Josefina de Leuchtenberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido. Ajude e colabore com a tradução.
Josefina
Princesa de Leuchtenberg
Rainha Consorte da Suécia e Noruega
Reinado 8 de março de 1844
a 8 de julho de 1859
Coroação 28 de setembro de 1844
Predecessora Desidéria Clary
Sucessora Luísa dos Países Baixos
Marido Óscar I da Suécia
Descendência
Carlos XV da Suécia & IV da Noruega
Gustavo, Duque de Uppland
Óscar II da Suécia
Eugênia da Suécia
Augusto, Duque de Dalarna
Nome completo
Josefina Maximiliana Eugênia Napoleona
Casas Beauharnais (por nascimento)
Bernadotte (por casamento)
Pai Eugênio de Beauharnais, Duque de Leuchtenberg
Mãe Augusta da Baviera
Nascimento 14 de março de 1807
Milão, Itália
Morte 7 de junho de 1876 (69 anos)
Estocolmo, Suécia
Enterro Igreja de Riddarholmen, Estocolmo, Suécia
Religião Catolicismo

Josefina Maximiliana Eugênia Napoleona (Milão, 14 de março de 1807Estocolmo, 7 de junho de 1876) foi esposa do rei Óscar I e rainha consorte dos Reinos Unidos da Suécia e Noruega de 1844 até 1859. Era a filha mais velha de Eugênio de Beauharnais, Duque de Leuchtenberg, com a princesa Augusta da Baviera. Josefina sempre esteve politicamente ativa durante o reinado de seu marido, atuando como sua conselheira política e participando dos assuntos de estado. Ela era particularmente envolvida em questões relacionadas a religião, sendo considerada como uma das responsáveis por apresentar legislações mais liberais nos dois reinos sobre esses tópicos.

Família[editar | editar código-fonte]

Segunda filha de Eugênio de Beauharnais, o primeiro duque de Leuchtenberg, e de sua esposa, a princesa Augusta da Baviera, Josefina foi nomeada a partir de sua avó paterna, Josefina de Beauharnais, a primeira esposa de Napoleão Bonaparte. Entre seus irmãos, estavam a imperatriz Amélia (segunda esposa de D. Pedro I do Brasil) e o príncipe-consorte Augusto (primeiro marido de Maria II de Portugal).

A princesa desposou Óscar I no Palácio de Leuchtenberg, em Munique, no dia 22 de maio de 1823. Eles também realizaram outra cerimônia de casamento em Estocolmo, a 19 de junho daquele mesmo ano. Através de sua mãe, Josefina era uma descendente de Gustavo I da Suécia.

Princesa consorte[editar | editar código-fonte]

Seis dias após sua chegada à Suécia, seu quarto nome, Napoleona, foi removido, porque a Suécia havia lutado contra Napoleão em uma guerra. Ela então trouxe consigo várias jóias que pertenceram à sua avó paterna e que até hoje são guardadas pelas famílias reais sueca e dinamarquesa.

Josefina tinha interesse em jardinagem e gostava de pintura. Ela apoiou a pintora Sofia Adlersparre (1808-1862) e o escultora Helena Isenberg. Sua filha Eugênia tornou-se uma talentosa pintora amadora. Também se envolveu com caridade e reformas na Suécia.

Embora fosse católica, Josefina concordou em criar seus filhos como luteranos. Óscar e Josefina tiveram cinco filhos, dos quais dois se tornaram reis da Suécia e Noruega.

Seu casamento foi inicialmente feliz, e a infidelidade de seu marido foi escondida dela com sucesso. Uma das amantes foi a atriz sueca Emilie Högquist, com quem teve dois filhos bastardos. Contudo, quando Josefina descobriu os casos amorosos de Óscar, nunca se sentiu realmente feliz de novo.

Filhos[editar | editar código-fonte]

Seus cinco filhos foram:

Rainha e morte[editar | editar código-fonte]

Josefina foi tão popular entre a corte como entre o povo sueco, mesmo tendo permanecido católica. Não se sabe se ela teve alguma influência política durante os reinados de seu marido e filho, mas certamente agiu como conselheira do rei.

Em 1848, ela tentou evitar uma guerra em Schleswig-Holstein. Teria sido a responsável por um tratado entre Suécia, Noruega, França e Grã-Bretanha em 1855. De acordo com rumores, a rainha, em 1860, defendeu uma nova lei de liberdade religiosa. A lei antiga permitia crenças diferentes somente se o indivíduo nascesse com elas, proibindo uma conversão da fé luterana.

No fim do mês de maio de 1876, Josefina já estava bastante fraca vindo a falecer aos sessenta e nove anos e recebeu um enterro católico. Suas últimas palavras foram "Eu estou indo para casa agora. Estou muito feliz".

Brasão da Princesa de Leuchtenberg em uso de 1817 a 1826.

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Josefina de Leuchtenberg
  • Herman Lindqvist (2006). Historien om alla Sveriges drottningar (em sueco). Norstedts Förlag. ISBN 9113015249.


Josefina de Leuchtenberg
Casa de Beauharnais
14 de março de 1807 – 7 de junho de 1876
Precedida por
Desidéria Clary
Blason de la Reine Joséphine.svg
Rainha Consorte da Suécia e Noruega
8 de março de 1844 – 8 de julho de 1859
Sucedida por
Luísa dos Países Baixos