, que é uma abreviação para Adoneinu, Moreinu, veRabbenu ("Nosso mestre, nosso professor e nosso rabi"). Por escrito, este título é colocado antes do nome do Hasidut, como em "Admor de Belz"; ao passo que o título Rebbe vem depois do nome do Hasidut quando usado como um adjetivo, como em "Lubavitcher Rebbe", "Amshinever Rebbe", e todo rebe de toda dinastia hasídica. No mundo Litvishe, quando não se referindo a um rebe hassídico ( /ˈrɛbə/[1]), a palavra pode ser pronunciada "rebi" ( /ˈrɛbi/). Judeus sefarditas podem pronunciá-lo como "Ribi" ( /ˈrbi/). Os hasidim de Lubavitch têm a tradição de que as letras hebraicas que compõem a palavra rebe ( /ˈrɛbi/) também são um acrônimo para "Rosh Bnei Yisroel", significando "uma cabeça espiritual dos Filhos de Israel".

Um rabino comunal comum, ou "rebbe" em iídiche, é às vezes distinto de um rav ( /ˈræv/ também pronunciado rov /ˈrɒv/ por judeus de origem da Europa Oriental ou da Rússia), que é um juiz haláquico mais autoritário. Uma função significativa de um rav é responder a perguntas de Halacá (corpus da lei judaica), mas ele não é tão autoritário quanto um "posek". A forma curta reb é um honorífico para homens judeus ortodoxos, que são mais propensos a ter profundo conhecimento do Talmud e Torá, ao contrário dos judeus pertencentes as correntes Reconstrucionista, Reformada ou conservadora. Originalmente, esse título foi acrescentado aos nomes dos judeus na época do cisma com a seita caraíta, como um sinal de lealdade à tradição rabínica original, conhecida hoje como Judaísmo Ortodoxo.[3]

Hasidismo[editar | editar código-fonte]

Como regra, entre os hasidim, rebbe ( /ˈrɛbə/) é referido em hebraico como admor (pl. admorim), uma abreviação para o hebraico adoneinu moreinu v'rabeinu, significando 'nosso mestre, nosso professor e nosso rabino', que é agora a palavra hebraica moderna em Israel para rebbe.

Os hasidim também usam o termo rebbe ( /ˈrɛbə/) de uma maneira mais elevada, para denotar alguém que eles percebem não apenas como o líder religioso ou nasi[2] de sua congregação, mas como seu conselheiro espiritual e mentor.

O Rebbe ou meu Rebbe neste sentido é um rav ou rabbi cujos pontos de vista e conselhos são aceitos não apenas em questões de direito e prática religiosa, mas em todas as arenas da vida, incluindo questões políticas e sociais. Às vezes, um hasid tem um "rebbe" como seu guia espiritual e um "rav" adicional para decisões sobre questões de "halacá".

Os hasidim usam o conceito de um rebbe (não-hassídico) no simples sentido de rabbi, como o equivalente iídiche-alemão para a palavra hebraica רַבִּי rabi. Por exemplo: "Eu pedirei ao meu rebbe ( /ˈrɛbə/), Rabi ( /ˈræb/) Ploni (fulano de tal), por conselhos sobre este assunto pessoal."

O Rebbe Hassídico[editar | editar código-fonte]

Um Rebbe Hassídico ( /ˈrɛbɛ/) é geralmente considerado como um grande líder de uma dinastia hassídica, também referido como um "Grande Rabi" ou um ADMOR, um acrônimo hebraico para Adoneinu-Moreinu-veRabbeinu ("nosso senhor/mestre, professor, e rabi"). Fora dos círculos hassídicos, o termo "Grande Rabi" tem sido usado para se referir a um rabi com um status espiritual mais elevado. A prática tornou-se difundida nos Estados Unidos no início de 1900, quando os Rebes hasídicos começaram a emigrar para os Estados Unidos e foi derivada do Alemão Grossrabbiner.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Oxford Dictionary of English, Merriam-Webster's Collegiate Dictionary
  2. a b Schneerson, Rabbi Menachem Mendel. «The Head». Kabbalah and the Mystical. Chabad-Lubavitch Media Center. Consultado em 15 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 19 de junho de 2013 
  3. Auerbach, Rabbi Shlomo Zalman. «Capítulo 1: Halikhot Shlomo». In: Salo Wittmayer Baron. A Social and Religious History of the Jews. High Middle Ages, Religious Controls and Dissensions. 5. [S.l.]: Columbia University Press. p. 283. ISBN 978-0231088428 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre judaísmo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.