Augusta da Baviera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Augusta
Duquesa de Leuchtenberg
Retrato por Joseph Karl Stieler
Marido Eugênio de Beauharnais
Descendência Josefina
Eugênia
Augusto
Amélia
Teodolinda
Carolina
Maximiliano
Casa Wittelsbach (por nascimento)
Beauharnais (por casamento)
Nome completo
Augusta Amália Luísa Geórgia
Nascimento 21 de junho de 1788
  Estrasburgo, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 13 de maio de 1851 (62 anos)
  Munique, Reino da Baviera
Enterro Igreja de São Miguel, Munique, Alemanha
Pai Maximiliano I José da Baviera
Mãe Augusta Guilhermina de Hesse-Darmstadt

Augusta da Baviera, Duquesa de Leuchtenberg (em alemão: Augusta Amalia Ludovika Georgia von Bayern) (Estrasburgo, 21 de junho de 1788Munique, 13 de maio de 1851), foi princesa da Baviera por nascimento e duquesa de Leuchtenberg e princesa de Eichstätt por casamento com Eugênio de Beauharnais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em 21 de junho de 1788, era filha do rei da Baviera, Maximiliano I José e da rainha Maria Guilhermina de Hesse-Darmstadt, primeira esposa do rei bávaro.[1] A princesa Augusta Amélia foi sua primeira filha. Ela perdeu a mãe muito cedo, em 1796 e um ano depois seu pai se casou novamente, com a princesa Carolina de Baden.

Casou-se em 1806 com Eugênio de Beauharnais, Príncipe do Império Francês e Vice-Rei da Itália. Em 1807 nasceu a primeira filho do casal, a princesa Josefina. Ainda em 1807 torna-se Princesa de Veneza, e em 1810, Grã-Duquesa de Frankfurt. Em 1810, seu pai, o rei Maximiliano I da Baviera, nomeou-a Duquesa de Leuchtenberg e Princesa de Eichstätt.[1]

Educou todos os seus filhos segundo os princípios da moral católica. Os seus filhos, à exceção de dois deles, tornaram-se membros de famílias reais.

Com a morte de Eugênio de Beauharnais, seu esposo em 1824, torna-se a administradora do Principado de Eichstätt, no lugar de seu esposo.[1]

Em 1829, negociou com Felisberto, Marquês de Barbacena e com Domingos, Visconde de Pedra Branca, o casamento de sua filha a princesa Amélia de Leuchtenberg, com o imperador brasileiro Pedro I. E em 1835 o casamento de seu filho, o príncipe Augusto, com a rainha de Portugal Maria II.

Augusta se opôs em vão ao casamento de seu filho Maximiliano com a grã-duquesa russa Maria Nikolaevna, uma vez que ela era ortodoxa e ele católico, e também por Maximiliano não ter sangue real. Augusta se recusou a estar presente na união. A pedido do czar o jovem casal mudou-se para São Petersburgo.

Faleceu em 13 de maio de 1851, em Munique, na presença de sua filha Amélia e de sua neta Maria Amélia, que morreria apenas dois anos depois.

Precedida por:
Novo título
Duquesa de Leuchtenberg
Coat of Arms of Amelia of Bavaria.svg

14 de novembro de 181713 de maio de 1851
Sucedida por:
Maria da Glória de Bragança

Referências

  1. a b c Armin Schroll: Prinzessin Auguste Amalie von Bayern (1788–1851). Eine Biographie aus napoleonischer Zeit. Verlag Meidenbauer, München 2010, ISBN 978-3-89975-725-5


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Augusta da Baviera